Arcade Fire: merecendo a ovação recebida

Resenha - Neon Bible - Arcade Fire

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Maurício Gomes Angelo
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Hype. Hype. Hype. O Canadá é a meca mundial dos hypes musicais (tá, a Grã-Bretanha vence de longe em quantidade, mas os canadenses são mais cults – é o que diz a lenda). Em três anos o Arcade Fire saiu do limbo existencial para o mais alto conceito da crítica. Neste meio tempo, até uma passadinha pelo Brasil eles deram.
5000 acessosFotos de Infância: Pantera5000 acessosSeparados no nascimento: Dave Mustaine e um Cocker Spaniel

Felizmente, o AF merece boa parte da ovação que recebeu. Direto ao ponto: “Neon Bible” é tudo que se esperava deles e além. E uma banda que bota um título desse num álbum não pode ser mesmo normal. Sorte nossa. Fácil enxergar até onde isso vai parar: a bolachinha encabeçará todas as listas de melhores do ano que se preze e as louvações beirarão o frenesi doentio.

Intenso, sombrio, fantasmagórico (x3), sublime e tocante são alguns dos adjetivos que cabem bem aqui. Impossível não se ver completamente envolto pelas atmosferas criadas nas diversas texturas da voz de Win Butler. É incrível como a fórmula – se é que se pode dizer isto de uma banda tão múltipla e talentosa – funciona perfeitamente bem: ultrapassando as fronteiras do rock e indo do pop a toques de música clássica, a variedade de instrumentos (violinos, acordeons, sintetizadores, teclado, percussão, xilofones e tudo mais que servir para tocar o ouvinte) também colabora para o rico resultado final.

A melancolia do grupo nunca descamba para a depressão. Antes, apostam muito mais em tons reflexivos e transformadores – tente ouvir “Intervention” inerte – gerando uma autêntica experiência emocional. Ouso dizer que, desde os Smiths, poucas vezes se viu uma banda com tanta sensibilidade pop quanto esta, só que num mosaico ainda mais sombrio, chuvoso e arrebatador. Realmente, não há como não se render. “Neon Bible” merece ser destrinchado e absorvido nos mínimos detalhes. A primeira obra prima do ano.

Lançamento nacional pela Slag Records.

Site Oficial: www.arcadefire.com

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Arcade Fire"

PreçosPreços
Quanto custa para contratar a sua banda favorita

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Arcade Fire"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Phil Anselmo, Dimebag, Rex Brow e Vinnie Paul

Dave MustaineDave Mustaine
A bizarra semelhança com um Cocker Spaniel

Paula FernandesPaula Fernandes
Aos 19 anos ela ia em shows de Black Metal

5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19845000 acessosDuff McKagan: 3 litros de vodka, 3 gramas e meio de cocaína5000 acessosLegião Urbana: O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre5000 acessosDimmu Borgir: não faz sentido usar jeans e camiseta branca5000 acessosIron Maiden: "O que você precisa saber está no palco!"5000 acessosHard Rock e Metal: os vinte discos mais vendidos nos EUA

Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online