Tradução - Highway 61 Revisited - Bob Dylan

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Tradução - Highway 61 Revisited - Bob Dylan

Traduzido por Márcio Ribeiro

  | Comentários:
Imagem

Mais um dos clássicos discos de Bob Dylan da década de sessenta. O álbum ficou quarenta e sete semanas entre as mais vendidas, seu ponto mais alto chegando a n° 3 nos Estados Unidos e n° 4 na Inglaterra. Canções abarrotadas de letras enigmáticas e poemas sociais. Dylan comenta sobre o fenômeno da contracultura, refletindo sobre seus poetas ideológicos e a indústria fonográfica que busca apenas o lucro. Este, como outros discos de Dylan no período, influenciou toda a sua geração, e tem como destaques as canções “Like A Rolling Stone” (No.3 nos USA e No.4 em UK), “From A Buick 6” (No.7 em USA e No.8 em UK) e “Ballad of a Thin Man” cujo personagem principal foi citado até pelos Beatles (‘Feels like Dylan’s Mr. Jones’). Várias das canções contidas aqui já foram regravadas por artistas tão diversos que vão de Hendrix a Cher.

Like A Rolling Stone

Once upon a time you dressed so fine
You threw the bums a dime in your prime
Didn't you?
People'd call, say, "Beware doll
You're bound to fall"
You thought they were all kiddin' you
You used to laugh about
Everybody that was hangin' out
Now you don't talk so loud
Now you don't seem so proud
About having to be scrounging for your next meal

How does it feel?
How does it feel?
To be without a home?
Like a complete unknown?
Like a rolling stone?

You've gone to the finest school
All right, Miss Lonely
But you know you only used to get juiced in it
And nobody has ever taught you
How to live on the street
And now you find out
You're gonna have to get used to it
You said you'd never compromise
With the mystery tramp, but now you realize
He's not selling any alibis
As you stare into the vacuum of his eyes
And ask him do you want to make a deal?

How does it feel
How does it feel
To be on your own
With no direction home
Like a complete unknown
Like a rolling stone?

You never turned around to see the frowns
On the jugglers and the clowns
When they all come down
And did tricks for you
You never understood that it ain't no good
You shouldn't let other people
Get your kicks for you
You used to ride on the chrome horse
With your diplomat
Who carried on his shoulder a Siamese cat
Ain't it hard when you discover that
He really wasn't where it's at
After he took from you everything he could steal

How does it feel
How does it feel
To be on your own
With no direction home
Like a complete unknown
Like a rolling stone?

Princess on the steeple and all the pretty people
They're all drinkin', n’ thinkin' that they got it made
Exchanging all kinds of precious gifts and things
But you'd better lift your diamond ring
You'd better pawn it babe
You used to be so amused
At Napoleon in rags and the language that he used
Go to him now, he calls you, you can't refuse
When you got nothing, you got nothing to lose
You're invisible now
You got no secrets to conceal

How does it feel
How does it feel
To be on your own
With no direction home
Like a complete unknown
Like a rolling stone?

Como Uma Pedra Que Rola *

Era uma vez, você se vestia tão bem
Jogava esmola aos mendigos em seu auge
Não foi?
As pessoas chamavam, dizendo “Cuidado boneca
Você está pedindo pra cair”
Você achou que todos eles estavam brincando com você
Você costumava rir de
Todo mundo que ficava vadiando ao redor
Agora você não fala tão alto
Agora você não parece tão orgulhosa
De estar tendo que vasculhar pela sua próxima refeição

Como se sente?
Como se sente?
Por estar sem um lar?
Como uma completa estranha?
Como uma pedra que rola?

Você freqüentou a melhor escola
Muito bem, Senhorita Solitária
Mas você sabe que você apenas ficava enchendo a cara lá
E ninguém jamais lhe ensinou
Como viver nas ruas
E agora você descobre (que)
Você vai ter que se acostumar com isso
Você dizia que jamais condescenderia
Com o vagabundo misterioso, mas agora você percebe
Que ele não está vendendo álibis
Enquanto você olha fixamente para o vácuo de seus olhos
E o pergunta, você quer fazer um trato?

Como se sente?
Como se sente?
Por estar por sua conta?
Sem nenhuma direção para casa
Como uma completa estranha?
Como uma pedra que rola?

Você nunca se virou para ver as carrancas
Dos equilibristas e dos palhaços
Enquanto todos eles chegavam
E faziam truques para você
Você jamais entendeu que isso não é bom
Você não deveria deixar as outras pessoas
Se divertir no seu lugar
Você antigamente cavalgava o cavalo cromado
Com seu diplomata
Que carregava em seu ombro um gato siamês
Não é difícil quando você descobre que
Ele realmente não era tudo que aparentava ser
Depois que ele levou de você tudo que podia roubar?

Como se sente?
Como se sente?
Por estar por sua conta?
Sem nenhuma direção para casa
Como uma completa estranha?
Como uma pedra que rola?

Princesa no campanário e todas as pessoas bonitas
Estão todas bebendo e pensando que estão por cima
Trocando presentes caros e coisas
Mas é melhor você surrupiar o seu anel de brilhante
É melhor você penhora-lo, gata
Você antigamente era tão entretida
Com o Napoleão de trapos e a linguagem que ele usava
Vá para ele agora, ele te chama, você não pode recusar
Quando você não tem nada, você não tem nada a perder
Você está invisível agora
Você não tem mais segredos a ocultar

Como se sente?
Como se sente?
Por estar por sua conta
Sem nenhuma direção para casa
Como uma completa estranha?
Como uma pedra que rola?

* Rolling Stone = (pedra que rola) vem da expressão ‘uma pedra que rola não carrega limo’ (a rolling stone carries no moss). Uma vez que limo somente se dá em local sedimentado, a metáfora sugere uma pessoa que não tem paradeiro certo e que geralmente não fica muito tempo em lugar algum. Em português, costuma-se dizer que uma pessoa assim ‘não tem raiz’, substituindo a metáfora da pedra pela da planta.

Tombstone Blues

The sweet pretty things are in bed now of course
The city fathers they're trying to endorse
The reincarnation of Paul Revere's horse
But the town has no need to be nervous

The ghost of Belle Starr she hands down her wits
To Jezebel the nun she violently knits
A bald wig for Jack the Ripper who sits
At the head of the chamber of commerce

Mama's in the fact'ry
She ain't got no shoes
Daddy's in the alley
He's lookin' for the fuse
I'm in the streets
With the tombstone blues

The hysterical bride in the penny arcade
Screaming she moans, "I've just been made"
Then sends out for the doctor
Who pulls down the shade
Says, "My advice is to not let the boys in"

Now medicine man comes and he shuffles inside
He walks with a swagger and he says to the bride
"Stop all this weeping, swallow your pride
You will not die, it's not poison"

Mama's in the fact'ry
She ain't got no shoes
Daddy's in the alley
He's lookin' for the fuse
I'm in the streets
With the tombstone blues

Well, John the Baptist after torturing a thief
Looks up at his hero the Commander-in-Chief
Saying, "Tell me great hero
But please make it brief
Is there a hole for me to get sick in?"

The Commander-in-Chief answers him
While chasing a fly, saying
"Death to all those who would whimper and cry"
And dropping a bar bell he points to the sky
Saving, "The sun's not yellow it's chicken"

Mama's in the fact'ry
She ain't got no shoes
Daddy's in the alley
He's lookin' for the fuse
I'm in the streets
With the tombstone blues

The king of the Philistines his soldiers to save
Put jawbones on their tombstones
And flatters their graves
Puts the pied pipers in prison and fattens the slaves
Then sends them out to the jungle

Gypsy Davey with a blowtorch
He burns out their camps
With his faithful slave Pedro behind him he tramps
With a fantastic collection of stamps
To win friends and influence his uncle

Mama's in the fact'ry
She ain't got no shoes
Daddy's in the alley
He's lookin' for the fuse
I'm in the streets
With the tombstone blues

The geometry of innocence flesh on the bone
Causes Galileo's math book to get thrown
At Delilah who sits worthlessly alone
But the tears on her cheeks are from laughter

Now I wish I could give Brother Bill
His great thrill
I would set him in chains at the top of the hill
Then send out for some pillars and Cecil B. DeMille
He could die happily ever after

Mama's in the fact'ry
She ain't got no shoes
Daddy's in the alley
He's lookin' for the fuse
I'm in the streets
With the tombstone blues

Where Ma Raney and Beethoven
Once unwrapped their bed roll*
Tuba players now rehearse around the flagpole
And the National Bank at a profit sells
Road maps for the soul
To the old folks home and the college

Now I wish I could write you a melody so plain
That could hold you dear lady from going insane
That could ease you and cool you
And cease the pain
Of your useless and pointless knowledge

Mama's in the fact'ry
She ain't got no shoes
Daddy's in the alley
He's lookin' for the fuse
I'm in the streets
With the tombstone blues

Blues da Lápide

As criaturas doces e bonitas estão na cama agora, claro
Os pais da cidade estão tentando endossar
A reencarnação do cavalo de Paul Revere
Mas a cidade não tem necessidade de ficar nervosa

O fantasma de Belle Starr, ela oferece sua esperteza
Para Jezebel a freira, ela tricoteia violentamente
Uma peruca careca para Jack o Estripador que senta
À frente da câmara do comércio

Mamãe está na fábrica
Ela não tem nenhum sapato
Papai está na viela
Ele está procurando por um fusível
Eu estou nas ruas
Com o blues da lápide

A noiva histérica no Fliperama
Esgoelando ela geme, “Acabo de ser feita”
Depois chama o médico
Que abaixa as cortinas
Diz, “Meu conselho é não deixar os rapazes entrarem”

Agora o curandeiro vem cambaleando para dentro
Ele anda com uma ginga e diz para a noiva
“Pára com essa choradeira, engula seu orgulho
Você não vai morrer, não é veneno”

Mamãe está na fabrica
Ela não tem nenhum sapato
Papai está na viela
Ele está procurando por um fusível
Eu estou nas ruas
Com o blues da lápide

Bem, João o Batista após torturar um ladrão
Olha para o seu herói, o Comandante Chefe
Dizendo “Diga-me grande herói
Mas por favor seja breve
Existe um buraco onde eu posso ir para passar mal?”

