Resenha - Hail To The Thief - Radiohead

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar Correções  

10


O que falar do Radiohead??? Adorado por muitos, odiado por alguns, não entendido pela maioria... talvez... o ponto em questão é que a banda está a muitos anos luz de seu tempo, sendo talvez a coisa mais inovadora e original que a música "mainstream" mundial tem a oferecer. Thom Yorke é louco? Simmmmm... um louco genial...como a maioria dos gênios que já passaram por esse mundo.

Fear Factory: o dia que a banda mandou um belo "fuck you" para o Radiohead

50 a menos: Cientistas descobrem que o Número da Besta é 616

"Hail To The Thief" não decepcionará os fãs que acompanharam a banda até o último lançamento de estúdio, "Amnesiac". Mais rock do que os dois últimos CDs, este álbum traz tudo de melhor que foi feito desde o clássico irretocável "Ok Computer", sabendo balancear as partes eletrônicas. A primeira faixa, a excelente "2 + 2 = 5" já prova isso, com passagens que nos remetem a pérolas como "Paranoid Android" e "Airbag". As melodias vocais estão no mínimo tensas, com harmonias e arranjos de deixar qualquer um de queixo caído.

"Hail To The Thief" segue com "Sit Down. Stand Up", que após uma longa introdução, entra em uma batida típica da fase eletrônica da banda. "Sail To The Moon" é uma bonita composição, sempre com um clima melancólico, mas que vai emocionar muitos ouvintes com sua linda melodia cantada pela voz marcante de Yorke. "BackDrifts" é um grande destaque e fico pensando como irá soar ao vivo, me lembrando um pouco "Idioteque" do disco "Kid A". "Go To Sleep" mantém o nível e é a primeira que traz o violão para primeiro plano.

O disco segue com "Where I End And You Begin", "We Suck Young Blood" (que música neurótica…), a eletrônica "The Gloaming", a "música de trabalho" (esse termo é horrível) "There There", a "fúnebre" (acho que foi o adjetivo mais próximo que eu consegui encontrar) "I Will" , "A Punch-Up at a Wedding", a interessantíssima e pesada "Myxamatosis", "Scatterbrain" e a maravilhosa "A Wolf At The Door", que encerra este "Hail To The Thief" de forma brilhante.

O "Radiohead" continua seu caminho, mantendo sua criatividade ainda no topo, não deixando que modas passageiras influenciem sua música e sempre surpreendendo a todos, mesmo os que já esperam algo de diferente vindo deles.

Maravilhoso. Obrigatório.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Fear Factory: o dia que a banda mandou um belo fuck you para o RadioheadFear Factory
O dia que a banda mandou um belo "fuck you" para o Radiohead

Metallica: baterista comenta sobre outros artistas durante a quarentenaMetallica
Baterista comenta sobre outros artistas durante a quarentena


Top 5: Os melhores discos para curtir aquela fossaTop 5
Os melhores discos para "curtir" aquela fossa

Time Magazine: os 100 maiores álbuns de todos os temposTime Magazine
Os 100 maiores álbuns de todos os tempos


50 a menos: Cientistas descobrem que o Número da Besta é 61650 a menos
Cientistas descobrem que o Número da Besta é 616

Iron Maiden: O que a equipe consome quando vai a um pub?Iron Maiden
O que a equipe consome quando vai a um pub?


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin