Matérias Mais Lidas

imagemFilho de Trujillo fez guitarra na "Master of Puppets" que toca em Stranger Things

imagemMetallica em "Stranger Things" deixa fãs preocupados com a "popularização" da banda

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemSummer Breeze Open Air Brasil acontece em abril de 2023 em São Paulo

imagemLady Gaga: "o Iron Maiden mudou a minha vida!"

imagemPink Floyd: Suas 10 músicas mais subvalorizadas, segundo a What Culture

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemMorre aos 43 anos Andrew LaBarre, ex-guitarrista e vocalista da banda Impaled

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal


Airbourne 2022

Resenha - Orgasmatron (2-Disc Deluxe Expanded Edition) - Motorhead

Por Rodrigo Werneck
Em 11/06/06

Nota: 8

Com a saída do guitarrista Brian Robertson, que com eles gravou apenas um disco (o excelente "Another Perfect Day"), o Motörhead se viu novamente confrontado com a situação de ter que escolher um novo capitão para as seis cordas. Lemmy e Philthy Animal Taylor ficaram na dúvida entre dois candidatos: Mike "Wurzel" Burston e Phil Campbell. Em vez de optar por um, escolheram os dois. O resultado foi o disco "Orgasmatron", agora relançado em versão expandida.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Curiosamente, no início da história do Motörhead, quando Larry Wallis era ainda o guitarrista, Lemmy quis que Fast Eddie Clarke entrasse para compor uma dupla de "axemen". Wallis, entretanto, saiu, e o grupo permaneceu na sua formação de trio. Isso, portanto, até 1984, quando Wurzel e Campbell se juntaram a Lemmy (baixo, vocal) e Taylor (bateria).

Por causa disso, e pelo fato da banda ter deixado o selo Bronze Records após tantos anos de parceria, o disco novo acabou saindo somente em 1986. Nessa época, Taylor havia deixado a banda temporariamente, sendo substituído por Pete Gill, ex-Saxon.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O produtor convocado foi Bill Laswell, que tinha um background eclético de trabalho com artistas em sua maioria de outros estilos. Esse fato, somado a uma mudança de estilo que já se delineava no disco anterior, mostrou novos ares e novos caminhos a serem percorridos pelo grupo.

Mas isso não significa de forma alguma que a banda tenha tornado seu som muito mais acessível. Pedradas estão ainda presentes, e pelo menos 4 clássicos, até hoje freqüentes em shows: "Deaf Forever", "Built For Speed", "Doctor Rock" e a faixa-título, muito famosa aqui no Brasil. Essas duas últimas, por sinal, já foram regravadas respectivamente pelo Dr. Sin e pelo Sepultura.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

As demais faixas são fortes também, sendo um disco bastante coeso. O fato de dois guitarristas estarem na banda aumentou as possibilidades de arranjos, pois quando um está solando, o outro está fazendo a base, e por vezes os dois duelam. O baterista Pete Gill mostrou que não sentiu o peso de substituir Taylor, mantendo uma pegada firme e bem no estilão de seu antecessor, inserindo viradas rápidas sempre que apropriado.

O segundo CD deste pacote, como sempre, inclui o material bônus. Além das indefectíveis faixas que constavam de singles, está um show da banda no festival "The Kerrang! Wooargh Weekender", ainda em 1984, organizado pela revista Kerrang!. Neste show é nítido que a formação nova, embora ainda se entrosando, já demonstrava todo o seu potencial, apresentando clássicos do grupo e músicas recém-compostas.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Mais uma vez a produção gráfica é toda bastante caprichada, com a tradicional "slipcase" externa e encarte extenso, incluindo texto do jornalista Malcolm Dome, e várias fotos.

CD 1 (original album)

1. Deaf Forever
2. Nothing Up My Sleeve
3. Ain’t My Crime
4. Claw
5. Mean Machine
6. Built For Speed
7. Ridin’ With The Driver
8. Doctor Rock
9. Orgasmatron

CD 2 (bonus tracks)

1. On The Road (live 12" single b-side)
2. Steal Your Face (live 12" single b-side)
3. Claw (alternative version)
The Kerrang! Wooargh Weekender
Live From Caister, Great Yarmouth, 13th October 1984:
4. Stay Clean
5. Heart Of Stone
6. Nothing Up My Sleeve
7. Metropolis
8. Killed By Death
9. Ace Of Spades
10. Steal Your Face
11. (We Are) The Road Crew
12. Motörhead
13. Bomber
14. Overkill

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Website da banda: http://www.imotorhead.com/

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Grupo de post-metal Tombs lança "Killed by Death", do Motörhead


Motorhead: Quando os deuses se encontram



Sobre Rodrigo Werneck

Carioca nascido em 1969, engenheiro por formação e empresário do ramo musical por opção, sendo sócio da D'Alegria Custom Made (www.dalegria.com). Foi co-editor da extinta revista Musical Box e atualmente é co-editor do site Just About Music (JAM), além de colaborar eventualmente com as revistas Rock Brigade e Poeira Zine (Brasil), Times! (Alemanha) e InRock (Rússia), além dos sites Whiplash! e Rock Progressivo Brasil (RPB). Webmaster dos sites oficiais do Uriah Heep e Ken Hensley, o que lhe garante um bocado de trabalho sem remuneração, mais a possibilidade de receber alguns CDs por mês e a certeza de receber toneladas de e-mails por dia.

Mais matérias de Rodrigo Werneck.