Resenha - Scattered, Smothered & Covered - Hootie and the Blowfish

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Uma das melhores bandas que apareceram nos EUA nos últimos anos. Vinda de Virginia, com ótimos lançamentos como "Cracked Rear View", "Fairwater Jonhson" e "Musical Chairs", o Hootie conseguiu uma repercussão monstruosa por parte do público, se tornando uma das maiores bandas daquele país. Por terras brasileiras a banda nunca fez tanto sucesso, porém cada vez mais gente passa a conhecer o som de Darius (vocais e guitarra), Mark (guitarra e piano), Dean (baixo) e Jim (bateria), e não há ser vivo no mundo que consiga ficar imóvel com suas músicas.

Anos 80: bandas nacionais que o tempo esqueceuCâncer na língua: entenda a doença de Bruce Dickinson

O novo disco é uma coletânea de covers de grupos que são influência para o Hootie, sendo que foram retiradas de diversas fases da banda, de ensaios, singles e aparicões ao vivo. As influências country estão mais latentes no seu pop/rock, mas nada que venha chatear ou incomodar quem está ouvindo, pois, além disso, todas as faixas são regadas pela voz incrível de Darius, que torna o trabalho impossível de não ser apreciado. Destaques são vários, desde a primeira, "Fine Line", de Radney Foster, com participação nos vocais de Gena Rankin, passando pela perfeita "I Go Blind", que inicialmente era um b-side do disco "Cracked Rear View", ou da irretocável "Hey Hey What Can I Do" (Led Zeppelin).
Por mais que nenhuma faixa seja do próprio Hootie, todas as músicas parecem que foram escritas pela própria banda, pois eles realmente conseguiram impor seu estilo nelas.

Se você já conhece, compre na hora, se ainda não conhece, não seria o melhor disco para começar, mas mal não vai fazer.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Hootie And The Blowfish"


Anos 80: bandas nacionais que o tempo esqueceuAnos 80
Bandas nacionais que o tempo esqueceu

Câncer na língua: entenda a doença de Bruce DickinsonCâncer na língua
Entenda a doença de Bruce Dickinson

Humor: as 101 regras do New Metal/Nu-metalHumor
As 101 regras do New Metal/Nu-metal

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1987Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1987

A7X: Curiosidades sobre a banda que talvez você não saibaA7X
Curiosidades sobre a banda que talvez você não saiba

Loudwire: os 10 maiores retornos da história do rock e metalLoudwire
Os 10 maiores retornos da história do rock e metal

Kirk Hammett: Venom é que nem filme ruim de terrorKirk Hammett
Venom é que nem filme ruim de terror


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336