Resenha - Nocturnal Rites - Shadowland

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

9


Heavy metal! Que coisa boa quando é bem feito e cativante... e os suecos do Nocturnal Rites acertaram em cheio mais uma vez. Depois das mudanças de Line Up, e do bom "Afterlife", lançado em 2000, a banda parte agora para este "Shadowland", mantendo suas características básicas, um power metal inspiradíssimo em Helloween e com fortes influências de Iron Maiden. Antes de tudo, uma banda muito habilidosa e capaz de compor músicas cativantes, com refrões que teimam em ficar no ouvido.

Por que o Whiplash.Net republica matérias?

Emos: 23 músicas que já estiveram na sua playlist

O primeiro destaque já fica para a capa, um excelente trabalho de Leo Hao. O cd abre com a faixa "Eyes of the Dead", um power muito inspirado em Helloween fase Andi Deris, altamente cativante e com refrão marcante. De cara nota-se que a banda está mais afinada do que nunca. A faixa seguinte, "Shadowland", mostra muitas influências de Iron Maiden fase "Seventh Son", sendo altamente cativante, principalmente pelos vocais bem afinados de Jonny Lindqvist, que se encaixaram perfeitamente na banda. Os sons mais cadenciados aparecem em faixas como "Invencible", "Underworld" e o grande destaque, "Faceless God", uma faixa com levadas de bateria empolgantes e riffs cavalares, que ficará excelente ao vivo. Duvido que após ouvir essa faixa o refrão "Faceless God" não fique na cabeça de qualquer um.

A banda também investe nos sons mais speed, lembrando muito o Helloween da fase "Keepers", como em "Never Die", com perfeito entrosamento entre guitarras, baixo, bateria e teclados (uma constante em todas as faixas), na belíssima "Vengeance" (com um excelente solo no início e uma velocidade muito agressiva), e na melhor de todas, "The Watcher" que com suas mudanças de andamento e riffs contagiantes, demonstra todo o potencial da banda.

Não há muitas diferenças entre este cd e seu antecessor, mas é mais um cd que merece uma conferida, mostrando que ótimas bandas de heavy metal surgem nesse mundo, calando a boca de quem dizia que o estilo estava morto.

Line Up:

Jonny Lindqvist – Vocal
Fredrik Mannberg – Guitarras
Nils Norberg – Guitarras
Nils Eriksson – Baixo
Owe Lingwall – Bateria
Mattias Bernhardsson - Teclado
Material Cedido pela:

Material enviado por:

Century Media Records:
http://www.centurymedia.com
http://www.centurymedia.com.br




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Power Metal: 20 bandas para quem é fã do estiloPower Metal
20 bandas para quem é fã do estilo


Por que o Whiplash.Net republica matérias?Por que o Whiplash.Net republica matérias?

Emos: 23 músicas que já estiveram na sua playlistEmos
23 músicas que já estiveram na sua playlist


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin