Resenha - Broken Boy Soldiers - Raconteurs

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Danton Boattini Jr
Enviar correções  |  Ver Acessos


O rock and roll está repleto de clichês. As revistas de rock também, assim como este texto. É assim desde que Elvis desceu da boléia do caminhão para chacoalhar os quadris na televisão. Não foi diferente com a ascensão meteórica dos Beatles e com as insinuações sensuais dos Rolling Stones. Nem com as quebradeiras de hotéis promovidas por John Bonham e, com menor inspiração, por Axl Rose.

Tragédias: 10 das piores ocorridas em shows de Rock e MetalCapas: 10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhos

Os Raconteurs parecem ter juntado tudo isso para fazer um disco que não tem nada de novo. Fizeram o principal álbum de 2006, "Broken Boy Soldiers". Todos os ingredientes estão lá: um hit grudento para ganhar o público das rádios ("Steady As She Goes"), uma balada romântica para agradar os amantes ("Together"), riffs explosivos para ouvir balançando a cabeça ("Hands", "Level", e por aí vai) e, claro, um grande aparato de divulgação. Não poderia ser diferente por se tratar da nova banda de uma das principais celebridades do rock deste século. Felizmente, Jack White mostrou ser mais do que o mentor do duo White Stripes. Ao lado de Brendan Benson (vocal e guitarra), Jack Lawrence (baixo) e Patrick Keeler (bateria), White criou maravilhas como a bela e preguiçosa "Call It A Day" - com backings a la "Pet Sounds" - e o blues rasgado de "Blue Veins", além das já citadas.

Considerando que 2006 tenha sido um ano bom para o rock (tivemos a volta de Bob Dylan, do The Who, dos Mutantes, embora controversa, disco novo dos Beatles, a nova incursão de Caetano, e novidades como TV on the Radio e Arctic Monkeys), nada mais justo - embora um exercício inútil - que exaltar quem melhor preservou a "tradição". Não é preciso fazer música sem guitarras ou tocar de cabeça para baixo para inventar o rock do novo milênio. Tampouco se faz necessário usar a tecnologia para deixar o rock com a cara da nossa era. Basta plugar a guitarra, soltar um riff sujo e fazer o que tem que ser feito.

Ah, "Broken Boy Soldiers" ficou apenas na 21ª posição na lista da NME, que é liderada pelo Arctic Monkeys. Só para constar: o 5º colocado é o infame Cansei de Ser Sexy.


Outras resenhas de Broken Boy Soldiers - Raconteurs

Resenha - Broken Boy Soldiers - RaconteursResenha - Broken Boy Soldiers - Raconteurs




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Raconteurs"


Tragédias: 10 das piores ocorridas em shows de Rock e MetalTragédias
10 das piores ocorridas em shows de Rock e Metal

Capas: 10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhosCapas
10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhos


Sobre Danton Boattini Jr

Jornalista, 22 anos, nascido em Porto Alegre. Formado em Jornalismo, atua na cobertura política em um jornal diário de Erechim (RS). Tem um gosto musical eclético, que vai desde o rock inglês dos anos 1960 até as bandas alternativas e psicodélicas atuais, passando pelo hard do Thin Lizzy e o heavy do Metallica das primeiras formações. Também curte MPB e é fã de Chico Buarque, Caetano e Tom Zé. É gremista!

Visite o site do autor: http://leituramusical.zip.net.

Mais matérias de Danton Boattini Jr no Whiplash.Net.

adClioIL