O Comandante Chefe lhe responde
Enquanto caçava uma mosca, dizendo
“Morte a todos que preferem lastimar e chorar”
E deixando cair a campainha do bar, ele aponta para o céu
Dizendo, “O sol não é amarelo, ele é covarde”

Mamãe está na fabrica
Ela não tem nenhum sapato
Papai está na viela
Ele está procurando por um fusível
Eu estou nas ruas
Com o blues da lápide

O Rei dos Filisteus, seus soldados a salvar
Colocam mandíbulas em suas lápides
E adulam seus túmulos
Colocam os gaiteiros na prisão e engordam os escravos
Depois os soltam na selva

Cigano Davi com um lança-chamas
Ele queima seus campos
Com seu fiel escravo Pedro atrás, ele pisoteia
Com uma coleção fantástica de selos
Para ganhar amigos e influenciar seu tio

Mamãe está na fabrica
Ela não tem nenhum sapato
Papai está na viela
Ele está procurando por um fusível
Eu estou nas ruas
Com o blues da lápide

A geometria da inocência é carne no osso
Faz com que o livro de matemática de Galileu seja jogado
Em Dalila que se senta inutilmente sozinha
Mas as lágrimas em suas bochechas são de tanto rir

Agora, eu gostaria de poder dar ao Irmão Bill
Sua grande alegria
Eu lhe deixaria acorrentado no topo do morro
Depois mandaria buscar alguns pilares e Cecil B. DeMille
Ele poderia morrer feliz para todo o sempre

Mamãe está na fabrica
Ela não tem nenhum sapato
Papai está na viela
Ele está procurando por um fusível
Eu estou nas ruas
Com o blues da lápide

Onde Ma Raney e Beethoven
Certa vez desembrulharam seus sacos de dormir
Tocadores de tuba agora praticam ao redor do mastro
E o Banco Nacional vende com lucro
Mapas de estrada para a alma
Para o asilo para idosos e a faculdade

Agora, eu desejaria poder escrever uma melodia tão simples
Que poderia impedir você, querida senhora, de ficar insana
Que poderia lhe acalmar e lhe refrescar
E amainar a sua dor
Da sua sabedoria inútil e sem propósito

Mamãe está na fabrica
Ela não tem nenhum sapato
Papai está na viela
Ele está procurando por um fusível
Eu estou nas ruas
Com o blues da lápide

* Bed roll = rolo dos apetrechos de cama, para usar em acampamento. Artefatos de cama para pernoite fora de casa.

It Takes A Lot To Laugh
It Takes A Train To Cry

Well, I ride on a mailtrain, baby
Can't buy a thrill
Well, I've been up all night, baby
Leanin' on the window sill
Well, if I die on top of the hill
And if I don't make it
You know my baby will

Don't the moon look good, mama
Shinin' through the trees?
Don't the brakeman look good, mama
Flagging down the "Double E"?
Don't the sun look good goin' down over the sea?
Don't my gal look fine
When she's comin' after me?

Now the wintertime is coming
The windows are filled with frost
I went to tell everybody
But I could not get across
Well, I wanna be your lover, baby
I don't wanna be your boss
Don't say I never warned you
When your train gets lost

Precisa de Muito Para Rir
Precisa de um Trem Para Chorar

Bem estou viajando em um trem dos correios, querida
Não se pode comprar a alegria
Bem, estou acordado a noite toda, querida
Encostado no para-peito da janela
Bem, se eu morrer no topo do morro
E se eu não chegar lá
Eu sei que minha querida chegará

A lua não parece bonita, nega
Brilhando entre as árvores?
O guarda freios não parece bem, nega
Sinalizando com a bandeira o ‘Duplo E’?
O sol não parece bonito descendo por sobre o mar?
Minha garota não parece bonita
Quando ela vem me procurando?

Agora o inverno está chegando
As janelas se enchem de gelo
Eu fui contar pra todo mundo
Mas não conseguia conectar
Bem, eu quero ser seu amante, querida
Não quero ser o seu patrão
Não diga que nunca te avisei
Quando seu trem se perder

Double E - (Duplo E) subentende-se tratar do nome de outra linha de trem.

Brakeman - guarda-freios. Responsável pelos freios de um trem.

Could not get across - (não conseguia conectar) - Expressão associado aos antigos telégrafos e/ou sistema precário de telefonia, antes do fio ótico ou satélite. O poeta também pode estar insinuando a dificuldade de comunicação entre ele, o vagabundo andarilho e a família estática tradicional.

From A Buick 6

I got this graveyard woman
You know she keeps my kid
But my soulful mama
You know she keeps me hid
She's a junkyard angel
And she always gives me bread
Well, if I go down dyin'
You know
She bound to put a blanket on my bed

Well, when the pipeline gets broken
And I'm lost on the river bridge
I'm cracked up on the highway
And on the water's edge
She comes down the thruway
Ready to sew me up with thread
Well, if I go down dyin'
You know
She bound to put a blanket on my bed

Well, she don't make me nervous
She don't talk too much
She walks like Bo Diddley
And she don't need no crutch
She keeps this four-ten all loaded with lead
Well, if I go down dyin'
You know
She bound to put a blanket on my bed

Well, you know
I need a steam shovel mama
To keep away the dead
I need a dump truck mama
To unload my head
She brings me everything and more
And just like I said
Well, if I go down dyin'
You know
She bound to put a blanket on my bed

De Um Buick 6

Eu tenho essa mulher que vira a noite
Você sabe ela cuida do meu guri
Mas minha mãe cheia de sentimentos
Você sabe, ela me mantém escondido
Ela é um anjo do ferro velho
E ela sempre me dá grana
Bem, se eu cair morto
Você sabe
É provável que ela coloque um lençol na minha cama

Bem, quando o oleoduto é quebrado
E eu estou perdido na ponte do rio
Estou atônito na auto-estrada
E a beira d’água
Ela chega pela passagem
Pronta para me costurar com uma linha
Bem, se eu cair morto
Você sabe
É provável que ela coloque um lençol na minha cama

Bem, ela não me deixa nervoso
Ela não fala muito
Ela anda feito Bo Diddley
E ela não precisa de nenhuma muleta
Ela guarda esta espingarda cheia de chumbo
Bem, se eu cair morto
Você sabe
É provável que ela coloque um lençol na minha cama

Bem, você sabe
Eu preciso de uma matrona tipo escavadora a vapor
Para manter longe os mortos
Eu preciso de uma matrona tipo caminhão de entulho
Para descarregar minha cabeça
Ela me traz tudo e mais
E como eu disse
Bem, se eu cair morto
Você sabe
É provável que ela coloque um lençol na minha cama

* Steam shovel = tipo de pá escavadora movida a vapor.

Ballad of a Thin Man

You walk into the room
With your pencil in your hand
You see somebody naked
And you say, "Who is that man?"
You try so hard
But you don't understand
Just what you'll say
When you get home
Because something is happening here
But you don't know what it is
Do you, Mister Jones?

You raise up your head
And you ask, "Is this where it is?"
And somebody points to you and says "It's his"
And you say, "What's mine?"
And somebody else says, "Where what is?"
And you say, "Oh my God
Am I here all alone?"
Because something is happening here
But you don't know what it is
Do you, Mister Jones?

You hand in your ticket
And you go watch the geek
Who immediately walks up to you
When he hears you speak
And says, "How does it feel
to be such a freak?"
And you say, "Impossible"
As he hands you a bone
Because something is happening here
But you don't know what it is
Do you, Mister Jones?

You have many contacts
Among the lumberjacks
To get you facts
When someone attacks your imagination
But nobody has any respect
Anyway they already expect you
To just give a check
To tax-deductible
Charity organizations

You've been with the professors
And they've all liked your looks
With great lawyers you have
Discussed lepers and crooks
You've been through
All of F. Scott Fitzgerald's books
You're very well read
It's well known
Because something is happening here
But you don't know what it is
Do you, Mister Jones?

Well, the sword swallower
He comes up to you
And then he kneels
He crosses himself
And then he clicks his high heels
And without further notice
He asks you how it feels
And he says, "Here is your throat back
Thanks for the loan"
Because something is happening here
But you don't know what it is
Do you, Mister Jones?

Now you see this one-eyed midget
Shouting the word "NOW"
And you say, "For what reason?"
And he says, "How?"
And you say, "What does this mean?"
And he screams back, "You're a cow
Give me some milk or else go home"
Because something is happening here
But you don't know what it is
Do you, Mister Jones?

Well, you walk into the room
Like a camel and then you frown
You put your eyes in your pocket
And your nose on the ground
There ought to be a law
Against you comin' around
You should be made to wear earphones*
Because something is happening here
But you don't know what it is
Do you, Mister Jones?

Balada de um Homem Magro

Você entra para o quarto
Com seu lápis em sua mão
Você vê alguém nu
E diz, “Quem é esse homem?”
Você tenta
Mas não consegue entender
Exatamente o que irá dizer
Quando chegar em casa
Porque algo está acontecendo aqui
Mas você não sabe do que se trata
Sabe, Mr. Jones?

Você levanta a cabeça
E pergunta, “Seria isto onde é o que isto é?”
E alguém aponta para você e diz, “É dele”
E você diz, “O que é meu?”
E outra pessoa diz, “Onde, o que é?”
E você diz, “Oh meu Deus
Estarei eu aqui sozinho?”
Porque algo está acontecendo aqui
Mas você não sabe do que se trata
Sabe, Mr. Jones?

Sua mão em sua passagem
E você vai assistir o CDF
Que imediatamente chega a você
Quando ele lhe ouve falar
E diz, “Como é que se sente
em ser tamanha aberração?”
E você diz, “Impossível”
Enquanto ele lhe oferece um osso
Porque algo está acontecendo aqui
Mas você não sabe do que se trata
Sabe, Mr. Jones?

Você tem vários contatos
Entre os madeireiros
Para lhe trazer os fatos
Quando alguém ataca sua imaginação
Mas ninguém tem qualquer respeito
De qualquer forma eles já esperam você
Para apenas dar um cheque
Descontáveis no imposto de renda
Para organizações de caridades

Você esteve com os professores
E todos eles gostaram de sua fachada
Com os grandes advogados que você tem
Discutem leprosos e ladrões
Você leu
Todos os livros de F. Scott Fitzgerald
Você tem um conhecimento literário amplo
Já se sabe
Porque algo está acontecendo aqui
Mas você não sabe do que se trata
Sabe, Mr. Jones?

Bem, o engolidor de espadas
Ele chega até você
Em seguida se ajoelha
E se benze
E então ele bate o seu salto alto
E sem mais notificar
Ele lhe pergunta como se sente
E diz, “Aqui está sua garganta de volta
Obrigado pelo empréstimo”
Porque algo está acontecendo aqui
Mas você não sabe do que se trata
Sabe, Mr. Jones?

Agora você vê este anão caolho
Gritando a palavra “AGORA”
E você diz, “Porque razão?”
E ele diz, “Como?”
E você diz, “O que isto quer dizer?”
E ele berra de volta, “Você é uma vaca
Me dê seu leite ou vá para casa”
Porque algo está acontecendo aqui
Mas você não sabe do que se trata
Sabe, Mr. Jones?

Bem, você entra em um quarto
Como um camelo e depois você franze
Você coloca seus olhos no bolso
E seu nariz no chão
Deveria existir uma lei
Contra você aparecendo por aqui
Você deveria ser obrigado a usar um egoísta
Porque algo está acontecendo aqui
Mas você não sabe do que se trata
Sabe, Mr. Jones?

* Earphones – antigo fone de ouvido geralmente anexado ao radinho de pilha, ou aparelho de surdez. Popularmente conhecido no grande Brasil como egoísta.

Queen Jane Approximately

When your mother sends back all your invitations
And your father to your sister he explains
That you're tired of yourself
And all of your creations
Won't you come see me, Queen Jane?
Won't you come see me, Queen Jane?

Now when all of the flower ladies want back
What they have lent you
And the smell of their roses does not remain
And all of your children start to resent you
Won't you come see me, Queen Jane?
Won't you come see me, Queen Jane?

Now when all the clowns
That you have commissioned
Have died in battle or in vain
And you're sick of all this repetition
Won't you come see me, Queen Jane?
Won't you come see me, Queen Jane?

When all of your advisers
Heave their plastic
At your feet to convince you of your pain
Trying to prove that your conclusions
Should be more drastic
Won't you come see me, Queen Jane?
Won't you come see me, Queen Jane?

Now when all the bandits
That you turned your other cheek to
All lay down their bandanas and complain
And you want somebody
You don't have to speak to
Won't you come see me, Queen Jane?
Won't you come see me, Queen Jane?

Aproximadamente Rainha Jane

Quando sua mãe devolve todos os seus convites
E seu pai para sua irmã, ele explica
Que você está cansada de si mesma
E todas as suas criações
Não queres vir me ver, Rainha Jane?
Não queres vir me ver, Rainha Jane?

Agora, quando todas as floristas quiserem de volta
O que elas emprestaram a você
E o cheiro de suas rosas não permanecem
E todas as suas crianças começam a ressentir você
Não queres vir me ver, Rainha Jane?
Não queres vir me ver, Rainha Jane?

Agora, quando todos os palhaços
Que você tenha contratado
Morrerem em batalha ou em vão
E você está enjoada desta repetição
Não queres vir me ver, Rainha Jane?
Não queres vir me ver, Rainha Jane?

Quando todos os seus conselheiros
Erguer seus plásticos*
A seus pés para convencer da sua dor
Tentando provar que suas conclusões
Devem ser mais drásticas
Não queres vir me ver, Rainha Jane?
Não queres vir me ver, Rainha Jane?

Agora, quando todos os bandidos
A quem você deu a outra face
Depõem todas as suas bandanas e reclamam
E você quer alguém
Com quem não precisa conversar
Não queres vir me ver, Rainha Jane?
Não queres vir me ver, Rainha Jane?

* Plastics (plásticos) - expressão popular para se referir ao cartão de crédito.

Highway 61 Revisited

Oh God said to Abraham, "Kill me a son"
Abe says, "Man, you must be puttin' me on"
God say, "No." Abe say, "What?"
God say, "You can do what you want Abe, but
The next time you see me comin'
You better run"
Well Abe says
"Where do you want this killin' done?"
God says, "Out on Highway 61."

Well Georgia Sam he had a bloody nose
Welfare Department
They wouldn't give him no clothes
He asked poor Howard where can I go
Howard said “There's only one place I know”
Sam said “Tell me quick man I got to run”
Ol' Howard just pointed with his gun
And said “that way down on Highway 61.”

Well Mack the Finger said to Louie the King
I got forty red white and blue shoe strings
And a thousand telephones that don't ring
Do you know where I can get rid of these things
And Louie the King said
“let me think for a minute son”
And he said “yes I think it can be easily done
Just take everything down to Highway 61.”

Now the fifth daughter on the twelfth night
Told the first father that things weren't right
My complexion she said is much too white
He said come here and step into the light
He says hmm you're right
Let me tell the second mother
This has been done
But the second mother was with the seventh son
And they were both out on Highway 61.

Now the rovin' gambler he was very bored
He was tryin' to create a next world war
He found a promoter who nearly fell off the floor
He said
“I never engaged in this kind of thing before
But yes I think it can be very easily done
We'll just put some bleachers out in the sun
And have it on Highway 61.”

Auto-Estrada 61 Revisitada

Oh, Deus disse a Abraão “Mate-me um filho”
Abraão diz, “Cara, você está de sacanagem comigo”
Deus diz, “Não”. Abraão diz, “O quê?”
Deus diz, “Você pode fazer o que quiser Abraão, mas
Na próxima vez que você me ver chegando
É melhor correr”
Bem, Abraão disse
“Onde você quer esta morte feita?”
Deus diz, “Lá na Auto-Estrada 61.”

Bem, Sam de Geórgia, ele tinha um nariz sangrando
O Departamento de Welfare
Eles não lhe davam roupa alguma
Ele pergunta ao pobre Howard, onde posso ir
Howard diz, “Só há um lugar que eu conheço”
Sam diz, “Diga-me rápido cara, eu preciso correr.”
O velho Howard apenas aponta com sua pistola
E disse, “Por ali descendo a Auto-Estrada 61.”

Bem, Mack o Dedo Duro disse para Louie o Rei
Eu tenho quarenta cadarços vermelhos, brancos e azuis
E mil telefones que não chamam
Você sabe onde posso me livrar destas coisas
E Louie o Rei disse
“Deixa eu pensar um minuto, filho.”
E ele disse, “Sim, eu acho que pode ser facilmente feito
Basta levar tudo até a Auto-Estrada 61.”

Agora a quinta filha na décima segunda noite
Contou ao primeiro pai que as coisas não estavam certas
“Minha pele”, ela disse, “é demasiadamente clara”
Ele disse, venha aqui e fique debaixo da luz”
Ele diz, “hmmm você tem razão
Deixa eu contar para a segunda mãe
Que isto aconteceu
Mas a segunda mãe estava com o sétimo filho
E ambos estavam fora, na Auto-Estrada 61.”

Agora o jogador itinerante estava entediado
Ele estava tentando criar a próxima guerra mundial
Ele encontrou um promotor que quase caiu no chão
Ele disse
“Eu nunca me meti nesse tipo de coisa antes
Mas sim, eu acredito que possa ser facilmente conseguido
Bastamos colocar algumas arquibancadas ao sol
E tê-lo na Auto-Estrada 61”

Just Like Tom Thumb's Blues

When you're lost in the rain in Juarez
And it's Eastertime too
And your gravity fails
And negativity don't pull you through
Don't put on any airs
When you're down on Rue Morgue Avenue
They got some hungry women there
And they really make a mess outa you

Now if you see Saint Annie
Please tell her thanks a lot
I cannot move
My fingers are all in a knot
I don't have the strength
To get up and take another shot
And my best friend, my doctor
Won't even say what it is I've got

Sweet Melinda
The peasants call her the goddess of gloom
She speaks good English
And she invites you up into her room
And you're so kind
And careful not to go to her too soon
And she takes your voice
And leaves you howling at the moon

Up on Housing Project Hill
It's either fortune or fame
You must pick up one or the other
Though neither of them
Are to be what they claim
If you're lookin' to get silly
You better go back to from where you came
Because the cops don't need you
And man they expect the same

Now all the authorities
They just stand around and boast
How they blackmailed the sergeant-at-arms
Into leaving his post
And picking up Angel who
Just arrived here from the coast
Who looked so fine at first
But left looking just like a ghost

I started out on burgundy
But soon hit the harder stuff
Everybody said they'd stand behind me
When the game got rough
But the joke was on me
There was nobody even there to call my bluff
I'm going back to New York City
I do believe I've had enough

Igualzinho o Blues de Tom Thumb

Quando se está perdido na chuva em Juarez
E ainda por cima é Páscoa
E sua gravidade falha
E a negatividade não te agüenta
Não se faça de arrogante
Quando estás na Rue Morgue Avenue
Eles têm umas mulheres famintas lá
E elas farão um estrago com você

Agora, se você encontrar a Saint Annie
Por favor diga-lhe muito obrigado
Eu não posso me mexer
Meus dedos estão todos dando nós
Não tenho a força
Para me levantar e tomar outro trago
E meu melhor amigo, o meu médico
Não quer me dizer o que eu tenho

Doce Melinda
Os plebeus a chamam de a Deusa da melancolia
Ela fala Inglês bem
E ela lhe convida para o seu quarto
E você é tão bondoso
E com cuidado para não ir até ela cedo demais
E ela some com sua voz
E lhe deixa uivando para a lua

Subindo ao Morro do Conjunto Habitacional
Ou é fortuna ou fama
Você precisa escolher um ou outro
Embora nenhum deles
Seja o que se supõe ser
Se você está procurando ficar de molecagem
É melhor voltar de onde veio
Porque os canas não precisam de você
E cara eles esperam o mesmo (de ti)

Agora todas as autoridades
Eles apenas ficam de pé contando vantagem
Como eles chantagearam o sargento de armas
Em deixar o seu posto
E apanhando Anjos que
Acabaram de chegar aqui da costa
Que pareciam tão bonito lá
Mas foram embora parecendo um fantasma

Eu comecei com burgundy
Mas logo passei para coisas mais fortes
Todo mundo disse que ficaria do meu lado
Quando a brincadeira ficasse pesada
Mas a piada era comigo
Não havia sequer alguém lá para chamar o meu blefe
Eu vou voltar para New York City
Eu realmente acredito que já tive o suficiente

Tom Thumb – Tomáz Dedão é um personagem folclórico americano. Trata-se de um menino do tamanho de um dedão.

Desolation Row

They're selling postcards of the hanging
They're painting the passports brown
The beauty parlor is filled with sailors
The circus is in town
Here comes the blind commissioner
They've got him in a trance
One hand is tied
To the tightrope walker
The other is in his pants
And the riot squad they're restless
They need somewhere to go
As Lady and I look out tonight
From Desolation Row

Cinderella, she seems so easy
"It takes one to know one," she smiles
And puts her hands in her back pockets
Bette Davis style
And in comes Romeo, he's moaning
"You Belong to Me I Believe"
And someone says
"You're in the wrong place, my friend
You better leave"
And the only sound that's left
After the ambulances go
Is Cinderella sweeping up
On Desolation Row

Now the moon is almost hidden
The stars are beginning to hide
The fortune telling lady
Has even taken all her things inside
All except for Cain and Abel
And the hunchback of Notre Dame
Everybody is making love
Or else expecting rain
And the Good Samaritan, he's dressing
He's getting ready for the show
He's going to the carnival tonight
On Desolation Row

Now Ophelia, she's 'neath the window
For her I feel so afraid
On her twenty-second birthday
She already is an old maid
To her, death is quite romantic
She wears an iron vest
Her profession's her religion
Her sin is her lifelessness
And though her eyes are fixed upon
Noah's great rainbow
She spends her time peeking
Into Desolation Row

Einstein, disguised as Robin Hood
With his memories in a trunk
Passed this way an hour ago
With his friend, a jealous monk
He looked so immaculately frightful
As he bummed a cigarette
Then he went off sniffing drainpipes
And reciting the alphabet
Now you would not think to look at him
But he was famous long ago
For playing the electric violin
On Desolation Row

Dr. Filth, he keeps his world
Inside of a leather cup
But all his sexless patients
They're trying to blow it up
Now his nurse, some local loser
She's in charge of the cyanide hole
And she also keeps the cards that read
"Have Mercy on His Soul"
They all play on penny whistles
You can hear them blow
If you lean your head out far enough
From Desolation Row

Across the street they've nailed the curtains
They're getting ready for the feast
The Phantom of the Opera
A perfect image of a priest
They're spoon feeding Casanova
To get him to feel more assured
Then they'll kill him with self-confidence
After poisoning him with words
And the Phantom's shouting to skinny girls
"Get Outa Here If You Don't Know
Casanova is just being punished for going
To Desolation Row"

Now at midnight all the agents
And the superhuman crew
Come out and round up everyone
That knows more than they do
Then they bring them to the factory
Where the heart-attack machine
Is strapped across their shoulders
And then the kerosene
Is brought down from the castles
By insurance men who go
Check to see that nobody is escaping
To Desolation Row

Praise be to Nero's Neptune
The Titanic sails at dawn
And everybody's shouting
"Which Side Are You On?"
And Ezra Pound and T. S. Eliot
Fighting in the captain's tower
While calypso singers laugh at them
And fishermen hold flowers
Between the windows of the sea
Where lovely mermaids flow
And nobody has to think too much
About Desolation Row

Yes, I received your letter yesterday
(About the time the door knob broke)
When you asked how I was doing
Was that some kind of joke?
All these people that you mention
Yes, I know them, they're quite lame
I had to rearrange their faces
And give them all another name
Right now I can't read too good
Don't send me no more letters no
Not unless you mail them
From Desolation Row

Fileira Da Desolação

Eles estão vendendo cartões postais sobre o enforcamento
Estão pintando os passaportes de marrom
O salão de beleza está lotado de marinheiros
O circo está na cidade
Lá vem o comissário cego
Eles o mantém em um transe
Uma mão amarrada
Ao equilibrista que caminha pela corda bamba
A outra está na sua calça
E o batalhão de choque está irrequieto
Eles estão precisando de um lugar para ir
Enquanto Lady e eu olhamos lá fora
Na Fileira da Desolação

Cinderela, ela parece tão fácil
“Precisa ser uma para conhecer uma”, ela sorri
E coloca suas mãos nos bolsos de trás
Ao estilo de Betty Davis
E entra Romeo, ele está gemendo
“Você Pertence a Mim, eu Creio”
E então alguém responde
“Você está no lugar errado, meu amigo
É melhor você partir”
E o único som que permanece
Depois que as ambulâncias partirem
É Cinderela chorando
Na Fileira da Desolação

Agora a lua está quase escondida
As estrelas começam a se esconder
A mulher cartomante
Inclusive já colocou todos os seus pertences para dentro
Tudo menos Caim e Abel
E o corcunda de Notre Dame
Todo mundo está fazendo amor
Ou esperando chuva
E o Bom Samaritano, ele está se vestindo
Ele está se preparando para o show
Ele vai ao carnaval esta noite
Na Fileira da Desolação

Agora Ofélia, ela está perto da janela
Por ela eu temo tanto
Em seu vigésimo segundo aniversário
Ela já é uma velha solteirona
Para ela, a morte é bem romântica
Ela veste um colete de ferro
Sua profissão é sua religião
Seu pecado é sua falta de vida
E embora seus olhos estão fixados sobre
O grande arco-íris de Noé
Ela gasta seu tempo olhando
Para a Fileira da Desolação

Einstein, disfarçado de Robin Hood
Com suas memórias em seu porta-malas
Passou por aqui uma hora atrás
Com seu amigo, um monge invejoso
Ele me pareceu tão imaculadamente assustador
Enquanto ele filava um cigarro
Então ele seguiu cheirando canos de esgotos
E recitando o alfabeto
Agora, você não acharia ao vê-lo
Mas ele era famoso há muito tempo
Por tocar o violino elétrico
Na Fileira da Desolação

Dr. Imundície, ele mantém seu mundo
Dentro de um copo de couro
Mas todos os seus pacientes assexuados
Estão tentando explodi-lo
Agora sua enfermeira, alguma perdedora local
Ela está no comando do buraco de cianeto
E ela também mantém as cartas que lê
“Tenha Misericórdia com A Alma Dele”
Eles todos brincam com os apitos de um centavo
Você pode ouvi-los soprar
Se esticar sua cabeça pra fora o suficiente
Na Fileira da Desolação

Atravessando a rua, eles pregaram as cortinas
Estão se preparando para o festim
O Fantasma da Opera
A imagem perfeita de um padre
Estão alimentando Casanova de colher
Para que ele se sinta mais confiante
Então eles o matarão com autoconfiança
Depois de envenena-lo com palavras
E o Fantasma está gritando para as meninas magricelas
“Saiam Daqui Caso Não Saibam
Casanova está sendo punido por ir
Para a Fileira da Desolação

Agora a meia noite todos os agentes
E a equipe sobre humana
Saem e reúnem todos
Que saibam mais do que eles
Então os levam até a fabrica
Onde as máquinas de ataque cardíaco
Estão amarradas em seus ombros
E então o querosene
É trazido dos castelos
Por homens da seguradora que vão
Checar para ver se ninguém foge
Da Fileira da Desolação

Louvado seja o Netuno de Nero
O Titanic navega ao poente
E todos estão gritando
“De Que Lado Você Está?”
E Ezra Pound e T. S. Eliot
(Estão) lutando na torre do capitão
Enquanto os cantores de Calipso estão rindo deles
E pescadores seguram flores
Entre a janela e o mar
Onde as lindas sereias fluem
E ninguém precisa pensar muito
Na Fileira da Desolação

Sim, eu recebi sua carta ontem
(Sobre a ocasião que a maçaneta da porta quebrou)
Quando me perguntou como eu estava indo
Era algum tipo de brincadeira?
Todas essas pessoas que você menciona
Sim, eu os conheço, são todos bem toscos
Eu tive que rearrumar seus rostos
E dar a todos outro nome
Agora não consigo ler muito bem
Não me mande mais cartas, não
A não ser que você as enderece
Para a Fileira da Desolação









Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Esta é uma matéria antiga do Whiplash.Net. Por que destacamos matérias antigas?


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Traduções
Todas as matérias sobre "Bob Dylan"

Bob Dylan: letras perdidas viram álbum que será lançado este ano
Astros do Rock: como seriam suas versões tatuadas
Slash: ouça a "Wiggle, Wiggle", faixa do CD-tributo a Bob Dylan
Bob Dylan: guitarra alcança valor recorde em leilão
Bob Dylan: lançando o clipe mais interessante dos últimos tempos
Bob Dylan: Stallone queria que ele cantasse tema de John Rambo
UCR: Os 5 piores comerciais com astros do rock
Rock In Rio 1985: rejeição a Bob Dylan e Rod Stewart mau humorado
Bob Dylan: música inédita de 1970 em novo vídeo clipe
Bob Dylan: peças nunca antes vistas em exposição de Londres
Rock e cinema: veja grandes astros e seus intérpretes no cinema
Bob Dylan: álbum de raridades em agosto
Religião: Top 10 citações sobre Deus e o Diabo
Like a Rolling Stone: livro disseca clássico de Bob Dylan
Rolling Stone: os melhores de 2012 na opinião da revista

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Márcio Ribeiro

Nascido no ano do rato. Era o inicio dos anos sessenta e quem tirou jovens como ele do eixo samba e bossa nova foi Roberto Carlos. O nosso Elvis levou o rock nacional à televisão abrindo as portas para um estilo musical estrangeiro em um país ufanista, prepotente e que acabaria tomado por um golpe militar. Com oito anos, já era maluco por Monkees, Beatles, Archies e temas de desenhos animados em geral. Hoje evita açúcar no seu rock embora clássicos sempre sejam clássicos.

Mais matérias de Márcio Ribeiro no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas