Enthroned: contemporâneo, mas honrando a tradição profana

Resenha - Tetra Karcist - Enthroned

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Com uma trajetória que começou em 1993, o belga Enthroned passou por algumas situações turbulentas nos últimos dois anos, em especial com a saída do vocalista Sabathan, seu último músico remanescente da formação original. Agora que o também guitarrista Nornagest assumiu o microfone, a horda regressa com "Tetra Karcist", um sétimo álbum de estúdio que novamente apresenta vários elementos que o diferem de seus trabalhos anteriores.

Legião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Slash: "Sweet Child" é a coisa mais gay que alguém poderia compor

A mudança de vocalista geralmente deixa qualquer grupo numa posição, no mínimo, desconfortável. Mesmo sendo impossível prever a reação do público, o fato é que esta troca não trouxe qualquer efeito negativo sobre "Tetra Karcist", pelo contrário, Nornagest consegue se mostrar mais versátil que seu antecessor. Todas as principais características do Enthroned estão presentes nas novas composições, mas seus músicos incorporaram também uma série de elementos que visam – e conseguem – enriquecer a música como um todo.

É claro que todos estes tais elementos já foram explorados por outros ícones do gênero... Mas solos de guitarras, passagens mais lentas (para os padrões do Enthroned, obviamente) bem posicionadas e que quebram toda a aura caótica que as canções transmitem são sempre bem-vindas. O apoio de cânticos, alguns em latim, é outra peça importante por aqui, e que torna a audição mais orgânica, diversificada mesmo.

É importante salientar que, mesmo contando com o requinte destes fatores, o Enthroned não reduz o nível de sua agressão e passa a anos luz dos tão contestados conjuntos que adentram pelo lado sinfônico do estilo. O repertório é muito bom, com excelentes faixas como "Pray" e "Through The Cortex", ambas com cuidadoso trabalho vocal; além da velocíssima "Vermin", que se revela outra ocasião matadora em termos de guitarras e solos.

"Tetra Karcist" é um ótimo álbum de Black Metal. Contemporâneo, mas que honra a tradição profana e contestadora deixada pelos mestres do estilo ao apresentar toda uma criatividade pela qual poucos grupos arriscam em investir, talvez por temerem soar piegas perante seu público. Totalmente recomendado aos admiradores de Rotting Christ e Marduk!

Formação:
Nornagest - voz e guitarra
Nguaroth - guitarra
Phorgath - baixo
Ahephaim - bateria

Enthroned - Tetra Karcist
(2007 / Napalm Records – 2008 / Somber Music – nacional)

01. Ingressus Regnum Spiritus
02. Pray
03. Tellum Scorpionis
04. Deviant Nerve Angelus
05. Burning Dawn
06. Through The Cortex
07. Seven Ensigns Of Creation
08. Nox
09. Vermin
10 Antares
11. Panthenon Of Oblivion (bonus)
12. Reign Over You (bonus)

Homepage:
http://www.enthroned-horde.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Legião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saídaLegião Urbana
A versão de Renato Rocha sobre a sua saída

Slash: Sweet Child é a coisa mais gay que alguém poderia comporSlash
"Sweet Child" é a coisa mais gay que alguém poderia compor


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin