Matérias Mais Lidas

imagemA música do Raul Seixas com erro gramatical que parece um plágio mas é uma homenagem

imagemO arrependimento que David Bowie carregava em relação a Elvis Presley

imagemTestament está confirmado na edição brasileira do Summer Breeze, segundo jornalista

imagemRick Wakeman relembra época em que o Yes abria show para o Black Sabbath

imagemA dura bronca dos Titãs em Nando Reis durante gravação de "Titanomaquia"

imagemRolling Stones: Keith Richards compara tocar com Brian Jones, Mick Taylor e Ron Wood

imagemShow do Dream Theater em São Paulo não será mais realizado no Pavilhão Pacaembu

imagem4 hits do Deep Purple cujos riffs Ritchie Blackmore já confessou ter copiado

imagemA reação de Stevie Ray Vaughan ao ouvir Jimi Hendrix pela primeira vez

imagemRob Trujillo presta tributo ao Rage Against The Machine após shows em Nova Iorque

imagemThin Lizzy e o álbum picareta de covers do Deep Purple que garantiu sua sobrevivência

imagemO hit dos Engenheiros sobre Humberto não querer ser guru dos jovens igual Renato Russo

imagemRoger Waters sobre tocar Pink Floyd sem David Gilmour: "Não tenho problema algum"

imagemPor que o processo de composição da Legião Urbana e Engenheiros era tão diferente?

imagemCinquenta grandes músicas lançadas por bandas de rock e heavy metal em 2022


Stamp

Resenha - Strenght, Power, Will, Passion - Holy Moses

Por Rafael Carnovale
Em 11/06/05

Nota: 8

Quem pensa que estamos diante de uma banda nova ou de mais uma banda com vocais femininos vai se enganar. Os alemães do Holy Moses estão na ativa desde o início dos anos 80, quando lançaram seu primeiro demo ("Black Metal Masters"). Liderados pela vocalista Sabrina Classen e por seu marido Andy Classen, a banda lançou 9 álbuns, sendo o último, "Disorder of the Order", de 2002. Com algumas aparições em festivais europeus e boas turnês, o Holy Moses se solidificou como uma das bandas mais criativas do heavy/thrash, embora nem sempre tenha recebido o crédito merecido. Andy deixou o barco em 2003, e Sabrina seguiu com a banda, lançando este novo CD em abril de 2005.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

A banda continua com a mesma pegada thrash que sempre a caracterizou. "Angel Cry" já inicia o CD como uma paulada, com "riffs" cortantes e o vocal de Sabrina, que está mais para Angela Gossow do que para Tarja Turunen (respeito ambas!!!). A pancadaria prossegue com "End of Time" e "Symbol of Spirit" (mais cadenciada).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Bons duetos de guitarras abrem "Examination", enquanto que um "pseudo" toque suave introduz "Space Clearing" aos nossos ouvidos, dando sequência a uma levada pesadíssima. Outros destaques ficam para a fusão de "speed" e "thrash" de "Lost Inside" e "Death Bells II" (aonde você nunca imaginaria que estamos diante de uma vocalista). "Say Goodbye" encerra o cd com peso e velocidade, que são a tônica do mesmo.

Há uma certa insistência no thrash e no speed, já que faixas rápidas e pesadas são predominantes no CD, mas tudo é feito com extrema competência, não soando enjoativo. As guitarras de Franky Bratz e Maichael Hankel são metralhadoras de "riffs" sanguinários, apoiadas pela cozinha de "Alex DeBlanco" (baixo) e Julien Schmidt (bateria).

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O Holy Moses optou por não inovar, já que teve que suprir a perda de Andy, que junto com Sabrina formava o núcleo criativo. Mas a mostrar pelo entrosamento desta banda, o próximo CD será ainda melhor. Se é que é possível.... ah!!!!

OBRIGATÓRIO!!!

Site Oficial: http://www.holymoses.de

Material Cedido Por:
Armagedon Records.
http://www.armagedon-music.com
Hamburgo - Alemanha


Outras resenhas de Strenght, Power, Will, Passion - Holy Moses

Resenha - Strenght, Power, Will, Passion - Holy Moses

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net



publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Mick Jagger: em cerimônia na escola do filho em São Paulo

Oh, não!: clássicos do Rock Heavy Metal e que foram "estragados" pelo tempo


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale.