Resenha - Last Supper - Grave Digger

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Há um ditado que se aplica perfeitamente ao Grave Digger: "quanto mais velho, melhor o vinho"... Enquanto muitos conjuntos têm dificuldades em praticar ou reciclar uma mesma fórmula musical de maneira criativa, os alemães do Grave Digger se saem com freqüência muito bem com seu Heavy Metal prá lá de tradicional, como é o caso deste seu 15º álbum, o muito bom "The Last Supper".

Slayer: fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela bandaFilhos de Rockstars: qualquer coincidência é semelhança

Trazendo o veterano Chris Bolthendahl (vozes), Manfred Schmidt (guitarras), Jens Becker (baixo), o esqueleto Hanz Peter (teclados) e Stefan Arnold (bateria), aqui a banda interrompeu temporariamente sua tendência em fazer álbuns conceituais de sonoridade mais sinfônica e partiu para um álbum englobando assuntos mais diversos. Porém, musicalmente, tudo o que se conhece e espera do verdadeiro power metal que consagrou o Grave Digger está neste disco.

Como já é inerente à proposta da banda, o peso e aspereza da década de oitenta vêm muito bem produzidos, com uma gravação moderna, onde se percebe os vários detalhes das composições. Em vários momentos a sonoridade do Grave Digger vem mesclada com algo do Black Sabbath oitentista e riffs à la Iron Maiden. E o principal: é sempre gratificante observar Chris fornecer seu característico toque vocal, cheio de força, e que é tão importante para a banda; é a marca registrada que a torna diferenciada das outras bandas do gênero.

Num disco onde as canções são bem elaboradas e variadas, destaca-se tranqüilamente a bela e cadenciada faixa-título, as velozes "Desert Rose" e "Divided Cross", que ao vivo funcionarão muito bem; o já citado riff meio Maiden na galopante "Soul Savior" e a não tão agressiva, porém incrível "Crucified", onde se canta de maneira mais limpa e dona de um refrão pegajoso, que mostra o quão versátil pode-se tornar sem fugir de sua linha musical.

Se você for um amante deste gênero, pode conferir "The Last Supper", sendo ainda que a versão nacional traz ainda duas faixas-bônus, "Sleepless" e "Jeepers Creepers", que não ficam devendo em absolutamente nada em relação às outras canções do CD. Não há como se decepcionar com uma banda que vem mantendo seu carisma quase intacto há mais de 20 anos, e pelo jeito não há esperanças deste fato se dissipar...

GRAVE DIGGER - The Last Supper
(2005 - Nuclear Blast / Laser Company Records)

01. Passion
02. The Last Supper
03. Desert Rose
04. Grave In The No Man's Land
05. Hell To Pay
06. Soul Savior
07. Crucified
08. Divided Cross
09. The Night Before
10. Black Widows
11. Hundred Days
12. Always And Eternally
13. Sleepless (faixa-bônus)
14. Jeepers Creepers (faixa-bônus)

Homepage: www.grave-digger.de


Outras resenhas de Last Supper - Grave Digger

Resenha - Last Supper - Grave DiggerResenha - Last Supper - Grave DiggerResenha - Last Supper - Grave Digger




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Grave Digger"


Capas: as 10 mais bonitas lançadas em 2014 eleitas por blogCapas
As 10 mais bonitas lançadas em 2014 eleitas por blog

Metal Alemão: as 10 melhores bandas segundo o About.comMetal Alemão
As 10 melhores bandas segundo o About.com

Anos 90: 10 shows pouco comentadosAnos 90
10 shows pouco comentados


Slayer: fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela bandaSlayer
Fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela banda

Filhos de Rockstars: qualquer coincidência é semelhançaFilhos de Rockstars
Qualquer coincidência é semelhança

Lemmy Kilmister: Estou pronto para morrer. Minha vida foi boaLemmy Kilmister
"Estou pronto para morrer. Minha vida foi boa"

Metallica: a evolução de James Hetfield ao longo dos anosMetallica
A evolução de James Hetfield ao longo dos anos

Vocalistas: cantora clássica analisa cinco ícones do Heavy MetalVocalistas
Cantora clássica analisa cinco ícones do Heavy Metal

Tradução: O clássico Heaven And Hell, do Black SabbathTradução
O clássico Heaven And Hell, do Black Sabbath

Haja pente: os músicos mais cabeludos e barbudos do RockHaja pente
Os músicos mais cabeludos e barbudos do Rock


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336