Kiss: após 11 anos, um álbum com tudo que os fãs conhecem

Resenha - Sonic Boom - Kiss

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Daniel Miola de Amorim
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


E a espera chegou ao fim. Após 11 anos sem lançar um álbum de canções inéditas, o Kiss colocou no mercado o trabalho “Sonic Boom”, cuja venda, nos Estados Unidos, está sendo feita exclusivamente pela rede Wal-Mart (as lojas no Brasil, até o momento, não disponibilizaram o CD). O trabalho é o primeiro lançado pela atual formação, que conta, além dos fundadores Gene Simmons e Paul Stanley, com o baterista Eric Singer e o guitarrista Tommy Thayer, que usam a maquiagem dos membros originais, respectivamente, Peter Criss e Ace Frehley. “Sonic Boom” é um disco triplo: vem com um CD de canções inéditas, com 11 faixas, um com 15 clássicos regravados pela atual formação, além de um DVD ao vivo.
1689 acessosPaul Stanley: "guitarristas não aprendem a fazer base"5000 acessosFotos de Infância: Steven Tyler, do Aerosmith

O CD inédito é o Kiss de sempre. Escutando-o, tive a impressão que traz influências de quase todas as fases, com exceção do período “Dinasty/Unmasked” (o pior da banda); do período mais metal, da era “Animalize”; e da fase mais glam, época dos fracos “Azylum/Crazy Nights”. Paul e Gene têm a performance esperada, o que já está muito bom. Eric e Tommy são músicos bastante experientes, não fazem nada que já não tenha sido feito por qualquer outro ex-integrante, mas também não devem nada a qualquer um deles, e ainda colocam suas vozes em “All For The Glory” e “When Lightning Strikes”, respectivamente. O álbum não tem baladas, nem ao menos uma única canção que possa ser candidata a ser um novo clássico da banda. A fórmula é a mesma de sempre: riff’s básicos, andamentos marcados, solos curtos e eficazes, letras simples e refrões fáceis. Nada de extraordinário, mas gostei do que ouvi.

O cd “Klassics”, gravado em 2007 e já lançado em outras ocasiões, tem canções muito bem escolhidas, apesar de que qualquer fã pode apontar a falta dessa ou daquela canção, o que é totalmente compreensível. As músicas são praticamente as versões tocadas ao vivo, que quase não trazem nenhuma novidade, mas gravadas com todo o capricho do estúdio. Interessante quando você o escuta logo após “Sonic Boom”, pois permite chegar à duas conclusões: tudo o que o Kiss tinha que lançar de melhor ficou no passado; e que, “Sonic Boom”, se ainda existia alguma dúvida, traz tudo que os fãs já estão cansados ou, no meu caso, carecas de escutar quando se fala em Kiss.

Já o DVD “Live In Buenos Aires”, gravado no estádio do River Plate, vem com seis canções da turnê “Alive 35”, que também passou pelo Brasil (numa bela de terça-feira...), e a performance é a mesma de sempre. Mostra que o show do Kiss continua sendo uma experiência pela qual todo roqueiro deve passar um dia. Serve para agregar valor ao produto.

Milhares de fãs, quando puseram os olhos pela primeira vez na capa de “Sonic Boom”, devem tê-la associado ao “Rock And Roll Over”, de 1976. Corretamente, pois ambas foram ilustradas por Michael Doret. A embalagem é digipack, com papel de ótima qualidade. Simples, porém caprichada. Quando aberta fica com duas abas à direita e uma à esquerda, além da principal, onde estão distribuídos os discos e o encarte, que traz as letras, uma foto da banda e informações básicas.

Se avaliarmos apenas pelo CD de inéditas, seria um trabalho muito bom, mas o pacote todo se torna um ótimo produto, principalmente se você conhecer alguém que possa trazê-lo diretamente dos Estados Unidos. US$12 dólares é muito barato!! Deve ser a estratégia, bastante válida, de Gene Simmons para combater a pirataria, que, segundo ele, foi responsável pelo Kiss ter demorado tanto tempo para colocar no mercado um álbum com músicas inéditas. Mas atenção: o trabalho é indicado apenas para quem gosta de Kiss. E ninguém mais.

1. Modern Day Delilah
2. Russian Roulette
3. Never Enough
4. Yes I Know (Nobobdy’s Perfect)
5. Stand
6. Hot And Cold
7. All For The Glory
8. Danger Us
9. I’m An Animal
10. When Lightning Strikes
11. Say Yeah

Klassics:
1. Deuce
2. Detroit Rock City
3. Shout t Out Loud
4. Hotter Than Hell
5. Calling Dr. Love
6. Love Gun
7. I Was Made For Lovin’ You
8. Heaven’s On Fire
9. Lick It Up
10. I Love It Loud
11. Forever
12. Christine Sixteen
13. Do You Love Me
14. Black Diamond
15. Rock And Roll All Nite

Live In Buenos Aires:
1. Deuce
2. Hotter Than Hell
3. C’mom and Love Me
4. Watchin’ You
5. 100.000 Years
6. Rock & Roll All Nite

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Sonic Boom - Kiss

5000 acessosKiss: fazendo o que o Kiss sabe fazer melhor3359 acessosKiss: não espere algo extraordinário, aproveite a nostalgia

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Paul StanleyPaul Stanley
"Guitarristas não aprendem a fazer base"

411 acessosAce Frehley: "Anomaly" ganha versão deluxe; ouça música inédita738 acessosKiss: bicicleta de triathlon em edição limitada0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Kiss"

Collectors RoomCollectors Room
Baixos, guitarras, calcinhas, e máquina de pinball do Kiss?

CapaCapa
Dupla sertaneja paga mico com arte que lembra John Mayer

KissKiss
Quando eles resolveram abandonar a maquiagem

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Kiss"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Steven Tyler, do Aerosmith, muito antes da fama

Marilyn MansonMarilyn Manson
"Sou o monstro do Lago Ness! Sou o Bicho Papão!"

SlayerSlayer
Fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela banda

5000 acessosMetallica: foto rara de formação original do grupo5000 acessosJared Leto: a reação ao se ver no papel do Coringa5000 acessosCâncer na língua: Os músicos que sofreram deste mal5000 acessosPresença de Palco: dicas para iniciantes5000 acessosRob Halford: "Ninguém escolhe ser Gay"5000 acessosIron Maiden: "Não é Eddie na capa do 'The Final Frontier'"

Sobre Daniel Miola de Amorim

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online