Kiss: de 75 a 2000, "a banda mais quente do mundo!"

Resenha - Alive! 1975 2000 - Kiss

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Otávio Augusto Juliano
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


“Vocês querem o melhor. Vocês têm o melhor: a banda mais quente do mundo, KISS!” É com essa introdução que se iniciam as apresentações ao vivo da banda, sendo este Box Set uma ótima amostra da intensidade e qualidade dos shows do Kiss, pois reúne os três primeiros “Alives” lançados anteriormente e ainda um quarto disco inédito – a gravação ao vivo da apresentação denominada “The Millennium Concert”, realizada em 31/12/1999, em Vancouver, no Canadá.
413 acessosMarcos de Ros: Gene Simmons, o Capitalista Malvadão5000 acessosSinceridade: e se as capas de discos dissessem a verdade?

Como quase todo o material lançado pelo Kiss ao longo de mais de 30 anos de carreira, este Box Set possui uma apresentação impecável em digipack, incluindo livreto de 72 páginas, com fotos, declarações dos integrantes e as capas e créditos originais de todos os “Alives”.

No “Alive I”, lançado originalmente em 1975, tem-se um ótimo apanhado das melhores canções extraídas dos três primeiros álbuns de estúdio da banda, o auto-intitulado “Kiss”, o “Hotter Than Hell” e o “Dressed To Kill”, sendo deste último o maior sucesso da banda em todos os tempos: o hino “Rock n` Roll All Nite”. Todo o álbum é ótimo, mas destaco a abertura do show, com “Deuce”, a ótima “Let Me Go, Rock n´ Roll” e ainda “100.000 Years” e “Cold Gin”, que mostram um Peter Criss comandando muito bem as baquetas e em plena forma na década de 70.

Com o sucesso desse primeiro “Alive”, o Kiss não demorou muito para lançar o segundo da série: “Alive II”, comercializado dois anos mais tarde, em 1977. Nesse álbum, o repertório é formado pelas principais canções dos três discos seguintes aos citados acima, contendo as melhores trilhas de “Destroyer”, “Rock All Roll Over” e “Love Gun”. Também um trabalho de destaque, originalmente lançado com cinco faixas-bônus de estúdio, dentre elas “Larger Than Life”, “All American Man” e “Rockin` in the USA”, com as linhas de guitarra executadas por Bob Kulick. E para atrair mais compradores, este segundo CD do Box Set teve ainda incluída uma última faixa adicional, a “single version” de “Rock n´ Roll All Nite” (gravada em 1975).

Para os fãs mais antigos, apenas esses dois “Alives” já bastariam, pois reúnem as principais músicas dos seis primeiros discos. Mas o Kiss nunca se cansa e, em 1993, veio o “Alive III”. É o álbum mais indicado aos ardorosos fãs da musicalidade da década de 80, dominada por bandas de Glam e Hard Rock. O Kiss flertou bastante com os estilos predominantes na época, tirou as máscaras e definitivamente adotou um visual mais colorido. A maioria das músicas selecionadas para esse “Alive III” provém desse período, como “Unholy”, “Heaven`s On Fire”, “Lick It Up”, a balada “Forever” e a impagável “I Just Wanna”, com um refrão de duplo sentido muito interessante. Paul Stanley, nesse “Alive III”, mostra toda a sua qualidade vocal, principalmente para as canções mais lentas e as baladas, interagindo a todo momento com o público do show. Como bônus tem-se a faixa “Take It Off”, que não havia sido incluída na edição americana do CD, embora para os brasileiros não seja novidade (a versão nacional de “Alive III” já contava com essa música). Importante salientar que este álbum ao vivo traz como integrantes os competentes Eric Singer (bateria) e Bruce Kulick (guitarra), além de Gene e Paul, obviamente.

Por fim, o quarto disco deste Box Set, denominado “Alive: The Millennium Concert”, é totalmente inédito, resultado de uma apresentação ocorrida na virada de 1999/2000. Esse álbum já havia sido anunciado anteriormente, mas seu lançamento acabou sendo prorrogado inúmeras vezes, vindo somente a ser comercializado agora (e por enquanto apenas como parte integrante deste Box Set avaliado). O legal desse disco é que algumas faixas, como “Heaven`s On Fire” e “Lick It Up”, embora sejam da fase sem máscara, nesse show foram tocadas por Ace e Peter. Ao todo são 15 faixas, reunindo um apanhado geral (bem geral, aliás) de toda a carreira do Kiss, incluindo até mesmo músicas do último álbum de estúdio da banda - “Psycho Circus”.

Enfim, o custo/benefício deste Box Set é realmente interessante. Para quem não possui nenhum dos “Alives” é uma excelente opção, pois se comprados separadamente (somente o “Alive III” possui versão nacional e o “Alive:The Millennium Concert” por enquanto não é vendido avulso), o gasto total será inegavelmente maior. Para quem já tem alguns ou todos os três “Alives” já lançados e não for um colecionador assíduo, vale a pena somente se houver interesse na audição do quarto CD inédito. De qualquer forma, o material é todo remasterizado e muito bem feito, com excelente acabamento.

Importado – Island

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Paul StanleyPaul Stanley
"Guitarristas não aprendem a fazer base"

413 acessosMarcos de Ros: Gene Simmons, o Capitalista Malvadão483 acessosAce Frehley: "Anomaly" ganha versão deluxe; ouça música inédita762 acessosKiss: bicicleta de triathlon em edição limitada0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Kiss"

KissKiss
Como seria se Gene Simmons fosse guitarrista?

Peter CrissPeter Criss
Baterista fala sobre Kiss, Ace, grana e poder

Nikki SixxNikki Sixx
Detonando comentários "idiotas" de Gene Simmons

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Kiss"

SinceridadeSinceridade
E se as capas de discos dissessem a verdade?

CinemaCinema
As 10 melhores aparições de bandas em filmes

MirandaMiranda
"Um monte de roqueirinho que só quer ser da Globo"

5000 acessosSlash: A lição aprendida após espalhar que Paul Stanley era gay5000 acessosCorey Taylor: sonhando com sexo grupal com Lita Ford e Doro Pesch5000 acessosRoqueiros conservadores: a direita do rock na revista Veja5000 acessosEm cana: bandas que gravaram video clipes em presídios de verdade5000 acessosIron Maiden: a outra banda anterior ao grupo de Steve Harris5000 acessosAlice In Chains: "está cada vez mais difícil manter este negócio"

Sobre Otávio Augusto Juliano

Otávio é paulistano, tem 29 anos e faz algo nada a ver com o Rock: é advogado. Por gostar muito de música e não possuir talento algum para tocar instrumentos musicais, tornou-se um comprador compulsivo de cds. Sempre interessado em leitura ligada ao Rock e Metal, começou a enviar algumas pequenas colaborações para a Whiplash e hoje contribui principalmente com textos relacionados ao Hard Rock, estilo musical de sua preferência. De qualquer forma, é eclético e não dispensa álbuns de todas as demais vertentes do Metal, sendo fã incondicional de W.A.S.P., Mötley Crüe e dos trabalhos do guitarrista Steve Stevens.

Mais matérias de Otávio Augusto Juliano no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online