Resenha - End of Beginning - Lost Forever

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

9


O quinteto carioca Lost Forever nasceu em 1997, com a proposta de fundir o heavy metal com pitadas de progressivo, o que convencionou chamar-se de "prog-metal". Após lançarem uma demo em 1998 e um EP em 2000, a banda consegue finalmente parir seu "debut", através da Hellion Records. Fãs assumidos de Black Sabbath e de progressivo, a banda apresenta neste primeiro cd uma boa fusão dos dois estilos, com ênfase no peso das guitarras, auxiliada pelos climas criados pelos teclados.

publicidade

"Mater Et Magistra" é uma excelente abertura, com toques de Dream Theater aqui e acolá, mas com muito peso, e um vocal altamente influenciado por Geoff Tate (Queensryche) e Damian Wilson (Threshold). O mesmo se repete na excelente e forte "Among The Crowd", que mescla o peso do heavy com as mudanças de andamento do prog com extrema competência. A cadenciadíssima e cativante "The Lies Behind the Mirror" mostra todo o talento dos músicos, aonde se sobressaem o excelente vocal de Hugo Návia e as guitarras polivalentes de Fabbio Nunes e Nelson Magalhães. A influência de Queensryche (principalmente da época de "Promised Land") fica bem evidente.

publicidade

Já faixas como a balada pesada "Spirits from the Iced Garden" (com belos vocais em falsete) e a heavy a lá Dream Theater "End of The Century" (com várias mudanças de andamento bem colocadas) são grandes momentos de uma banda que hora aposta no prog mais pesado ("Damned Train", com guitarras a lá Iron Maiden), ou no heavy light com toques pop como na belíssima "A Season in Between". Para fechar o cd, nada como a potente suíte "Above the Sins", dividida em 2 partes: a prog-metal a lá Queensryche "Dying Dreams" (desta feita bem influenciada pelo cd "Operation Mindcrime") e a pesada e mais heavy "The Remains of Myself" (com excelentes riffs e mudanças de tema). A temática do cd gira em torno do ser humano e suas desilusões, um ser quase que "perdido para sempre".

publicidade

A banda é extremamente talentosa e a produção, embora um pouco abafada, não tira o brilho deste cd, que vem a acrescentar mais um excelente nome no metal carioca. Agora é ralar e rolar em vários shows pelo Brasil afora, porque material de qualidade eles já esbanjam em seu primeiro cd. Parabéns ao Lost Forever.

Site oficial: http://www.lostforever.com

publicidade

Line Up:
Hugo Návia - Vocais
Fabbio Nunes - Guitarras
Nelson Magalhães - Guitarras
André de Lemos - Baixo
Renê Shulte - Bateria
Daniel Melo - Teclados

Lançado em 2003 pela Hellion Records.


Outras resenhas de End of Beginning - Lost Forever

Resenha - End Of Beginning - Lost Forever

Resenha - End of Beginning - Lost Forever




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Michael Kiske: O Iron Maiden vende a morte às pessoas!Michael Kiske
"O Iron Maiden vende a morte às pessoas!"

Tatuagens: Homenagens ao Guns N' Roses na pele dos fãsTatuagens
Homenagens ao Guns N' Roses na pele dos fãs


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin