Matérias Mais Lidas

imagemRegis Tadeu e os cinco grandes vocalistas que o mundo do Rock não dá valor

imagemA música do Metallica que James não queria apresentar aos outros integrantes

imagemFãs detonam produção do Knotfest após anúncio do Pantera

imagemO carinhoso jeito de Axl Rose se desculpar com sua equipe pelo seu jeito imprevisível

imagemA melhor música de heavy metal lançada a cada ano desde 1970, em lista do Loudwire

imagemAngra e Shaman, Edu Falaschi fala sobre a treta que havia entre as bandas

imagemDez músicas de outros estilos que ganharam ótimas versões rock/metal - Parte I

imagemAmy Lee surpreende ao escolher os melhores cantores (e cantoras) de todos os tempos

imagemOzzy Osbourne revela que Lemmy Kilmister era um leitor voraz

imagemFrank Zappa surpreende ao eleger seus dez álbuns favoritos

imagemA música do Raul Seixas com erro gramatical que parece um plágio mas é uma homenagem

imagemJô Soares comprou uma obra de arte do Rock por causa do Regis Tadeu

imagemFilme que conta a história de Dio será exibido nos cinemas em setembro

imagemPor que som do Angra não era novidade em 1993, segundo Alex Holzwarth

imagemLed Zeppelin: O motivo pelo qual Jimmy Page não gosta de "All My Love"


2022/07/09
2022/08/18

Resenha - Snakes in The Playground - Bride

Por Maurício Gomes Angelo
Em 09/09/03

Nota: 10

Ano: 1992

PELO AMOR DE DEUS!!!!! O QUE É ISSO???? Minha mente acaba de ser liberta de todas as podreiras musicais – que por um motivo ou por outro – eu tive o desprazer de ouvir nos últimos tempos.

É isto que este "Snakes in The Playground" faz com você. Essa é a fase mais produtiva, criativa e visceral do Bride. Sim, meu amigo, estamos diante de um dos melhores cds de white metal da história, e não precisamos de muito tempo para perceber isso. Um cd que começa com "Rattlesnake", "Would You Die for Me" e "Psychedelic Super Jesus" fala por si só. Três clássicos imortais do Bride que são executados (e exigidos pela galera) nos shows até hoje.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Hard Rock de guitarras limpas e pesadas, solos criativos e cativantes, baixo perfeitamente encaixado na proposta da banda que criam massas sonoras convidativas para Dale Thompson arrancar pescotapas de você com sua voz. Uma fórmula perfeita e agradável, mas, felizmente, os criativos rapazes não se prenderam somente a ela. A dobradinha "Saltriver Shuffle"/"Dust Through a Fan" comprova isso: uma introdução fabulosa de gaita e uma música acachapante.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Acha que já ouviu tudo em termos de baladas? Está saturado destas musiquinhas lentas colocadas no meio do cd que te interrompem de destruir a casa toda? As acha totalmente dispensáveis?

Então ouça "I Miss The Rain" e limpe sua mente de qualquer preconceito a respeito. Classifico-a como uma das melhores baladas que já ouvi. Preste também atenção na última música, Goodbye, outra balada, ouça-a e acompanhe a letra. Se você ao menos não se emocionar, eu bato palmas para você.

Um cd impecável, com absolutamente nenhuma falha, todos os integrantes dão show, a produção está limpa e cristalina e um álbum que é permeado por um clima "up" o tempo todo. A sensação que te transmite é absolutamente positiva e vivificante – desconfio que é capaz até de acordar uma pessoa em coma.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Se sua avó morreu, sua namorada te deu um pé na bunda e seu time está em último nas tabelas, é muito fácil esquecer isso. Coloque o "Snakes..." para rodar e deguste o melhor do hard rock mundial.

Ah sim! Quase me esqueço, o Bride também é conhecido por produzir letras excelentes e eles fazem jus à fama, um show de composição.

Saldo total: nove músicas pesadas e viscerais recheadas com criatividade, bom gosto e autenticidade musical, três introduções perfeitamente bem vindas, duas baladas inesquecíveis e um ouvinte fascinado.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

White Metal: 10 bandas do estilo que merecem respeito

Ultimate Classic Rock: os 100 maiores clássicos do rock

Supergrupos: Os melhores e piores na opinião da Metal Hammer


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo.