Resenha - Terrorizer... The Last Chapter - Dispatched

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  


De vez em quando, um estilo toma de assalto o mundo da música pesada e logo desaparece. Foi assim com o grunge, com o death metal da Flórida e com uma infinidade de outros estilos. O chamado Gottemburg Sound, ou death metal sueco (entenda-se: melódico) está fazendo escola. Formado em 1991, o Dispatched segue à risca a cartilha escrita por seus compatriotas do Meshuggah (da época do maravilhoso Contradictions Collapse), At the Gates, dentre outros. Desse modo, o Dispatched tem atrás de si uma tradição de bons grupos suecos especializados num tipo muito característico de death metal, o que poderia tornar a tarefa de não soar derivativo quase impossível, entretanto, com uma grande dose de talento e algumas idéias simples, a banda consegue se diferenciar e não cair na mesmice que pode representar o fato de se estar preso a um rótulo.

publicidade

O grande destaque vai mesmo para o vocalista Fredrik Karlsonn. Além de ter um timbre muito semelhante (para não dizer idêntico) ao do grande Thomas Lindberg do At the Gates. Mas o Dispatched consegue se diferenciar não apenas pelas intervenções bem sacadas de teclados e pelo peso absurdo que seus dois guitarristas conseguem imprimir a cada uma das 9 faixas do CD. Algumas delas chamam bastante a atenção por alguns elementos incomuns em bandas do mesmo estilo. O uso de flautas e instrumentos típicos do folclore sueco é um desses elementos, especialmente em faixas como "Override" (a melhor do disco). Além disso, o fato de a banda soar bem mais "limpa" que maior parte dos grupos do estilo é um detalhe que não pode passar despercebido. É claro que todo o peso e distorção características do New Wave of Swedish Death Metal (apenas mais um rótulo...) estão lá, mas estão colocados de forma diferente.

publicidade

Embora o Dispatched não possa ser chamado de original ou de "grande coisa" em termos de inventividade, vale a pena pela honestidade e pelo cuidado na produção deste Terrorizer. Aliás, por falar em cuidado, mais uma vez merece aplausos o trabalho da gravadora norte-americana Khaosmaster, responsável pelo lançamento deste CD fora da Europa. A exemplo do que aconteceu com outra banda já resenhada aqui no Whiplash (Immortal Rites - Art of Devolution), a qualidade gráfica deste digipack é impressionante, assim como o cuidado no material de divulgação.

publicidade

Line-up:
Daniel Lundberg - Guitarra, teclados, backing vocal
Fredrik Karlsson - Vocal, teclados
Emil Larsson - Guitarra
Mattias Hellman - Baixo
Dennis Nilsson - Bateria

Tracklist
01. Terrorizer
02. Rebellion
03. Wicked Dreams
04. Waste some Steel
05. Override
06. Mechanical
07. I am Thy Lord
08. Beneath the World of Chaos
09. Under the Ice

Contato:
[email protected]

Material cedido por:
Khaosmaster productions
[email protected]

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Cantadas Headbanger: Estou Priest a te dar um beijo!Cantadas Headbanger
"Estou Priest a te dar um beijo!"

Duff McKagan: Nikki Sixx, do Motley Crue, é um gênio!Duff McKagan
"Nikki Sixx, do Motley Crue, é um gênio!"


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin