Resenha - Hobos Lullaby - Arlo Guthrie

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Everi Rudinei Carrara
Enviar correções  |  Ver Acessos


ARLO GUTHRIE é filho do lendário cantor de protest-songs WOODY GUTHRIE, citado por astros da música country e folk desde os anos 50 do século passado. Arlo faz parte daquela geração triunfante que marcou os festivais de Woodstock e o cenário contracultural norte-ame ricano em meados da década de 60, como CROSBY STILLS NASH & YOUNG, COUNTRY JOE Mc DONALD, JOAN BAEZ, BOB DYLAN, THE BYRDS, FRANK ZAPPA, GRATEFULL DEAD e tantos outros

Heavy Metal: as piores capas dos grandes artistas do gêneroBruce Dickinson: "Prefiro errar letras a usar monitores!"

A voz de Arlo é inconfundível e muito jovem ainda revelou-se notável compositor em Woodstock cantando a eloqüente "Comin' to Los Angeles", e assinando a trilha sonora para o filme ALICE'S RESTAURANT, uma canção épica, intensamente crítica e surpreendentemente bem-humorada. Aliás, o bom-humor é marcante na obra de Arlo. Suas letras são sarcásticas, explodindo como uma bomba atômica sobre o american way of life, sem deixar de celebrar o amor e a vida simples no campo.

HOBO'S LULLABY reúne básicamente um pouco desta alquimia, e conta com a competência de músicos talentosos como RY COODER, JIM KELTNER, LINDA RONSTADT, HOYT AXTON E JIM DICKINSON. O resultado combinou country, folk rock e baladas deliciosas.

"Anytime" abre o cd, apresentando um ragtime convidativo para dançar, em poucos minutos. "The City of New Orleans" mantém O clima pop segurando o ritmo, enquanto a letra descreve as peculiaridades da cidade, é típicamente setentista, e faria parte de qualquer disco de ELTON JOHN da época. "Lightining Bar Blues" é um folk-rock que chegou a fazer certo sucesso no Brasil. Eu me lembro de têla ouvido, a letra de Hoyt Axton ressalta o gosto pelo vinho dispensando jocosamente a fortuna, a fama, e bens valiosos como Cadilacs e anéis de diamante. O som do piano ilumina os primeiros acordes de "Somebody Turned on the Light", de inspiração gospel, emprestando certo ar de serenidade à composição. "Ukelele Lady" retoma o clima festivo, num country delicioso ao modo mais antigo... com um pouco de imaginação pode-se construir mentalmente um ambiente de salão de faroeste, ouvindo esta música. "When The Ships Comes In" é de Bob Dylan, gravada por ele mesmo alguns anos antes com um andamento mais lento. Arlo tornou-a mais pop acrescentando instrumentos elétricos. "Mapleview (20%) Rag", composta por Arlo, retoma o pique country-rock com um andamento muito rápido e um arranjo de piano para tirar o fôlego. "Days are Short" critica a obviedade cotidiana, expondo nossas fragilidades, a ilusão e certa crise de identidade proporcionada pela competitividade urbana e capitalista. A canção título é a canção de ninar para um velho vagabundo solitário, sugerindo à ele o sono despreocupado: "Don't think about tomorrow/ Let tomorrow come and Go". Segue embargando a ansiedade costumeira dos centros urbanos e a flagrante perseguição Coercitiva da polícia. Diz o verso: "Go to sleep you weary hobo/Let the towns drift slowly By...

EVERI RUDINEI CARRARA:
Escritor, músico, advogado colaborador de diversos sites,
editor do site cultural telescópio:

http://telescópio.vze.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Arlo Guthrie"


Heavy Metal: as piores capas dos grandes artistas do gêneroHeavy Metal
As piores capas dos grandes artistas do gênero

Bruce Dickinson: Prefiro errar letras a usar monitores!Bruce Dickinson
"Prefiro errar letras a usar monitores!"


Sobre Everi Rudinei Carrara

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336