Resenha - Sirens - On The Might of Princes

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Maurício Gomes Angelo
Enviar Correções  

7


Falar de New Metal é algo complicado hoje em dia.

publicidade

Questões ideológicas a parte, o On The Might of Princes bebe na fonte daquele "new metal clássico" por assim dizer, ou seja, Korn, Deftones, e por aí vai.

Então espere muitas guitarras distorcidas, climas melancólicos e partes explosivas, aquele vocal alternando entre o bombástico, raivoso e o calmo anestesiado.
Mesclando New Metal, percussões, pianos, influencias punk e hardcore, e uma leve dose de sons latinos, o OTMOP tenta se destacar das demais bandas. Spit Survival é o maior exemplo disso, mistura que no final funciona bem. Outras vezes o som lembra aquele pseudo-rock-comercial que vimos em bandas como Puddle of Mud.

publicidade

Recursos eletrônicos obviamente estão presentes, mas não apenas como barulhinhos bobos feitos para irritar, e sim como uma forma de complementar e enriquecer o som, pelo menos na maior parte do tempo.

Uma atenção especial com a parte instrumental pode ser claramente notada. Fora as duas composições voltadas especificamente para isso, No Sign of Messiah e They Made Me Do It, algumas músicas prezam por esse quesito, como é o caso de Cloak&Dagger, They Have Teeth (possivelmente a melhor) e The Personnel (bem esquisita e experimental) - a quase escondida última faixa.

publicidade

Apesar de sofrer com as praticamente inevitáveis repetições do estilo, a base harmônica e melódica do grupo é bem interessante e pode agradar a muitos.

Merecem destaque também Go Fuck Yrself e Here Comes The Sirens, ótimos exemplos do tresloucado som que o grupo faz, além de serem boas músicas.

Vale ressaltar o belo trabalho gráfico, sempre importante, que mostra a preocupação em fazer algo bem feito em todos os quesitos.

publicidade

Prezando pela melodia, criatividade e certa originalidade instrumental, o On The Might of Princes pode agradar àqueles que tiverem a cabeça um pouco mais aberta do que o normal. Confira.

Site Oficial: http:// www.onthemightofprinces.com

Formação:
Jason Rosenthal (Vocal – Guitarra)
Lou Fontana (Guitarra – Vocais)
Tommy Orza (Baixo – Vocais)
Chris Enriquez (Bateria – Percussão - Piano)

publicidade

Track–List:
01 – No Sign of The Messiah (Part II)
02 – Go Fuck Yrsefl
03 – The Swell, and The Breaking
04 - You Whistle, I´ll Shot
05 – Here Comes The Sirens
06 – My Hands: Landmines, Landfills
07 – They Made Me Do It
08 – Spit Survival
09 – Carry Go, Bring Come
10 – Cloak & Dagger
11 – They Have Theeth
12 – The Personnal (faixa escondida)

publicidade

Material Cedido por:
Revelation Records
Caixa Postal 5232 – Huntington Beach, CA 92615 – 5232 – USA
Fone: (714) 375 – 4264
Fax: (714) 375 – 4266
http:// www.revelationrecords.com




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Led Zeppelin: A controvérsia sobre as origens do nome da bandaLed Zeppelin
A controvérsia sobre as origens do nome da banda

Velocidade: Top 10 de músicas de Metal para ser multadoVelocidade
Top 10 de músicas de Metal para ser multado


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin