Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu, em busca de emprego, pede ajuda a seguidores

imagemDavid Gilmour surpreende ao responder se o Pink Floyd pode voltar a fazer shows

imagemGene Simmons faz passagem de som antes de show do Kiss com roupa inusitada

imagemRegis Tadeu explica porque o vinil e o Spotify vão despencar e o CD vai bombar

imagemMax Cavalera e o conselho dado por Ozzy Osbourne: "ambos nos sentimos traídos"

imagemBill Hudson comenta sobre falta de público de Angra e outras bandas nos EUA

imagemPaul McCartney lista os cinco músicos que formariam sua banda dos sonhos

imagemJames Hetfield se emociona profundamente no show de BH e é amparado pelos amigos e fãs

imagemConheça a "melhor banda com as melhores músicas" para Robert Smith, do The Cure

imagemDez grandes músicas do Iron Maiden escritas pelo vocalista Bruce Dickinson

imagemMax Cavalera é criticado por ucranianos pelo apoio a Rússia em 2014

imagemDave Mustaine mostra a forma curiosa como se aquece antes de um show do Megadeth

imagemAbba e a imensa importância do Deep Purple na sonoridade de suas músicas clássicas

Marcello Pompeu: ele conta por que não se posiciona politicamente, apesar de cobranças

imagemBlind Guardian divulga capa, nomes e duração das faixas de seu novo álbum


Stamp

Resenha - Up - Peter Gabriel

Por Thiago Sarkis
Em 04/06/03

Nota: 10

Em 1914 Sigmund Freud escreveu "O Moisés de Michelangelo" (artigo anônimo, o qual ele só assumiria a autoria em 1924), onde ele diz que praticamente não conseguia obter prazer com a música, pois não estava capacitado a explicar o efeito que esta arte provocava nele. Contudo, trinta e dois anos antes, numa carta a Marta (sua noiva na época), Freud se referiu a Beethoven como um grande maestro, daqueles que sabem arrancar do coração humano os seus segredos. Por quê estou falando sobre isso? Simplesmente porque me indago sobre o que o criador da psicanálise diria sobre Peter Gabriel. Não estou a comparar Beethoven e o ex-Genesis. É apenas um questionamento sobre a capacidade de expressar sentimentos e emoções.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Up" é um dos trabalhos mais preciosos da carreira solo de Gabriel. Atual, denso, e tocante, mexendo com o ouvinte em todas as maneiras imagináveis e inimagináveis.

Há o obscuro e assustador indo direto em sua direção com músicas como "Darkness" e "My Head Sounds Like That". Entre estas faixas, podemos encontrar também alguns momentos do pop oitentista, exemplos disso em "Burn You Up, Burn You Down", "The Barry Williams Show" e uma bela passagem de "I Grieve".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Aí surgem canções como "More Than This", "Signal To Noise" e "The Drop", todas tocadas com excelência pelos músicos envolvidos, num imenso e intenso som, propiciado pela ótima produção. Peter interpreta cada uma dessas composições no seu melhor e é possível percebermos cada tom e vibração de sua voz.

Não estou apto a explicar os efeitos da escultura e da pintura em mim como Freud fazia com si próprio, mas geralmente tenho a capacidade de compreender como a música me afeta. Porém, diante dessas onze faixas, das quais destaco "Darkness", My Head Sounds Like That", "I Grieve" e "The Drop", concordo plenamente com o legendário austríaco. É complicado compreender os efeitos e captar todas as nuances da música de Peter Gabriel. São partes tão pessoais, íntimas, explicitadas numa forma tão intensa e profunda, que eu não deveria ter escrito este artigo e você não deveria tê-lo lido.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Site Oficial – http://www.petergabriel.com

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Arquivo do Rock: Cinco mulheres que viraram clássicos do Rock



Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis.