Resenha - Symphony - Alive IV - Kiss

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


"You've wanted the best, you've got the best, the hottest band in the World, KISS!!!". Depois de várias especulações, o retorno da formação original num polêmico cd de estúdio ("Psycho Circus" de 1998), uma turnê de despedida e um suposto "Alive IV" que teria sido gravado no Canadá em 1999 (do qual só foi lançada uma faixa no famoso "Box-Set" em 2001), foi anunciado que o KISS iria fazer uma turnê de despedida, pendurando suas botas plataforma em grande estilo. Tal turnê varreu os Estados Unidos e passou pelo Japão e Austrália. No início de 2003 o KISS anunciou que gravaria um mega-show com orquestra em Melbourne na Austrália, e que teria além de Gene Simmons no baixo e Paul Stanley na guitarra, o retorno de Peter Criss para a bateria (ele saíra durante a turnê de despedida, sendo substituído por Eric Singer) e Tommy Thayer (ex-Black and Blue e um dos eternos regra-três do KISS). Tommy inclusive usaria a maquiagem petencente a Ace Frehley. Finalmente no dia 28 de fevereiro de 2003, com uma mega-estrutura e um público de quase 80000 pessoas, o KISS gravaria seu cd sinfônico, e (PASMEN!!!) o intitularia de "ALIVE IV". Tal fato gerou especulações sobre o outro cd ao vivo.... aliás como sempre acontece com o KISS. Nada é simples, tudo é grandioso e cercado de polêmicas e declarações.

Kiss: sem Paul Stanley, banda faz show para tubarões brancos; veja vídeoSonho de Consumo: os 10 palcos de shows mais desejados

Mas vamos ao que importa. "Alive IV" é duplo e dividido em 3 atos. O primeiro é o KISS tradicional tocando 6 músicas no formato elétrico. O segundo é o KISS com uma mini-orquestra de 60 componentes (todos maquiados!) tocando 5 músicas em formato acústico. O terceiro ato finalmente traz o KISS com a orquestra completa e um coro de 60 crianças (todos maquiadas!!!!), tocando 10 de seus clássicos no formato elétrico com acompanhamento de orquestra.... e o resultado?

Podemos afirmar que o KISS acertou em cheio, com um cd interessante, mas que tem altos e baixos. O primeiro ato é perfeito como sempre. O KISS ao vivo em seu formato usual mostra ainda ter muita lenha para queimar. "Deuce", "Strutter", "Let Me Go Rock and Roll", "Lick It Up", "Calling Dr. Love" e "Psycho Circus" mostram uma banda em ótima forma. As guitarras de Tommy e Paul estão muito pesadas e sujas, dando um toque especial ao primeiro ato e Peter, mesmo com seu estilo econômico e demonstrando estar fora de forma, segura o tranco com habilidade, mesmo que a bateria em "Lick It Up" esteja um tanto atrasada.

O segundo ato é muito legal e pessoalmente o considero a parte mais interessante do cd. O KISS acústico com uma mini-orquestra ficou muito bem feito. "Beth" abre o ato com extrema habilidade, e um Peter Criss cantando muito. A única falha deste ato é o sucesso "Forever", que ficou muito inferior ao que poderíamos esperar... faltou pegada neste caso. Pegada que sobrou em "Shandi" e "Sure Know Something" (um dos destaques do álbum "Dynasty"). Além destas, "Goin' Blind" também ficou muito bem executada. A orquestra se coloca como um complemento, seguindo por muitas vezes o ritmo dos violões de Paul e Tommy.

O terceiro e mais importante ato pode ser descrito como uma montanha russa, com altos e baixos. "Detroit Rock City" ficou tão pomposa que só faltava o vocal de Frank Sinatra para completá-la, podendo muito bem ser tocada nos casinos de Las Vegas. A orquestra também não se acerta em "King of Night Time World" e no sucesso "Black Diamond" (ambas ficaram meio deslocadas). Mas a combinação KISS/orquestra ficou muito boa em "Do You Love Me?", "Shout it Out Loud" e na pesada "God of Thunder" (que ficou com um ar épico maravilhoso... embora se a orquestra desse uma levada mais soturna particularmente acho que ficaria perfeito). Novamente a orquestra se guia pelos riffs de guitarra, como em "Love Gun" e na balada super-esquecida "Great Expectations" (um dos melhores momentos). "I Was Made For Lovin You" novamente não ficou boa com orquestra e o mega-sucesso "Rock and Roll All Nite" também não se sai muito bem. Mas no geral o resultado é positivo, embora as escorregadas estejam visíveis.

A banda está bem entrosada com Tommy Thayer e demonstra que o KISS ainda vai detonar muito rock and roll por todos os lados, principalmente agora que se anuncia a turnê conjunta com o Aerosmith. Um cd legal, que vai agradar aos fãs e desagradar aos desafetos, mas que vai vender bem e manter o nome da banda em alta. Só que particularmente eu não acho que o nome clássico "ALIVE" devesse ser dado a este cd.... e você? Me diga no fórum........ as primeiras edições vêm em formato "digipack" com um pôster especial aonde vemos uma foto de fãs brasileiros (e Paul cita a presença deles durante o show). Quem sabe não é um gancho para a banda dar as maquiagens... digo caras... por aqui?

OBS: Não entrarei no quesito "overdubs", pois senão teria que escrever muitas páginas e a polêmica seria grande, mas o fórum está aí para falarmos sobre eles...

Lançado no exterior pela Sanctuary/KISS Records. O lançamento nacional acontecerá em breve. Aguardem.

Site oficial: http://www.kissonline.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Kiss"


Kiss: sem Paul Stanley, banda faz show para tubarões brancos; veja vídeoKiss
Sem Paul Stanley, banda faz show para tubarões brancos; veja vídeo

Kiss: Vinnie Vincent relança disco instrumental em edição limitada e com preço salgadoKiss
Vinnie Vincent relança disco instrumental em edição limitada e com preço salgado

Kiss: show ainda vale o ingresso? (video)Kiss
Show ainda vale o ingresso? (video)

Kiss: preços dos ingressos e mais informações sobre shows no BrasilKiss
Preços dos ingressos e mais informações sobre shows no Brasil

Kiss: Seis shows são confirmados no Brasil para maio de 2020Kiss
Seis shows são confirmados no Brasil para maio de 2020

Kiss: turnê inteira na Oceania é cancelada após Paul Stanley ficar doenteKiss
Turnê inteira na Oceania é cancelada após Paul Stanley ficar doente

Kiss: A dolorosa hora do adeus...Kiss
A dolorosa hora do adeus...

Kiss: gripe de Paul Stanley faz banda adiar início da tour pela Oceania

Bob Kulick: detonando Kiss e o irmão Bruce por uso de marca sem autorizaçãoBob Kulick
Detonando Kiss e o irmão Bruce por uso de marca sem autorização

Kiss: Brasília e Ribeirão Preto também terão shows da banda, diz jornalistaKiss
Brasília e Ribeirão Preto também terão shows da banda, diz jornalista

Kiss: Ace Frehley revela por que socou Tommy Thayer em 2001Kiss
Ace Frehley revela por que socou Tommy Thayer em 2001

Scott Ian: guitarrista conta quando parou de ser fã do KissScott Ian
Guitarrista conta quando parou de ser fã do Kiss


Sonho de Consumo: os 10 palcos de shows mais desejadosSonho de Consumo
Os 10 palcos de shows mais desejados

Teoria da Conspiração: Slipknot troca membros em shows ao vivo?Teoria da Conspiração
Slipknot troca membros em shows ao vivo?


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336