Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemAndreas Kisser conta quais os dez álbuns que mudaram a sua vida

imagemAlice Cooper diz que em sua equipe "todo mundo é tratado como a banda"

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemProdutor de "Temple of Shadows" conta problemas que teve com voz de Edu Falaschi

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"


Stamp

Resenha - Burning Down the Opera - Edguy

Por Paulo Finatto Jr.
Em 10/09/03

Nota: 10

Depois de cinco álbuns de estúdio, incluindo "Mandrake", o maior responsável pela inclusão de vez do Edguy no ‘mainstream’ metálico europeu, chegou a vez da banda alemã liderada pelo vocalista Tobias Sammet soltar o seu primeiro registro ao vivo, já de cara, duplo. Aliás, para quem não sabe, Tobias Sammet foi o responsável pelo projeto Avantasia, que contou com muita gente famosa. Além dos discos do Edguy, e dos dois do Avantasia, este ao vivo é lançado aqui no Brasil pela Rock Brigade/Laser Company.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Gravado durante a turnê européia da banda, "Burning Dow the Opera" conta ao total com mais de 1h40 de metal melódico tocado com maestria, competência e inclusive, mais peso do que qualquer disco de estúdio do Edguy. E isto é o fato mais interessante do material. As músicas estão mais pesadas, violentas e com pouco (ou até nenhum) teclado ou orquestração. Ou seja, o CD reproduz com fidelidade o que a banda faz em cima do palco (mesmo considerando alguns ‘overdubs’ e colagens utilizadas para melhorar o sonzeira do disco).

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Para este lançamento o Edguy foi experto. Além de incluir todas as partes em que Tobias brinca com os presentes da platéia, os solos estendidos em algumas músicas, e até um solo de bateria, o disco conta com duas músicas do projeto Avantasia: "Inside" (que teve o teclado trocado por guitarra acústica) e "Avantasia", ambas em versões ótimas e apenas com Tobias cantando.

Como se podia esperar, entre as músicas próprias do Edguy no show (músicas mesmo, desconsiderando a faixa com o solo de bateria e a introdução), 50% das músicas referem-se ao "Mandrake", e são elas: "Fallen Angels" (que ficou ótima com o peso a mais nas guitarras), "Painting on the Wall", "The Pharaoh", "Save Us Now" (o que o público agita nessa é surpreendente) e "Tears of Mandrake". Escolhendo somente a nata da carreira, fica muito difícil não dar nota dez para este disco, que está muito bem gravado e mixado. Passando o solo de bateria que também é um destaque (nunca pensei que Felix Bohnke tivesse tanta técnica assim!), a banda não esqueceu nenhum dos seus maiores clássicos, em versões fantásticas: "Babylon", a balada "Land of the Miracle", "The Headless Game", "Vain Glory Opera" e a maravilhosa, na minha opinião, "How Many Miles".

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

"Burnin Down the Opera" é a prova do sucesso da banda. Instrumentalmente o disco está até superior aos álbuns de estúdio, bem produzido e com um preço acessível aqui no Brasil. Você é fã da banda e ainda não o tem? Não sei o que está esperando para sair atrás! Ah, por fim, seria injustiça minha não falar quão maravilhoso é o encarte do CD que tem exatas 32 páginas.

Site oficial: www.edguy.nu

Line-up:
Tobias Sammet (vocal);
Jens Ludwig (guitarra);
Dirk Sauer (guitarra);
Tobias Exxel (baixo);
Felix Bohnke (bateria).

Track-list:

CD 1:
01. Welcome to the Opera
02. Fallen Angels
03. Tears of a Mandrake
04. Babylon
05. Land of the Miracle
06. Paiting on the Wall
07. Wings of a Dream
08. The Headless Game
09. The Pharaoh

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

CD 2:
01. Vain Glory Opera
02. Solitary Bunny: Drum Solo
03. Save Us Now
04. How Many Miles
05. Inside (Avantasia)
06. Avantasia (Avantasia)
07. Out of Control

Material cedido por:
Rock Brigade Records/Laser Company Records
http://www.lasercompany.com.br
http://www.rockbrigade.com.br

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Tobias Sammet se irrita com problematização política em foto em que aparece com máscaraTobias Sammet se irrita com problematização política em foto em que aparece com máscara

Power metal: 30 músicas para começar a se interessar pelo estiloPower metal: 30 músicas para começar a se interessar pelo estilo

Tobias Sammet declara apoio ao Ministro da Saúde da Alemanha por combate à pandemiaTobias Sammet declara apoio ao Ministro da Saúde da Alemanha por combate à pandemia

Power metal: 10 grandes baladas escritas por bandas do estiloPower metal: 10 grandes baladas escritas por bandas do estilo


Metal/Hard: Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuais

Edguy, Avantasia: Tobias Sammet e os álbuns que mudaram a sua vida


Câncer na língua: entenda a doença de Bruce Dickinson


Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.

Mais informações sobre

Mais matérias de Paulo Finatto Jr..