Resenha - Wheel Of Life - Karmakanic

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Os Flower Kings não param um segundo! Jonas Reingold principalmente, e se seguir essa trilha, vai bater a discografia de Tony Levin. O melhor de tudo é que ele vem se superando a cada lançamento e projeto que integra, com um som de baixo perfeito, poderoso, e linhas fortíssimas.

Drogas e Álcool: protagonistas nos piores shows de grandes astrosFreddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

O Karmakanic demonstra tudo isso e mais um pouco. Escute Reingold ao lado de Krister Jonsson nas guitarras e Zoltan Csorsz na bateria da insana "Do U Tango?" e você entenderá completamente o que estou falando. Instrumentos perseguindo uns aos outros precisa e harmonicamente, às vezes em linhas rápidas e bem complexas, e padrões rítmicos em constante variação.

O CD conta também com "Where Earth Meets The Sky", uma das composições mais belas do rock progressivo desde o lançamento de "Snow" do Spock's Beard. Isso se deve também às participações especiais. Os vocais de Inger Ohlén, a percussão de Helen Melin e as congas e o yembé de Sal Dibba, lembram bastante os experimentos étnicos de Peter Gabriel. Igualmente em relevo estão os teclados e pianos de Jakob Karlzon e Tomas Bodin (sim, outro Flower King) no hammond. Música brilhante com treze minutos de duração e nenhum escorregão.

No decorrer do disco, outros convidados especiais aparecem, como Roine Stolt (Flower Kings, TransAtlantic, Kaipa) e Richard Andersen (Time Requiem, Space Odyssey).

Hei de lembrar, apesar de todos os elogios, que iniciei meu comentário na faixa quatro ("Do U Tango?") e isso tem uma razão. As três primeiras canções não embalam tanto, apesar dos excelentes vocais de Goran Edman (ex-Yngwie J. Malmsteen). Contudo, sem dúvida, da quarta à oitava e última música, o que temos é um material inabalável.

Se em termos de prog metal, o recheio fica por conta de Pain Of Salvation, Dream Theater, Symphony X, e o Shadow Gallery, a cada quatro anos, saiba que os Flower Kings estão dominando o território do rock progressivo, com a própria banda, e os projetos paralelos de seus membros, em especial The Tangent e Karmakanic.

Lançado pela Regain Records - 2004




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Karmakanic"


Drogas e Álcool: protagonistas nos piores shows de grandes astrosDrogas e Álcool
Protagonistas nos piores shows de grandes astros

Freddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentaçãoFreddy Frenzzy
O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentação

Eddie Van Halen: falando sobre o solo de Beat ItEddie Van Halen
Falando sobre o solo de "Beat It"

Woodstock: som ruim, gente demais e cheiro de fezes e urinaWoodstock
Som ruim, gente demais e cheiro de fezes e urina

G.G. Allin: o extremo dos extremosG.G. Allin
O extremo dos extremos

Metallica: James Hetfield comenta todas as letras do HardwiredMetallica
James Hetfield comenta todas as letras do "Hardwired"

Guns N' Roses: Scott Weiland torcia pela reunião, diz SlashGuns N' Roses
Scott Weiland torcia pela reunião, diz Slash


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336