Resenha - Orgasmatron (2-Disc Deluxe Expanded Edition) - Motorhead

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Werneck
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Com a saída do guitarrista Brian Robertson, que com eles gravou apenas um disco (o excelente “Another Perfect Day”), o Motörhead se viu novamente confrontado com a situação de ter que escolher um novo capitão para as seis cordas. Lemmy e Philthy Animal Taylor ficaram na dúvida entre dois candidatos: Mike “Wurzel” Burston e Phil Campbell. Em vez de optar por um, escolheram os dois. O resultado foi o disco “Orgasmatron”, agora relançado em versão expandida.
1182 acessosMikkey Dee: Obras de arte feitas a partir do movimento das baquetas5000 acessosDave Mustaine: "há bandas cujo nome me ofende"

Curiosamente, no início da história do Motörhead, quando Larry Wallis era ainda o guitarrista, Lemmy quis que Fast Eddie Clarke entrasse para compor uma dupla de “axemen”. Wallis, entretanto, saiu, e o grupo permaneceu na sua formação de trio. Isso, portanto, até 1984, quando Wurzel e Campbell se juntaram a Lemmy (baixo, vocal) e Taylor (bateria).

Por causa disso, e pelo fato da banda ter deixado o selo Bronze Records após tantos anos de parceria, o disco novo acabou saindo somente em 1986. Nessa época, Taylor havia deixado a banda temporariamente, sendo substituído por Pete Gill, ex-Saxon.

O produtor convocado foi Bill Laswell, que tinha um background eclético de trabalho com artistas em sua maioria de outros estilos. Esse fato, somado a uma mudança de estilo que já se delineava no disco anterior, mostrou novos ares e novos caminhos a serem percorridos pelo grupo.

Mas isso não significa de forma alguma que a banda tenha tornado seu som muito mais acessível. Pedradas estão ainda presentes, e pelo menos 4 clássicos, até hoje freqüentes em shows: “Deaf Forever”, “Built For Speed”, “Doctor Rock” e a faixa-título, muito famosa aqui no Brasil. Essas duas últimas, por sinal, já foram regravadas respectivamente pelo Dr. Sin e pelo Sepultura.

As demais faixas são fortes também, sendo um disco bastante coeso. O fato de dois guitarristas estarem na banda aumentou as possibilidades de arranjos, pois quando um está solando, o outro está fazendo a base, e por vezes os dois duelam. O baterista Pete Gill mostrou que não sentiu o peso de substituir Taylor, mantendo uma pegada firme e bem no estilão de seu antecessor, inserindo viradas rápidas sempre que apropriado.

O segundo CD deste pacote, como sempre, inclui o material bônus. Além das indefectíveis faixas que constavam de singles, está um show da banda no festival “The Kerrang! Wooargh Weekender”, ainda em 1984, organizado pela revista Kerrang!. Neste show é nítido que a formação nova, embora ainda se entrosando, já demonstrava todo o seu potencial, apresentando clássicos do grupo e músicas recém-compostas.

Mais uma vez a produção gráfica é toda bastante caprichada, com a tradicional “slipcase” externa e encarte extenso, incluindo texto do jornalista Malcolm Dome, e várias fotos.

CD 1 (original album)

1. Deaf Forever
2. Nothing Up My Sleeve
3. Ain’t My Crime
4. Claw
5. Mean Machine
6. Built For Speed
7. Ridin’ With The Driver
8. Doctor Rock
9. Orgasmatron

CD 2 (bonus tracks)

1. On The Road (live 12” single b-side)
2. Steal Your Face (live 12” single b-side)
3. Claw (alternative version)
The Kerrang! Wooargh Weekender
Live From Caister, Great Yarmouth, 13th October 1984:
4. Stay Clean
5. Heart Of Stone
6. Nothing Up My Sleeve
7. Metropolis
8. Killed By Death
9. Ace Of Spades
10. Steal Your Face
11. (We Are) The Road Crew
12. Motörhead
13. Bomber
14. Overkill

Website da banda: http://www.imotorhead.com/

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Lemmy escreveu músicas famosas de sua carreira solo

1182 acessosMikkey Dee: Obras de arte feitas a partir do movimento das baquetas970 acessosLemmy: Dave Grohl não acreditou que ele tinha um coração0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Motorhead"

MatanzaMatanza
Jimmy se arrepende de não ter falado com Lemmy

Judas Priest e MotorheadJudas Priest e Motorhead
Faulkner e Campbell em foto suspeita!

Heavy MetalHeavy Metal
Cinco discos necessários dos anos setenta

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Motorhead"

Dave MustaineDave Mustaine
"Há bandas cujo nome me ofende"

KissKiss
"Rock não tem segredos! É trabalho para otários!"

ExcessosExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões

5000 acessosRock Cristão: as principais bandas nacionais5000 acessosBlaze Bayley: "é melhor ser ex do Iron que do A-HA"5000 acessosSlayer: as preferências do guitarrista Kerry King2891 acessosOpeth: "Não queremos apenas ser diferentes!"5000 acessosMetal Brasileiro: 10 álbuns que mereciam ser relançados (Parte 1)4217 acessosMashups: Quando as maiores bandas se fundem

Sobre Rodrigo Werneck

Carioca nascido em 1969, engenheiro por formação e empresário do ramo musical por opção, sendo sócio da D’Alegria Custom Made (www.dalegria.com). Foi co-editor da extinta revista Musical Box e atualmente é co-editor do site Just About Music (JAM), além de colaborar eventualmente com as revistas Rock Brigade e Poeira Zine (Brasil), Times! (Alemanha) e InRock (Rússia), além dos sites Whiplash! e Rock Progressivo Brasil (RPB). Webmaster dos sites oficiais do Uriah Heep e Ken Hensley, o que lhe garante um bocado de trabalho sem remuneração, mais a possibilidade de receber alguns CDs por mês e a certeza de receber toneladas de e-mails por dia.

Mais matérias de Rodrigo Werneck no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online