Dead Weather: o trabalho nunca termina para Jack White

Resenha - Sea of Cowards - Dead Weather

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fábio Cavalcanti
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Parece que o trabalho nunca termina para o grande Jack White (The White Stripes, The Raconteurs)... Cerca de 1 ano e meio após a formação de sua nova banda, The Dead Weather, e apenas 1 ano após o lançamento do seu álbum de estréia ("Horehound"), o grupo nos brinda com mais um disco, intitulado "Sea of Cowards" (2010).

Sexo Anal: saiba onde encontrar esse prazer no cenário RockMetallica: Jason Newsted, 14 anos de humilhação

O primeiro trabalho deste (super) grupo, que traz em sua liderança o já citado Jack White (vocal, bateria, guitarra), além da vocalista do The Kills, Alison Mosshart (vocal, guitarra), manteve aquela sonoridade "vintage" que sempre marcou o The White Stripes, mas dessa vez com uma dose maior de sujeira e experimentalismo. O segundo álbum indica o amadurecimento do grupo, através de... mais sujeira e mais experimentalismo!

Então você, caro leitor, pergunta: como é possível amadurecer através de um álbum mais cru e pesado? Simples: basta definir realmente o seu escopo, evitando as pequenas irregularidades e passagens arrastadas do seu primeiro álbum, e pronto! Soando como uma unidade que nunca parece repetitiva ou massante, as ótimas e "ásperas" faixas "Blue Blood Blues" e "Hustle And Cuss" já dão o tom do que está por vir...

E dá-lhe rock: "I Can't Hear You", "Gasoline", "No Horse" e "Jawbreaker" conseguem fazer o ouvinte levantar da cadeira, mesmo sendo faixas bastante cadenciadas, como manda a essência da banda... Por outro lado, "Looking At The Invisible Man" soa pouco inspirada, e acaba passando batida...

E os pontos mais experimentais e brilhantes do disco ficam por conta do ótimo single - e suicídio comercial - "Die By The Drop", e da inusitada "The Difference Between Us", um paradoxal rock sombrio com influências de new wave oitentista, o qual é emendado à espontânea "I'm Mad". Por fim, a mórbida "Old Mary" fecha muito bem o álbum.

Em seus 35 minutos, "Sea of Cowards" se mostra realmente um passo à frente na obra de uma banda que já sabe muito bem o que quer, e que ainda poderá nos brindar com trabalhos igualmente arrepiantes e recheados de atitude no futuro. Basta que o quarteto nunca esqueça da sua adorável essência...

Músicas:
1. Blue Blood Blues
2. Hustle And Cuss
3. The Difference Between Us
4. I'm Mad
5. Die By The Drop
6. I Can't Hear You
7. Gasoline
8. No Horse
9. Looking At The Invisible Man
10. Jawbreaker
11. Old Mary




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dead Weather"


Sexo Anal: saiba onde encontrar esse prazer no cenário RockSexo Anal
Saiba onde encontrar esse prazer no cenário Rock

Metallica: Jason Newsted, 14 anos de humilhaçãoMetallica
Jason Newsted, 14 anos de humilhação

AC/DC: os últimos dias do vocalista Bon ScottAC/DC
Os últimos dias do vocalista Bon Scott

Black Sabbath: os vocalistas misteriosos da bandaSeparados no nascimento: Synyster Gates e Luan SantanaSaxon: "'Crusader' é nosso maior álbum", afirma Biff ByfordKurt Cobain: ele era tão vaidoso quanto Nikki Sixx, diz lendário fotógrafo

Sobre Fábio Cavalcanti

Baiano, sempre morou em Salvador. Trabalha na área de Informática e ¨brinca¨ na bateria em momentos vagos, sem maiores pretensões. Além disso, procura conhecer novas - e antigas - bandas dos mais variados subgêneros do rock. Por fim, luta para divulgar, sempre que possível, o pouco conhecido cenário rocker da tão sofrida ¨Terra do Axé¨.

Mais matérias de Fábio Cavalcanti no Whiplash.Net.