Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemAnitta é a maior roqueira que existe hoje no Brasil, diz integrante do Titãs

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita

imagemBruce Dickinson revela qual é sua música preferida do Iron Maiden

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemJoão Gordo compara anarcocapitalistas com quem acredita em terraplanismo

imagemRock in Rio libera ingressos extras e novamente dia do metal é único que não esgota

imagemA reação de Jimi Hendrix ao assistir King Crimson ao vivo

imagemTommy Lee postou uma foto com o "Dr. Feelgood" de fora

imagemPrika diz que fez "tudo errado" na primeira turnê da Nervosa, mas aprendeu lição

imagemNova Fã que descobriu Metallica por Stranger Things quer cancelar banda e reúne provas

imagemNergal diz que vocalista do Arch Enemy é mais corajosa do que muito metaleiro homem

imagemO hit da Legião que Renato Russo compôs para Cássia Eller e traz coincidência trágica

imagemVídeo de clássico do Kiss é disponibilizado no canal oficial da banda

imagemGeddy Lee e Alex Lifeson tocam clássica do Rush em evento nos EUA


Dream Theater 2022

Resenha - Accidentally On Purpose - Gillan & Glover

Por Maurício Gomes Angelo
Em 29/05/05

Nota: 7

Devo confessar que eu tinha medo de "Accidentally On Purpose". Tinha medo porque o fato de Ian Gillan e Roger Glover, dois monstros sagrados do rock n’ roll terem se aventurado em álbuns solos indicava a tentativa de fugir um pouco do estilo de sua banda (o Deep Purple, duh!) e isso tanto poderia ser excelente – se bem trabalhado – quanto um desastre lamentável. Meu receio foi confirmado em parte, como ficará claro a seguir.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A primeira, "Clouds And Rain" é uma balada razoável, pensei: "legal, o resto do álbum deve ser muito superior". Aí vem "Evil Eye", que é uma ótima música, isso se o seu sonho for voltar aos anos 70 para freqüentar o Studio 54. "She Took My Breath Away" parece trilha sonora de desenho da Disney, o que, no caso, não é um elogio, e essa seqüência indigesta culmina com "Dislocated" – que apesar do curto solo de sax, é a mais constrangedora de todas.

Aí as coisas melhoram com a maravilhosa "Via Miami", um típico rockabilly retrô até o osso (a exemplo de "The Purple People Eater" e "Telephone Box", ainda melhor pelos arranjos de metais), continuando nos trilhos com "I Can’t Dance To That", gostosíssimo hard rock suingado na medida certa e que demonstra com precisão a linha que deveria imperar neste trabalho, sendo a melhor das 13. E a boa fase permanece (oh!, que maravilha) no jazz-fusion de "Can´t Believe You Wanna Leave". "Lonely Avenue" é um bom exemplo de r&b bem feito, contendo uma interpretação cativante de Ian.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A parte valorosa do material encerra-se com "I Thoug No", blues purinho, direto da fonte, elevando climas que só uma harmônica bem tocada consegue propiciar.

Quando ameaçamos esboçar um sorriso no rosto, vem "Cayman Island", rivalizando com "Dislocated" no quesito "vergonha", pois é um reggaezinho que, com o perdão da palavra, está completamente deslocado.

É esta colcha de retalhos o grande problema de "Accidentaly On Purpose", as composições não transparecem uma unidade, um fio condutor razoavelmente equilibrado entre elas e aí cai-se em momentos de puro êxtase intercalados por todo tipo de influências da dupla – não necessariamente nefastas mas colocadas erroneamente - que conseguiram reunir.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não se trata de ter a cabeça aberta e/ou apreciar vários outros estilos musicais que não se encaixam no contexto rock/metal, até porque este que vos fala insere-se nos dois grupos, mas a verdade a ser encarada é que o álbum é muito inferior ao que gostaríamos de admitir. Podemos resumir dizendo que sua polpa (seu núcleo) é realmente saborosa, entretanto, as extremidades beiram ao ridículo.

Divertido e despreocupado, porém, abaixo das expectativas.

Formação:
Ian Gillan (Vocal)
Roger Glover (Baixo)
Randy Brecker (Guitarra)
Andy Newmark (Bateria)
Dr. John (Piano)

Site Oficial: http://www.deep-purple.com

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de Accidentally On Purpose - Gillan & Glover

Resenha - Accidentally On Purpose - Gillan & Glover

Resenha - Accidentally On Purpose - Gillan & Glover

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Kiss: como foi demitir Eric Carr em seu leito de morte

O Whiplash.Net protege algumas bandas e prejudica outras?


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo.