Resenha - Critical - Eric Weber's Reason

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Salvatore D'Angelo
Enviar correções  |  Ver Acessos


A banda Reason, ou melhor dizendo, Eric Weber's Reason, foi formada no início do novo milênio como um projeto solo de seu líder e remanescente desde então, o vocalista EW que lembra muitíssimo o "Sensacional Alex Harvey" ( vide "The Sensational AH Band" dos anos 70 ). Baixista, guitarrista solo e base, além de lyrics & music, aposta todas suas cartas no tradicional e eterno Heavy Metal por amor ao estilo.

Beatles: Quais as pessoas e objetos da capa do Sgt. Peppers?Slash: A lição aprendida após espalhar que Paul Stanley era gay

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Critical é influenciado, sobretudo, por dois dos eternos e idolatrados Monsters of Rock, Black Sabbath & Judas Priest, dentre outros. O projeto foi tomando forma e "poder" com a entrada de Rafael Rosa (indicado a EW por Kiko "Angra" Loureiro - participou da seleção para substituir Ricardo Confessori permanecendo por alguns meses na banda ensaiando e gravando demos) e de dois exímios "guitaHeros" - William César e Francisco Carbone, fatos estes que transformaram o projeto em banda.

Todo material - músicas e letras - árdua e criativamente desenvolvido por Eric "Reason" Weber, gerou início das gravações do full lenght Critical no final de 2002. O processo encerrou-se em meados de 2004, sendo que todos os instrumentos foram gravados sem que a banda fizesse um ensaio sequer - batera, baixo e vocal foram criados sobre uma guia de guitarra indo direto para os estúdios (Rafael Rosa's Home Studio & London Musical Studio).

Looking Into Your Soul, que abre o debut, apresenta riffs à Tony "Sabbath" Iommi e cozinha fervilhante com pratos cintilando do início ao fim. A letra obscura retrata o lado sombrio onde uma pessoa pode chegar e estar devido a trilha de caminhos tortuosos. Your Life Was Blue é uma mensagem anti-drogas aos que viviam uma vida azul encontrando-se agora em um inferno sem cores. Eric "Harvey" Weber ataca novamente como na track anterior com vocais nitidamente semelhantes aos de Alex Harvey. O repique nos pratos acompanhando os solos de guitarra é de extremo bom gosto. Eric Weber e sua "Sensational Reason Band" executa com maestria outra faixa altamente influenciada pelo estilo único de Black "Eternal" Sabbath - Church Of Sorrow que aborda um tema muito polêmico - o abuso das igrejas explorando financeiramente as pessoas humildes que acabam por ceder o pouco que possuem aos "Marajás de Deus".

I'm The Killer foi a primeira música composta por EW e que nomeou o MCD Debut da então Banda Reason, lançado na metade de 2000 (vide O Grito #10 07/00). Apresenta guitarras nervosas, virtuosas e pesadíssimas no tradicional estilo Iommi, o Mestre dos Mestres ! (vide Born Again com Ian "Purple" Gillan). Expressa o sentimento de um serial killer por sua vítima. A intro é melódica com solo de guitarra acompanhando vocal em estilo balada, até a triunfal entrada de Eric "Killer" Weber destilando vocais rasgados - sem dúvida alguma é outra das poderosas do álbum apresentando grandioso solo duelado entre Luís Carlos de Luca (production / engineering) & EW. Master é outra à la Black "Master Iommi" Sabbath em que Francisco Carbone & William César exibem suas técnicas e competência de forma fiel ao tradicional Hard & Heavy Metal.

Talvez a mais speed do álbum, Raping Your Mind and Raping Your Soul com toda fúria do grande Eric esbanjada ao extremo, é uma crítica à massificação e banalização do mais influente meio de comunicação do mundo que é a televisão. Como não poderia deixar de ser (o título diz tudo) e de constar como em todo e qualquer bom álbum de Hard Rock, a balada Silence Love com teclados brilhantemente exeutados por Gunther Ogo e lindíssimo solo de violão por Carbone.

Time is too Late possui intro com solo distorcido de baixo finalizando energicamente o debut de forma clássica.

Atualmente Aldo Assada é o baixista oficial da banda (entrou após o término das gravações) deixando Eric Weber exclusivamente com os vocais e composições. EW foi e é altamente influenciado por Rob "The Metal God" Halford, Tim "The Ripper" Owens, Glenn "The Voice of Rock" Hughes, Ray Gillen, Freddie Mercury, Elvis "The King of Rock'n Roll" Presley, entre outros, sem deixar sua personalidade imitá-los. Por vezes nota-se certa semelhança de seu timbre com o de Tim "Iced Earth" Owens.

Breve Biografia de Eric Weber

Aos 8 anos seu presente de aniversário foi a coletânea Killers da banda Kiss, primeiro LP de Rock de sua vida. Segundo Eric: "eu realmente ouvia o disco durante o dia todo". Por volta de 83 a influência de Rock e Metal era grande, principalmente entre seus colegas - "eu passei minha infância inteira ouvindo Iron Maiden, Kiss e Twisted Sister". Quando tinha 16 anos é que se interessou em aprender um instrumento que foi a guitarra. Logo estava gravando suas primeiras demos com alguns covers que aprendia nas aulas.

Ao ingressar na universidade distanciou-se um pouco da música, mas em pouco tempo estava de volta. Foi nessa época que conheceu Luca, proprietário de uma pequena escola de música. Juntamente com seu novo amigo começou a criar algumas músicas levando-os a encarar o desafio de gravar uma demo para o Projeto Reason. Este desafio resultou na primeira demo da dupla chamada I'm The Killer. Continha duas composições próprias - a faixa-título e Girl - e dois covers de Judas "Jugulator" Priest da era Halford - Breaking the Law (from the British Steel album '80) e Love Bites (from Defenders of the Faith '84).

Nesta época Weber foi chamado através de um anúncio que havia publicado em uma revista, pelo guitarrista Diogo Rampazzo para fazer testes em uma banda de Speed Metal. Segundo EW: "o teste foi animal ! foi realizado no estúdio do Tiguez do Symbols; assim que me ouviu cantando veio perguntar quem era o vocalista; batemos um papo, elogiou-me e sugeriu que me aprimorasse fazendo aulas com o Edú Falaschi, então vocalista da banda em ascenção Symbols". Neste período deu uma força como roadie dos Symbols, estreitando ainda mais sua ligação com a banda. Em uma conversa com Tito que havia recentemente saído do time, Weber comentou que procurava por bons músicos profissionais, pois pretendia gravar um álbum. Foi então que Falaschi se ofereceu para produzir, tocar e ajudar a compor trazendo seu ex-companheiro de banda Rodrigo Arjonas para fazer as guitarras. Porém, a dupla Falaschi / Arjonas tomou outros rumos e não concluíram as gravações.

A partir daí... a atual fase está descrita no início desta resenha.

Salvatore D' Angelo
files_x@ig.com.br
Especial p/ O Grito 08/04




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Eric Weber"


Beatles: Quais as pessoas e objetos da capa do Sgt. Peppers?Beatles
Quais as pessoas e objetos da capa do Sgt. Peppers?

Slash: A lição aprendida após espalhar que Paul Stanley era gaySlash
A lição aprendida após espalhar que Paul Stanley era gay


Sobre Salvatore D'Angelo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Salvatore D'Angelo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336