Amaran's Plight: nomes cultuados do prog contemporâneo

Resenha - Voice in the Light - Amaran's Plight

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O Amaran's Plight é um projeto que reúne alguns dos nomes mais cultuados do rock progressivo e do prog rock contemporâneos. Batem ponto na banda o vocalista DC Cooper (ex-Royal Hunt), o guitarrista Gary Wehrkamp (Shadow Gallery), o baixista Kurt Barabas (Under the Sun) e o baterista Nick D'Virgilio (Spock's Beard). Enfim, um line-up repleto de pedigree.

Regis Tadeu: Los Hermanos fez um tremendo mal ao rock brasileiroRock in Rio: Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991

As raízes do grupo datam de 1999, ano em que DC Cooper participou como vocalista convidado do álbum Tyranny, do Shadow Gallery. A experiência aproximou Cooper e Wehrkamp, e o desejo de voltar a trabalhar juntos revelou-se contante e recíproca. Depois de muitas idas e vindas, o Amaran's Plight tomou forma em 2006 com a entrada de Barabas e D'Virgilio, e lançou em 2007 seu primeiro - e até agora único - disco, "Voice in the Light".

O som do quarteto é um prog metal coeso, sólido e maduro. A bela voz de DC Cooper soa sem exageros. As guitarras de Gary Wehrkamp despejam ricas passagens, enquanto Nick D'Virgilio mostra-se um instrumentista muito criativo e extremamente técnico - atributos que os fãs do Spock's Beard já conheciam há tempos. Kurt Barabas, o menos badalado dos quatro, mostra ter sido a escolha certa para a banda, pois constrói intrigantes linhas de baixo que enriquecem, e muito, as composições.

Entre as músicas, merecem destaque as suítes "Incident at Haldeman's Lake", "Shattered Dreams" e "Revelation", além de faixas como "Truth and Tragedy", "Betrayed by Love", "Turning Point" e "Viper". É possível identificar no grupo, como era esperado, toques que lembram o Shadow Gallery, além de uma forte influência do Pink Floyd em alguns trechos.

"Voice in the Light" não é nenhuma obra-prima - está longe disso -, mas revela-se um disco muito agradável de se ouvir. Resumindo: indicado para os fãs dos músicos e suas bandas, e, principalmente, para quem gosta de boa música.

Faixas:
1.Room 316 - 1:33
2.Friends Forever - 2:56
3.Coming of Age - 4:48
4.Incident at Haldeman's Lake - 11:34
5.Reflections Pt. I - 3:21
6.I Promise You - 2:57
7.Consummation Opus - 4:24
8.Truth and Tragedy - 2:57
9.Shattered Dreams - 13:29
10.Viper - 5:36
11.Betrayed by Love - 7:16
12.Turning Point - 4:48
13.Revelation - 13:06




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Amarans Plight"


Regis Tadeu: Los Hermanos fez um tremendo mal ao rock brasileiroRegis Tadeu
Los Hermanos fez um tremendo mal ao rock brasileiro

Rock in Rio: Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991Rock in Rio
Os cachês e exigências dos artistas na edição de 1991

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1992Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1992

Edu Falaschi: o fax com convite de seleção para o Iron MaidenSimplicidade é para os falsos: o nome de banda mais complicado do mundoVan do Halen: Melhores discos de 2017Led Zeppelin e Greta Van Fleet: finalmente fizeram um mashup, que ficou muito bom

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.