Resenha - Funeral Album - Sentenced

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


A esta altura já não é nenhuma novidade que "The Funeral Album" é o derradeiro registro do espetacular Sentenced. Uma existência que teve seu início na gélida Finlândia em 1989, cuja proposta musical era o mais puro death metal e que, com o passar do tempo, foi adquirindo contornos cada vez mais melódicos, até se tornar uma referência mundial com sua música pesada e melancólica.

Metal Moderno: 5 bandas aptas a se tornarem clássicasRock Stars: como se pareceriam alguns se não tivessem morrido

Agora, 16 anos depois, uma carreira muito bem sucedida e com este seu oitavo e último (?) álbum de estúdio, o Sentenced decide encerrar suas atividades em prol de uma maior dedicação para com seus familiares e levar adiante outros projetos. A formação vem se mantendo estável há anos e continua afiadíssima, trazendo Ville Laihiala (voz), Miika Tenkula (guitarra), Sami Lopakka (guitarra), Sami Kukkohovi (baixo) e Vesa Ranta (bateria).

As canções de "The Funeral Album", de maneira consciente ou não, conseguem trazer uma boa síntese de tudo o que este quinteto já fez em termos de música. Em geral é mais melodioso, não possuindo aquela distorção de seu antecessor. Não há muito mais o que comparar com o brilhante "The Cold White Light", porém este registro tem inúmeros momentos que, durante a audição, já sente-se grande pesar em imaginar que não haverá mais composições assim no futuro.

Grandes doses de sentimento vão para "May Today Become The Day", "Ever-Frost" e "Despair-Ridden Hearts", que são até certo ponto básicas, mas que conquistam pelo seu ritmo cadenciado e pegajoso. "We Are But Falling Leaves" é uma semi-balada belíssima, que difere bastante do que o Sentenced já fez em sua carreira.

Momentos inesperados estão em "Where Waters Fall Frozen", curta instrumental que se desloca completamente do álbum por ser bem próxima do death metal que foi o início da carreira do conjunto. Ótimos os coros de crianças em "Vengeance Is Mine", cujo final apresenta a inserção de uma canção de ninar que, pelo jeito, é conhecida no mundo todo. Ainda sobre coros infantis, em "End Of Road", o que fizeram aqui é brincadeira. A canção é depressiva, densa; e a presença destas crianças somados ao badalar de um sino tornou a faixa muito fantasmagórica, fechando com o melhor solo de guitarra do disco, tornando a música o grande destaque de todo o álbum.

E aqui acabam-se estas linhas. Se realmente for o fim da conjunto, "The Funeral Album" é um legado digno para os amantes de Heavy Metal. De qualquer maneira, como grande admirador da música do Sentenced, fica aqui meus agradecimentos à banda pelos bons momentos que passei - e que continuarei passando - apreciando sua arte.

SENTENCED - The Funeral Album
(2005 - Century Media)

01. May Today Become The Day
02. Ever-Frost
03. We Are But Falling Leaves
04. Her Last 5 Minutes
05. Where Waters Fall Frozen
06. Despair-Ridden Hearts
07. Vengeance Is Mine
08. A Long Way To Nowhere
09. Consider Us Dead
10. Lower The Flags
11. Drain Me
12. Karu
13. End Of The Road

Homepage: www.sentenced.org


Outras resenhas de Funeral Album - Sentenced

Sentenced: The Funeral Album é despedida em grande estiloResenha - Funeral Album - Sentenced




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Sentenced"


Metal Moderno: 5 bandas aptas a se tornarem clássicasMetal Moderno
5 bandas aptas a se tornarem clássicas

Rock Stars: como se pareceriam alguns se não tivessem morridoRock Stars
Como se pareceriam alguns se não tivessem morrido

Tony Iommi: opiniões sobre Dio, Rhoads e HalfordTony Iommi
Opiniões sobre Dio, Rhoads e Halford

Malmsteen: Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarristaMalmsteen
Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista

Marilyn Manson: 7 coisas que você não sabia sobre eleMarilyn Manson
7 coisas que você não sabia sobre ele

Pantera: Por que Cowboys From Hell em uma camiseta do Vulgar Display Of Power?Pantera
Por que "Cowboys From Hell" em uma camiseta do "Vulgar Display Of Power"?

Max Cavalera: de onde vem tanta inconveniência?Max Cavalera
De onde vem tanta inconveniência?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClioIL