Metallica: primeiras impressões sobre o novo álbum

Resenha - Death Magnetic - Metallica

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Douglas Morita, Fonte: Metallica Remains
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

As revistas Rock Sound e Metal Hammer, ambas do Reino Unido, postaram suas impressões a respeito do novo álbum do METALLICA, após uma sessão de audição que aconteceu hoje (4 de junho) em Londres.

4548 acessosMetallica: Lars Ulrich lamenta a morte de Chester Bennington5000 acessosAfinal de contas, o que é um riff?

- De acordo com a Rock Sound:

"Na primeira impressão e apenas após uma ouvida, a Rock Sound pode confirmar que as músicas que nós ouvimos soam bem parecidas com a vibração clássica do METALLICA, relembrando os dias de 'Master of Puppets', '...And Justice For All' (mas com baixo) e o álbum homônimo - sem soar datado ou cansado.

Nas seis faixas que a Rock Sound ouviu nesta tarde, apenas uma tinha ma título provisório - 'Flamingo'. Com uma introdução lenta, a música tinha uma reminiscência de 'Battery' na vibração, com dois solos de guitarra e uma tendência melodiosa e de groove.

O primeiro single é um rock épico poderoso, na veia de 'The Unforgiven', 'Nothing Else Matters' e 'Sanitarium', com um interlúdio mais rápido e pesado, e alguns toque de THIN LIZZY nos riffs de guitarra.

Outra música conta com as letras, 'Into abyss, you don't exist, you can't resist the Judas kiss' [tradução: "No abismo, você não existe, você não pode resistir ao beijo de Judas"]; outra conta com uma bateria e baixo quase no estilo de RAGE AGAINST THE MACHINE e letras sobre suicídio e cianeto; já a última música que ouvimos, entitulada 'The Song', tem menos de cinco minutos e é um ataque galopante de Thrash Metal com uma lembrança de TESTAMENT nela!

Nós suspeitamos que os outros títulos de músicas possam incluir 'Die Hard', 'Show Your Scars' e 'My Apocalypse' - mas não nos responsabilizamos se nenhum desses títulos ou letras estiverem certos!

Felizmente, há muito dos solos tradicionais de Kirk Hammett e um som decente de bateria. A voz de Hetfield está em boa forma também. Todas as músicas têm diferentes partes nelas, dando a impressão de que o quarteto está revisitando a vibração épica do período clássico da banda".

- De acordo com a Metal Hammer:

"Como as músicas soam? Faixa um, que é somente conhecida pelo título provisório de 'Flamingo', abre com uma bateria trovejante enquanto a guitarra principal a encontra mais pra frente, intercalando um movimento de começa-pára até que se juntam em um estilo Thrash clássico, riffs pesados no estilo 'Fight Fire With Fire' e batidas perfurantes. Demora pelo menos dois minutos até que os vocais de James Hetfield entrem, e embora eles soam furiosos, esta não é a melhor forma dele, e embora ainda tenha um vocal memorável para o refrão, tem tanta coisa rolando na música, e tantas idéias jogadas que é difícil na primeira ouvida escolher o riff que você lembrará. Mas com riffs galopantes e o retorno de quebradas de guitarra surgindo dos grooves, você pode ouvir o verdadeiro espírito do METALLICA, mesmo que seja refletido em um espelho em mosaico.

A faixa dois é, no fundo, uma balada que relembra 'Fight Fire With Fire' e 'Nothing Else Matters', com uma introdução harmoniosa, vocais viajantes e algumas pontes levemente progressivas que se transformam em riffs mais galopantes e solos de guitarras. De novo, a música tem várias seções diferentes, mas ainda soa massiva.

A faixa três entra com um riff que começa e pára, com toques orientais, enquanto outra linha de guitarra é tocada e as linhas de voz de Hetfield mantém o poder de algo como um profeta monolítico observando os eventos enquanto os riffs entram, soando como um exército marchando, atirando metodicamente em qualquer um que estiver no caminho.

A faixa quatro relembra 'Master of Puppets' com mais do que um toque de SLAYER. Depois de uma introdução de bateria no estilo de uma artilharia, ela logo entra no modo Thrash, marchante. A voz de Hetfield tem digressões melódicas, enquanto ele urra 'Bow down, surrender unto me' [tradução: "Se curva, se renda a mim"]. O groove dessa música te carrega enquanto ela te leva a atmosferas a la LED ZEPPELIN. Ainda não é exatamente o tipo de monstro irresistível que eles já criaram antes, mas o METALLICA ainda pode provar que eles podem soar firmes e épicos ao mesmo tempo, e quando a faixa cai no interlúdio na metade, você pode imaginar corais vindos da platéia ao vivo.

A faixa cinco tem outra abertura forte, com um groove diferente, não muito diferente de RAGE AGAINST THE MACHINE, mostrando riffs afiados que surgem por cima da percussão irregular que cai num caminho mais melódico e que dá lugar mais uma vez ao festival emocionante de riffs.

A faixa seis é a 'música', consideravelmente mais curta que as outras, mas cheia de riffs clinicamente afiados, mais partes a la SLAYER e grooves galopantes, tudo envolvido por um toque mais oriental.

As impressões iniciais são que este é um álbum que fará nosso sangue correr, mas para saber se ele será ou não tudo que esperamos, serão necessarias mais algumas ouvidas. De qualquer forma, estamos muito aliviados e muitos emocionados, e mal podemos esperar para ouvir o resto".

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Death Magnetic - Metallica

5000 acessosMetallica: Depois de três pisadas na bola, chamaram Rubin5000 acessosMetallica: suicídio e redenção é o que eles precisavam5000 acessosResenha - Death Magnetic - Metallica5000 acessosMetallica: da estranha veneração ao suntuoso apedrejamento5000 acessosMetallica: Sim, a banda está viva com "Death Magnetic"5000 acessosResenha - Death Magnetic - Metallica5000 acessosResenha - Death Magnetic - Metallica5000 acessosTradução - Death Magnetic - Metallica

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MetallicaMetallica
Lars Ulrich lamenta a morte de Chester Bennington

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

Bruce DickinsonBruce Dickinson
Sua coleção de clássicos do Metallica

MetallicaMetallica
Assista acidente encenado em show no México

ShakiraShakira
Realmente uma grande fã de heavy metal?

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"

RiffRiff
Afinal de contas, o que é um? E qual a sua receita?

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Paul Stanley e Sidney Magal

AC/DCAC/DC
Isso sim é uma bela estrada para o inferno

5000 acessosCrianças: veja como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras5000 acessosMetallica: prejudicando as finanças da Igreja Universal5000 acessosQueen: Uma das maiores coleções sobre a banda está no Brasil1080 acessosAlém de lenhadores: as onze mais fabulosas barbas da música3558 acessosMetallica: o Top 10 de 2016 do James Hetfield5000 acessosIron Maiden: A discografia completa comentada pela banda

Sobre Douglas Morita

Douglas Morita acha que se existem constantes em sua vida, uma delas definitivamente é o Metallica. Fã da banda desde que se conhece por gente, criou o site Metallica Remains em 1998 e considera o grupo como sua principal - porém, obviamente, não única - influência musical. Além do Metallica, tenta ouvir de tudo um pouco, sem se limitar a estilos ou rótulos.

Mais matérias de Douglas Morita no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online