Resenha - Ed Hunter - Iron Maiden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Marcelo Martins
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Talvez eu esteja errado, mas o Ed Hunter foi o jogo mais esperado pelos HeadBangers do mundo inteiro. Foram dois anos de produção e um marketing pesado em cima desse produto. Também não é por menos, além de ser uma divulgação incalculável para o Maiden (lembrando também que 4 músicas do Maiden foram colocadas no jogo Carmaggedon 2) poucas bandas de Rock lançaram um jogo. O Aerosmith teve aquele Revolution X, que por sinal, é bem chatinho.Entretanto, o jogo tem suas falhas. Mas antes de falar sobre elas, vamos falar das qualidades.

5 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores5000 acessosRolling Stone: revista elege melhores faixas de álbuns ruins

Gráficos: impressionantes. Os caras da Synthetic Dimensions conseguiram pegar direitinho o espírito das capas dos discos da banda. Na primeira fase, o cenário é igualzinho ao de Killers e Iron Maiden. Tem tudo lá, o metrô, os becos escuros, o Cart And Horses, a 22 Acacia Avenue, os punks... TUDO! É muito bem feito e talvez a melhor fase do jogo. As outras fases, na ordem do jogo, são: o manicômio (Piece Of Mind), o inferno (The Number Of The Beast), o cemitério (Live After Death), a tumba do faraó (Powerslave), a cidade do futuro (Somewhere In Time) e o mundo apocalíptico (Futureal).
Além dos cenários perfeitos, os movimentos dos inimigos são incríveis e o desenho deles também. Ou seja, em matéria de gráficos, Ed Hunter é nota 10.

Som: Nem se fala. Você pode escolher um monte de músicas do Iron Maiden pra ouvir em cada fase. Os efeitos sonoros também são bons, mas nada de espetacular.

Jogabilidade: o jogo é no estilo Time Crisis e Virtual Cop, ou seja, você só controla a mira e não a tela, como em Doom e similares. Na minha opinião, seria muito melhor se eles fizessem um jogo tipo Doom porque seria muito mais divertido explorar. Mas não se engane! O jogo é muito difícil e você leva, em média, 20 minutos pra passar de cada fase. Ou seja, carregue o jogo e fique 2 horas jogando e atirando sem parar. A resposta do mouse é ótima e eles até simulam o coice da arma. Atrapalha um pouco, mas depois você se acostuma.

Defeitos: na primeira fase, você pode escolher caminhos diferentes, mas nas outras não! Isso é muito ruim porque torna a jogabilidade um pouco repetitiva, principalmente porque a partir da segunda fase, os cenários são muito parecidos. Por exemplo: no manicômio, você passa a fase inteira no hall de entrada. Só. E só sai dalí perto do final. No cemitério, o cenário é quase que totalmente composto de lápides, só tem uma igreja lá no fundo que você nem chega a entrar. Eles podiam ter aproveitado isso. Na fase Powerslave também eles erram: é o tempo todo dentro da pirâmide e o cenário se repete bastante. É uma pena porque eles podiam aproveitar bem mais as possibilidades de mudança de cenário.Outro defeito um pouco chato é a escolha da música. Uma vez escolhida uma determinada música, ela continua até o final da fase. Ou seja, se você escolher Aces High pra tocar na primeira fase, você vai ouvir Aces High umas 4 ou 5 vezes, até terminar o estágio. É um pouco cansativo. E não pense que trocar o CD vai adiantar alguma coisa... Primeiro, Ed Hunter só roda com o Cd dentro do drive e as músicas não são lidas como faixas de áudio do Cd, e sim, do próprio arquivo do jogo!! Então, não tem jeito de você ouvir Green Day enquanto estiver jogando Ed Hunter.

Achei também outra falha enquanto estava jogando: as vidas. No nível easy você começa com 3 vidas, ganha mais uma quando faz 100.000 pontos e outra quando completa 200.000. Nos 300.000 você não ganha mais. Além disso, você pode ganhar vidas durante as fases, atirando nas cabeças do componentes das bandas. Cada cabeça dá uma vida. O problema é que depois de um certo tempo, as cabeças não dão mais vida!! Não sei se depois de 300.000 pontos, não sei se é um bug... Só sei que, sem essas vidas, o jogo se torna MUITO DIFÍCIL no nível easy e praticamente IMPOSSÍVEL no nível hard. Já instalei o patch novo, que peguei no site oficial (www.edhunter.com) , mas esse "defeito" não foi resolvido. Se alguém souber o que é isso, por favor mande um e-mail para master@cdl.com.br.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Iron MaidenIron Maiden
Steve Harris assiste show do Metallica no Canadá

5 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores310 acessosBruce Dickinson: voando em um bombardeiro da II Guerra Mundial0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

The Raven AgeThe Raven Age
A banda do filho de Steve Harris

CuriosidadesCuriosidades
10 músicas que foram "tomadas" emprestadas

Bruce DickinsonBruce Dickinson
Irritado com piadinhas sobre sexo oral

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"

Rolling StoneRolling Stone
As melhores faixas que fazem parte de álbuns ruins

NirvanaNirvana
Ronaldinho Gaúcho em homenagem a Nevermind

ACDCACDC
Dave Evans: "Aquela coisa Glam foi idéia do Malcolm!"

5000 acessosMulheres no Rock: as mais importantes segundo rádio inglesa5000 acessosMalmsteen: Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista5000 acessosGóticas: 10 grandes bandas do gênero na Inglaterra dos anos 805000 acessosGuns N' Roses: os Jovens Pistoleiros, sexo, drogas e RnR3917 acessosHeavy Metal: as dez melhores bandas sul-americanas do gênero3985 acessosExodus: "A Portuguesa do thrash metal", diz matéria da Veja

Sobre Marcelo Martins

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online