Resenha - Diorama - Silverchair

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O ano de 2001 foi realmente um ano complicado para os australianos do Silverchair. Após uma excelente apresentação no dia mais lotado do Rock in Rio 3 (aonde consta eles apenas foram ofuscados pelo Capital Inicial, mas com dúvidas), o líder e vocal da banda, Daniel Johns, contraiu um tipo raro de artrite, que o deixou de molho desde o meio de 2001 e em constantes estados de melhora e piora. A artrite não é degenerativa, mas vem sendo difícil para Daniel se curar, o que interrompeu a tour que a banda vinha fazendo.

Autores que inspiraram o Heavy Metal: Friedrich NietzscheHeavy Metal: 25 bandas que fizeram o gênero ser o que é

Numa de suas melhoras sensíveis, Daniel e seus asseclas se reuniram para gravar este cd. "Diorama" é de longe a aposta mais ousada do Silverchair. Foram-se as épocas do estilo grunge que permeou seus dois primeiros trabalhos, "Frongstomp" e "Freakshow" e o estilão mais rock caracterizado em seu último cd "Neon Ballroom". Neste petardo, a banda investiu pesado no trabalho em orquestrações, corais, e climas ambientais, mesclado ao seu rock and roll, criando um cd impressionante, principalmente pela proposta, totalmente diferente de tudo o que a banda já fez.

"Across the Night", a primeira faixa, já causa um certo choque. O vocal de Daniel está suave, e orquestrações e cordas dividem espaço com a guitarra pesada de Daniel e a cozinha de Ben Gillies e Chirs Joannou. O mesmo se repete na faixa seguinte, "The Greatest View", que possui um riff pesado de entrada, mas sofre uma metamorfose musical, com as orquestrações. O resultado: muito bom! Remete ao Queen anos 70, e a bandas como Fleetwood Mac e o Genesis de Phil Collins. O álbum em sua maioria é constituído por boas faixas pop, com toques clássicos, como "Without You" (com um belo trabalho de guitarras e violões), a semi balada "World Upon Your Shoulders", e faixas como "Tuna in the Brine", "Luv Your Life" (belíssima balada, uma das mais bonitas do cd) e baladaça "After all these Years", que encerra o show. As letras são positivas, e Daniel parece não falar de sua doença no contexto, mas isto é algo que cada um deve perceber por si só.

As baladas imperam, mas neste caso, está tudo tão bem feito, cada nota tão bem inserida no contexto do cd, que o resultado fica muito agradável aos ouvidos. Ainda existem resquícios do velho e pesado Silverchair nas revigorantes "One Way Mule" e "The Lever", com seus riffs rasgados e a voz agressiva de Daniel. Eles mudaram, mas não esqueceram como fazer rock.

Um cd surpreendente, que merece ser conferido, e que mostra uma faceta nova deste trio talentoso. Tomara que seu líder se recupere para que a banda possa retomar sua rotina de shows, seria muito interessante ver como o estilo de "Diorama", mesclado aos cd's anteriores, mudaria o show do Silverchair. Pode conferir sem medo.

Lançado no Brasil pela Atlantic/WEA .




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Silverchair"


Post-grunge: 10 bandas do gênero que você precisa ouvir (1)Post-grunge
10 bandas do gênero que você precisa ouvir (1)

Silverchair: Daniel Johns surge bêbado e de batom nas ruas de SydneySilverchair
Daniel Johns surge bêbado e de batom nas ruas de Sydney

Grunge: as 10 melhores músicas do movimentoGrunge
As 10 melhores músicas do movimento


Autores que inspiraram o Heavy Metal: Friedrich NietzscheAutores que inspiraram o Heavy Metal
Friedrich Nietzsche

Heavy Metal: 25 bandas que fizeram o gênero ser o que éHeavy Metal
25 bandas que fizeram o gênero ser o que é

Morte: confira 15 das melhores músicas sobre o temaMorte
Confira 15 das melhores músicas sobre o tema

Black Sabbath: Tony Iommi explica diferença entre Dio e OzzyBlack Sabbath
Tony Iommi explica diferença entre Dio e Ozzy

Blasfêmias?: Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e DeusBlasfêmias?
Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

Muse: o que faz do trio uma das maiores bandas da atualidade?Muse
O que faz do trio uma das maiores bandas da atualidade?

Metallica x Reverend: a oração que ambas bandas usaram em letraMetallica x Reverend
A oração que ambas bandas usaram em letra


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336