Hollenthon: pequena e rara obras-prima do Metal

Resenha - Opus Magnum - Hollenthon

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


O leitor parou para analisar quantas bandas conseguem misturar de maneira convincente o Heavy Metal e a Música Clássica? Não são muitas, tanto que as mais lembradas talvez sejam o Therion e o Haggard, que já deixaram sua marca na história... Ainda que atuando a nível bem mais underground, neste seleto grupo também se encontra o Hollenthon, natural de Viena (Áustria) e que não deve nada, mas absolutamente nada, aos nomes consagrados.

Capitaneado por Martin Schirenc desde 1994, o projeto possui apenas dois registros que marcaram profundamente a quem já teve o privilégio de escutá-los: "Domus Mundi" (99) e "With Vilest Of Worms To Dwell" (01) – este último inclusive chegou a ser lançado no mercado brasileiro. E agora, depois de sete anos afastado em função do retorno do Pungent Stench (famosa banda do qual Martin também é mentor e cuja atividade aparentemente durou somente até o ano passado), é que o Hollenthon parece voltar a ser prioridade, o que é reforçado com a aquisição de músicos que o definem como banda no sentido literal da palavra.

publicidade

"Opus Magnum" é seu novo álbum e totalmente fiel à simbiose de melodias épicas ao lado dos arranjos orquestrados, coros gregorianos de arrepiar, a eventual voz de Elena Schirenc (esposa do líder) e influências folclóricas e árabes, tudo isso devidamente entrelaçado à faceta obscura e cadenciada do metal extremo. De diferente, somente o fato de todas estas camadas sonoras aparecerem agora de forma mais complexa, diversificada e progressiva, conferindo uma atmosfera ainda mais bombástica ao repertório.

publicidade

A produção é muito boa, na medida exata entre o polido e o sujo, tendo em "On The Wings Of A Dove" e "Misterium Babel" exemplos que definem toda a proposta do Hollenthon. Um disco que não dá para subestimar, dono de tal inspiração que muitos o considerarão outra destas pequenas e raras obras-prima do Heavy Metal contemporâneo. Pode conferir!

publicidade

Formação:
Martin Schirenc - voz e guitarra
Martin Arzberger - guitarra
Gregor Marboe - baixo
Mike Gröger - bateria
Elena Schirenc - voz

Hollenthon - Opus Magnum
(2008 / Napalm Records - importado)

01. On The Wings Of A Dove
02. To Fabled Lands
03. Son Of Perdition
04. Ars Moriendi
05. Once We Were Kings
06. Of Splendid Worlds
07. Dying Embers
08. Misterium Babel

publicidade

Sites:
http://www.hollenthon.com
http://www.myspace.com/hollenthonofficial




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Black Sabbath: avó de Iommi era brasileira e pais eram católicosBlack Sabbath
Avó de Iommi era brasileira e pais eram católicos

Sonho de Consumo: os 10 palcos de shows mais desejadosSonho de Consumo
Os 10 palcos de shows mais desejados


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin