Resenha - Terrorizer - Dispatched

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos


O sueco Dispatched já vem batalhando desde 1991, soltando demos e EPs até chegar ao seu primeiro registro oficial em 2000. Chega agora no mercado brasileiro "Terrorizer", seu novo disco trazendo o death metal melódico típico de seu país.

Top 5 Metallica: About.com elege os cinco melhores álbunsIron Maiden: quinze canções que definem a banda

Tendo em sua formação Fredrik Karlsson na voz, Daniel Lundberg e Emil Larsson nas guitarras, Mattias Hellman no baixo e Dennis Nilsson na bateria, este pessoal tem o bom senso de incrementar aquele "algo mais" em sua música, tentando se diferenciar um pouco deste já saturado estilo e conseguindo em parte atingir este objetivo.

Sua música é rápida e feroz, tendo um ligeiro tempero black metal, sem nunca abrir mão de boas melodias. Os riffs de Daniel e Emil realmente são empolgantes, está dupla tem ótimas idéias para as guitarras, por mais simples que soem em alguns momentos. Os teclados trazem alguma melancolia e alguns efeitos eletrônicos são estranhos, mas se encaixaram muito bem nas músicas e o mais interessante em "Terrorizer" foi a inclusão de sons bem medievais em vários trechos das canções, tornando sua audição muito interessante.

Merece destaque também o vocalista Fredrik Karlsson que tem um ótimo desempenho, ríspido e melódico. Porém, mesmo com a boa vontade do Dispatched em elaborar canções bem acima da média do que se vê por aí, o problema ficou realmente com a gravação, que ficou a cargo de Anders Fridén (In Flames). Infelizmente a reputação deste ajudou em nada, culminando num produto final um pouco abafado. Se este "Terrorizer" possuísse uma gravação mais encorpada e ligeiramente polida seria matador.

Mesmo assim, destacam-se a faixa-título com os já citados efeitos eletrônicos, "Rebellion" tem ótimas mudanças em seu andamento e é empolgante. "I Am Thy Lord" e "Beneath The World Of Chaos" tem um punch para quebrar pescoço, provavelmente ao vivo abrirá várias rodas entre o público.

Dispatched - Terrorizer
(2005 - distribuído por Hellion Records)

01. Terrorizer
02. Rebellion
03. Wicked Dreams
04. Waste Some Steel
05. Override
06. Mechanical
07. I Am Thy Lord
08. Beneath The World Of Chaos
09. Under The Ice




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dispatched"


Top 5 Metallica: About.com elege os cinco melhores álbunsTop 5 Metallica
About.com elege os cinco melhores álbuns

Iron Maiden: quinze canções que definem a bandaIron Maiden
Quinze canções que definem a banda

Whiplash.Net: Por que o site republica matérias antigas?Whiplash.Net
Por que o site republica matérias antigas?

Beatles: Perguntas e respostas e curiosidades diversasBeatles
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Classic Rock: os 50 maiores álbuns de rock progressivoClassic Rock
Os 50 maiores álbuns de rock progressivo

Scott Weiland: Dave Mustaine deu conselhos para o falecido cantorScott Weiland
Dave Mustaine deu conselhos para o falecido cantor

Ozzy Osbourne: Born Again é o melhor disco do Sabbath após a formação originalOzzy Osbourne
"Born Again é o melhor disco do Sabbath após a formação original"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336