Resenha - Hypnotica - Empire

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Se detalharmos aqui a biografia ou discografia dos músicos que participam do Empire, teremos um grande problema. Boa parte é nômade do meio musical, seres em perpétuo movimento por bandas e projetos importantíssimos, que fizeram história em diversos estilos. Desta feita, seguem para o AOR, hard rock melódico. Novamente, se deram bem.

Motley Crue: Atriz pornô comenta sua relação com Tommy LeeBatom, laquê...: Como formar uma banda de Hard Rock em 69 lições

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para quem conhece Lance King no comando dos vocais do Balance Of Power, "Hypnotica" traz ótimas oportunidades de acompanhá-lo sobre outra óptica e perceber o leque poderoso de opções e variações dele. A exigência técnica à qual seu grupo principal o submete se desgarrou nessa proposta paralela, na qual King canta com mais emoção, vibração e liberdade.

Rolf Munkes, aparentemente o segundo cabeça do conjunto, confirma sua excelente fase, e ascensão na cena dos virtuoses da guitarra. Sua pegada é perfeita para a proposta trazida, com um 'feeling' oitentista, típico da Era pós-Eddie Van Halen, pegando geral, o tempo todo.

As intervenções dos convidados Mark Boals, Anders Johansson e Don Airey são simplesmente fantásticas. Não dá pra chamar atenção e tratar de apenas um deles. A fase do primeiro é incontestável, um dos melhores, senão o maior nome do vocal na atualidade do rock / metal. O segundo se solta em trabalho diferente do que checamos no HammerFall e em outros oportunidades anteriores. Já o último, é ele mesmo, o de sempre, e continua agradando.

Falamos bastante do individual e técnico, porque os momentos de mais inspiração saem daí. Em termos de grupo, funcionou sim, houve uma boa 'química', contudo poucas composições, como "Into The Light", "Spread My Wings", "Here I Am" e "Another Place, Another Time", apresentam-se entusiásticas.

Indubitavelmente uma ofensiva que lhe deixará espantado quanto às individualidades e saberes sobre o 'tema' abordado e a vertente musical escolhida como guia. Todavia, o efeito da coletividade talvez não encante tanto quanto esperávamos. Já está bom, mas que melhore nos próximos álbuns, caso concretizem a idéia de lançá-los.

Site Oficial - http://www.empire-rock.com

Formação:
Lance King (Vocais)
Mark Boals (Vocais)
Rolf Munkes (Guitarras - Baixo)
Neil Murray (Baixo)
Don Airey (Teclados)
Gerald Kloos (Bateria)
Anders Johansson (Bateria)

Material cedido por:
Nightmare Records - http://www.nightmare-records.com
7751 Greenwood Drive, Saint Paul,
Minnesota (MN) - 55112 - USA
Email: info@nightmare-records.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Empire"


Motley Crue: Atriz pornô comenta sua relação com Tommy LeeMotley Crue
Atriz pornô comenta sua relação com Tommy Lee

Batom, laquê...: Como formar uma banda de Hard Rock em 69 liçõesBatom, laquê...
Como formar uma banda de Hard Rock em 69 lições


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336