Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemAndre Matos sempre foi de esquerda e reprovaria governo atual, diz irmão do maestro

imagemDo Ozzy ao Slayer: veja os momentos mais metal do desenho South Park

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemSyd Barrett em 1967 analisando os principais singles lançados em julho

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemDaniel Cavanagh, do Anathema, sobrevive a tentativa de suicídio

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemComo CDs e MP3s decepcionaram Jimmy Page

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"


Stamp

Resenha - Hollyweird - Poison

Por Rafael Carnovale
Em 26/08/02

Nota: 10

Quem diria que os norte americanos do Poison conseguiriam retornar a ativa? Os problemas pessoais após a bem sucedida tour do álbum "Flesh and Blood" foram tão agitados, que nem os cd’s seguintes ("Native Tongue – um bom cd, mas um tanto diferente da sonoridade rock do Poison, e o quase que não lançado "Crack a Smile – outro bom cd) deram estabilidade à banda, que só começou a levantar-se quando trouxe de volta para suas fileiras o excelente guitarrista C.C. De Ville e lançou o cd "Power to The People", um mixto de faixas ao vivo e inéditas.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Mas eis que agora eles voltam com tudo com esse excelente "Hollyweird". Pela capa você já saca: é hard rock na praia. A faixa título, que abre o cd, é nada mais que fantástica: um hard cativante, com riffs de guitarras cortantes e o vocal correto de Brett Michaels. De longe uma candidata a hit. As faixas seguintes, "Squeeze Box" e "Shinning Star", mantém o pique, com tudo o que consagrou a banda - o famoso "glam rock" - um mixto de rock pesado com pitadas pop.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Não há nada para criticar nesse cd: o mesmo vêm sem nenhuma balada, o que em se tratando de Poison é algo raríssimo, a não ser pelo começo de "Stupid, Stored and Dumb", que descamba para um hard de alto nível. O vocal de Brett está afiadíssimo, assim como as guitarras de C.C., que realmente mostra-se um bom músico. Não cometerei o erro de compará-lo a Richie Kotzen ou Blues Saraceno, mas ele dá conta do recado com excelência.

Destaques? Todas as faixas merecem destaque. "Home" aparece em duas versões, uma cantada e escrita por Brett e outra cantada e escrita por C.C., muito legais. Quer uma dica? Comece a ouvir esse cd pela última faixa, a bônus "Rockstar", aonde os caras se reafirmam como Rockstars e mandam num hard pesado cujo refrão lembra muito Motley Crue (outra banda do mesmo calibre) e duvido que o mesmo não grude em sua mente.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

De longe um ótimo cd, e o melhor da banda.

Lançado nos EUA pela Cyanide Records.


Outras resenhas de Hollyweird - Poison

Resenha - Hollyweird - Poison

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Produtor do Poison dedurou grupo por plágio; é uma banda sueca, quem vai saber?Produtor do Poison dedurou grupo por plágio; "é uma banda sueca, quem vai saber?"


Poison: Kotzen me fez um favor quando me corneou, diz Rikki



Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale.