Resenha - Burning Earth - Firewind

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr.
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


"Between Heaven and Hell" foi o primeiro disco do Firewind, trazendo uma banda novata, porém muito coesa em suas composições dentro do power metal melódico. O grupo obviamente que com todas suas qualidades aparentes fez um curioso "sucesso", tanto lá fora como aqui no Brasil também, afinal este mesmo disco foi lançado em versão nacional pela Rock Brigade/Laser Company Records.

Nirvana: "Teoria é um desperdício de tempo", dizia KurtIntrigas: Bandas em família que terminaram mal

O maior ponto merecedor de destaque da banda naquele momento continua sendo o mesmo neste seu segundo disco, "Burning Earth": o jovem guitarrista Gus G. Merecedor de todos os elogios possíveis, o cara manda muito bem, em especial em seus solos hipervirtuosos, seguindo uma escola Malmsteen de se tocar. "Burning Earth" também está chegando em nossas mãos via Rock Brigade/Laser Company, só que aqui um disco pouco interessante, não por falta de qualidade, mas sim por falta de criatividade e inspiração. Se o 'debut' do conjunto trouxe algumas novidades, este aqui apenas repete a fórmula, com uma produção eficaz é verdade, mas ficou a desejar quanto suas qualidades individuais. O vocalista Stephen Fredrick possui esta qualidade individual e diferenciada que eu digo, porém um bom vocalista sem boas músicas para cantar acaba por não levar a banda nas costas...

Exemplos? Basta colocar o CD para rodar, "Steel Them Blind" é uma composição forte e bem executada, riffs perfeitos, mas nada aqui vai soar novo para você, tudo parece manjado e até sem vontade de soar diferente. "I am the Anger" caminha nesta mesma linha, um pouco diferente de "Immortal Lives Young" que traz algumas quebradas de estilo e uma cara levemente progressiva, ficando um pouco diferente das demais composições. A faixa título parece uma repetição das primeiras, ao contrário de outra interessante composição, a instrumental "The Fire and the Fury", algo um pouco incomum para a maioria das bandas de power metal da atualidade. Se há duvidas quanto à qualidade de Gus G. (e sua virtuose plena à exaustão) aqui há uma prova concreta para qualificarmos o músico em um grupo seleto de guitarristas eficientes. "Brother's Keeper" por soar novamente diferente merece uma atenção, com uma linha mais cadenciada e emotiva (mas ainda dentro do power metal). E para fechar o disco de forma mediana, a balada "The Longest Day".

Eu juro que se ouvir este CD aqui, você não fará nenhuma menção à criatividade, inspiração e originalidade quanto ao Firewind. Mas não posso negar, que pelo lado contrário a banda aqui demonstra muita competência no que faz, trazendo uma produção bem cristalina para os apreciadores calorosos do estilo. Recomendado para os fãs... Mas se "cópia da cópia" não é o que te agrada, passe longe deste CD (mas pelo menos confira o "Between Heaven and Hell" - que este vale a pena).

Site oficial: www.betweenheavenandhell.com

Line-up:
Stephen Fredrick (vocal);
Gus G. (guitarra/teclado);
Petros Christo (baixo);
Stian Kristoffersen (bateria).

Track-list:
01. Steal Them Blind
02. I am the Anger
03. Immortal Lives Young
04. Burning Earth
05. The Fire and the Fury
06. You Have Survived
07. Brother's Keeper
08. Waiting Still
09. The Longest Day

Material cedido por:
Rock Brigade/Laser Company
http://www.rockbrigade.com.br




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Firewind"


Gustavo Sazes: obras de arte em capas de álbuns de grandes bandasGustavo Sazes
Obras de arte em capas de álbuns de grandes bandas

Ozzy Osbourne: Gus G diz que ser substituído por Zakk foi um alívioOzzy Osbourne
Gus G diz que ser substituído por Zakk foi um "alívio"


Nirvana: Teoria é um desperdício de tempo, dizia KurtNirvana
"Teoria é um desperdício de tempo", dizia Kurt

Intrigas: Bandas em família que terminaram malIntrigas
Bandas em família que terminaram mal


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre Paulo Finatto Jr.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr. no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336