Matérias Mais Lidas

imagemPrika Amaral esclarece por que contratou apenas mulheres europeias para a Nervosa

imagemA opinião de Dave Mustaine sobre a clássica "The Unforgiven", do Metallica

imagemLegião Urbana e a surpreendente música que serviu de base para "Ainda é Cedo"

imagemAudioslave: Tom Morello recorda seu sinistro primeiro encontro com Chris Cornell

imagemCinco músicos que começaram vida nova após saírem de grandes bandas de heavy metal

imagemJames Hetfield e esposa Francesca se divorciam após 25 anos de união

imagemVocalista do Anvil afirma que Rob Halford e Ian Gillan são personagens

imagemNando Reis relembra curioso único game que jogou na vida, durante gravação dos Titãs

imagemNando Reis e a linda música que Samuel Rosa dispensou por ter recebido na hora errada

imagemJanis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle

imagemAs seis músicas do Metallica que Dave Mustaine ajudou a escrever

imagemO show do Black Sabbath que acabou em tumulto por conta de uma garrafa

imagemO comovente relato de Kiko sobre como foi gravar em meio ao câncer de Mustaine

imagemAs faixas do "Black Album" que James Hetfield e Lars Ulrich não curtem

imagemAs 10 melhores versões metal de músicas pop dos anos 1980, em lista da Metal Hammer


Dream Theater 2022

Resenha - Teatro Gran Rex - Rata Blanca

Por André Toral
Em 19/03/02

Nota: 7

Foi em meados de junho que soubemos, para grande satisfação, que a saudosa, melodiosa e mágica banda argentina, Rata Blanca, voltava à tona. Após 1997, tendo colhido os frutos amargos de seu último álbum auto- intitulado, a banda se dissolveu e muitas versões para o fim foram proferidas; chegou-se a dizer que o mercado tinha-se desgostado da banda, mas a verdade é que, como o maior grupo musical de heavy metal da Argentina, havendo lotado estádios com shows mega- produzidos, a banda sofreu a ação do tempo e desgaste da relação criativa entre seus músicos.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Seu líder, o espetacular guitarrista Walter Giardino, seguiu seu rumo e montou o Temple, que nada mais era do que um apanhado geral de canções compostas para a época do Rata Blanca. Após três anos de vida, e algumas mudanças de formação, somaram-se ao Temple Adrian Barilari (vocalista) e Hugo Bistolfi (tecladista), os quais faziam parte da formação clássica do Rata Blanca e que vinham, até então, tocando na banda Alianza (hard rock). Com isso, não fazia mais sentido continuar fazendo turnês pela América do Sul sob o nome Temple, e sim, Rata Blanca. Mas para isso, a idéia principal era de reviver a formação clássica, mas não foi o que aconteceu; Sergio Berdichevsky (guitarra base) e Gustavo Rowek (baterista) preferiram dar continuidade exclusiva ao Nativos, banda que mescla heavy metal com novas tendências musicais.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Resumindo: neste momento, a formação é composta por Walter Giardino (guitarrista), Adrian Barilari (vocalista), Hugo Bistolfi (tecladista) e Fernando Scarcella (bateria). Estes rapazes são os responsáveis pelo single que antecede o álbum do grande retorno. O material chamado de "Teatro Gran Rex" traz duas músicas. A primeira é "En Nombre De Dios?", que começa com uma base de guitarra fantástica e teclados que lembram bastante os áureos tempos do álbum "Magos, Espadas Y Rosas". O vocal de Adrian Barilari também se apresenta bem, melodioso e limpo como sempre foi; aliás, que vocalista! Os arranjos da músicas são muito bons e a bateria fica exatamente no ponto de acompanhar todo o desenvolvimento sonoro. Em questão do solo de guitarra, nem preciso dizer o quão bom é ouvir um dos maiores guitarristas da América Do Sul, Walter Giardino. O cara tem influências de música clássica e as expõe no heavy metal melódico e lá Rainbow que a banda pratica. A Segunda música é "Volviendo a Casa", que é caraterizada por um hard rock que, em determinados momentos, é tão xarope quanto o Alianza, banda paralela de Adrian Barilari (vocalista) e Hugo Bistolfi (tecladista). Mesmo assim, tem seus bons momentos.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Em termos gerias, "Teatro Gran Rex" é um aperitivo- antes do álbum de volta- que nos deixa curioso quanto ao direcionamento. Reparei que o Rata Blanca está aparentando seguir por um caminho freqüentemente utilizado pelas bandas de metal melódico atuais. E isso não é bom, especialmente porque os seus trabalhos anteriores, que incluem verdadeiros clássicos do mundo musical, se diferenciam muito das músicas aqui apresentadas. O material não deixa a desejar, pelo contrário! Porém, há de se comparar o presente com o passado, no que tange a criação musical para se manter na mente e nos corações dos seus fãs. E por falar nos fãs, aqui mesmo no Brasil o Rata Blanca tem uma pequena legião de admiradores fiéis e conhecedores; considera-se que a banda esteve no Monsters of Rock de 1995, e antes tocou pelo Sul do Brasil.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Enfim, força à banda mais mágica deste mundo depois do Rainbow! Que o caminho a ser seguido seja o anterior e que ninguém deixe de conhecer o material sonoro somente porque as letras são cantadas em idioma castelhano, o qual fica tão bem quanto o inglês para o heavy metal.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Heavy metal poliglota: dez músicas cantadas em idiomas diferentes do inglês

Idioma: bandas que já cantaram em sua língua natal

Vocalistas: As maiores vozes esquecidas do Metal

The Simpsons: 10 melhores aparições de roqueiros no desenho

Fotos de Infância: Red Hot Chili Peppers


Sobre André Toral

Formado em Administração de Empresas. Curte Hard clássico dos anos 70 e início dos 80; Heavy Metal é sua religião.

Mais matérias de André Toral.