Resenha - Shock Waves - Leather

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

9


Relançamentos de álbuns que entraram para a história do rock/metal e fizeram a cabeça dos fãs no passado, são sempre muito bem vindos. Principalmente quando trazem músicos que fazem sucesso até hoje e são conhecidos, pelos mais novos, apenas por suas bandas/projetos mais atuais.

publicidade

"Shock Waves" é um típico caso de um relançamento importante. Os músicos que tocam no álbum e os outros que participam com composições, ganharam milhares de fãs, que, em sua maioria, nem imaginam o que estes caras fizeram no passado. É o caso de David T. Chastian, que não toca no CD, mas que produziu o álbum e teve participação na composição de seis das nove músicas presentes. Dessas seis, três são totalmente dele.

publicidade

Incluindo as letras. Hoje, David é famoso com alguns trabalhos solos e com sua banda de power metal melódico, o Zanister, onde toca ao lado de Michael Harris, o guitarrista que acompanha a vocalista Leather Leone neste álbum. Outros músicos que não tocam, mas que tiveram participação nas composições são: Pat O’Brien, que também já ganhou nome tocando com Cannibal Corpse, Lethal e Nevermore e Mark Shelton igualmente consagrado com o Manilla Road.

publicidade

Porém, o heavy metal oitentista da banda, liderada por Leather Leone, era o estilo seguido por estes músicos antes de ganharem maior fama em bandas como Zanister e Nevermore.

Mais importante do que toda essa ‘fama’, é a competência que mostram tocando em estilos diferentes dentro do metal.

Michael Harris é o melhor exemplo dessa variação de formas de se fazer metal, mas sempre mantendo a qualidade. O que Michael faz em "Shock Waves" é algo de muito inteligente, preciso e bem feito. Chega a roubar de Leather o ‘papel principal’, quando em algumas músicas cria melodias maravilhosas e mostra uma técnica excepcional. Leather Leone tem uma voz realmente poderosa e impressiona. Porém, deixa claras limitações, que poderiam ser superadas com um trabalho/estudo mais intenso. Ela canta bem, variando bastante com a voz privilegiada que tem. No entanto, "rasga" o vocal sem necessidade alguma em certas músicas. Passa a nítida impressão de não ter grande noção do que está fazendo.

publicidade

A produção é excelente, assim como a maioria das produções de Chastain.

No encarte, Leather fica com o foco principal, obviamente. São várias fotos da mocinha, que hoje já deve ter se transformado em uma coroa bem enxuta ("Shock Waves" foi lançado, originalmente, em 1989). Indicado para fãs de metal oitentista, para fãs de Zanister, Nevermore & cia. Além de adquirir um ótimo álbum, você também estará conhecendo um pouco mais sobre trabalho de seus ídolos.

publicidade

Formação:
Leather Leone (Vocais)
Michael Harris (Guitarras)
John Luke He'bert (Bateria)
David Harbour (Baixo)




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Queen: Estaríamos fazendo música se Freddie estivesse vivo, mas não sei de JohnQueen
"Estaríamos fazendo música se Freddie estivesse vivo, mas não sei de John"

U2: as 10 melhores músicas de todos os tempos da bandaU2
As 10 melhores músicas de todos os tempos da banda


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin