Resenha - Generacion Perdida - Corazones Muertos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos


Aproveitando a vinda dos Corazones Muertos ao Brasil, numa excursão que começa em Rio Claro/SP, passa pela capital São Paulo, Campinas/Sp, Belo Horizonte/MG e termina em Florianópolis/SC agora em janeiro de 2005, a gravadora argentina Bourbon Records vem colocar no mercado o debut "Generacion Perdida", lançado originalmente em 2003 em seu país natal.

Separados no nascimento: Steven Tyler e Márcia GoldsmichThrash Metal: 10 novas promessas - incluindo uma brasileira

E o que los hermanos vizinhos tocam? Que tal uma mistura de New York Dolls, Ramones e algo do hard rock norte-americano lá dos anos 80? Pois é exatamente isso, tudo bem sujo e desleixado, com aquele cheirão de banda de garagem. Esses gringos desconhecem completamente o que é técnica na hora de tocar, mas em compensação os riffs pegajosos, a energia cheia de alto astral que flui de suas canções compensa com sobras esse "detalhe".

Os Corazones Muertos são Joe (voz e guitarra), Zeki (guitarra), Pelke (baixo), Bonnie (bateria) e Bonnie (backing vocals), todos fazendo cara de "meninos malvados", mas usando roupa de oncinha... E como o argentino tem o maior respeito pela sua língua, então obviamente todo o álbum é cantado em castelhano, o que dá para acompanhar na boa as canções, que falam sobre festas, desilusão, mulheres, desilusão, biritas, mais desilusão... pô, o disco foi composto em plena crise Argentina, há alguns anos, só assim tanta desilusão. Mas é um puta disco, dedicado somente em nome da diversão, rebeldia e sacanagens.

O destaque vai para "Vagabunda", cujo refrão fica colado na mente (minha mulher ficou me enchendo o saco de tanto ficar cantando isso pela casa), "Cuantas Veces", que tem um arranjo perfeito e simples, "Em el Altar" com sua letra espertíssima e impagável, e por aí vai, são ótimas canções que a galera que curte hard rock farofa e rock n' roll bem sujo vai curtir muito.

CORAZONES MUERTOS - Generacion Perdida
(2003 - Bourbon Records)

01. Vagabunda
02. Cuantas Veces
03. Viciosa
04. Em El Altar
05. Sucio Estilo
06. Dulce Sueno
07. Mala Suerte
08. Mi Rock n' Roll
09. Uma Más
10. El Tren Del Vicio




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Corazones Muertos"


Separados no nascimento: Steven Tyler e Márcia GoldsmichSeparados no nascimento
Steven Tyler e Márcia Goldsmich

Thrash Metal: 10 novas promessas - incluindo uma brasileiraThrash Metal
10 novas promessas - incluindo uma brasileira

Overkill: mandando recado ao Avenged SevenfoldOverkill
Mandando recado ao Avenged Sevenfold

Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposRock Progressivo
As 25 melhores músicas de todos os tempos

Beavis e Butthead: como eles seriam se fossem reais?Beavis e Butthead
Como eles seriam se fossem reais?

Mulheres no Metal: 7 divas fundamentais para o Heavy MetalMulheres no Metal
7 divas fundamentais para o Heavy Metal

USA Today: as 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUAUSA Today
As 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUA


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336