Motorhead: Causando dores nos pescoços dos bangers em SP

Resenha - Motorhead (Via Funchal, São Paulo, 16/04/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

São poucas as bandas que com mais de 30 anos de estrada com moral para mexer com o público como faziam no início de tudo. E sem dúvidas o Motörhead ainda é dessas que causam dores no pescoço de muitos headbangers pelo mundo afora.

Saxon: Novo álbum em 2018 e homenagem a LemmyIron Maiden: o verdadeiro poder da música da donzela

Imagem

Imagem

Mas a noite não começou bem para aqueles que esperavam por Lemmy e seus asseclas, pois tiveram que enfrentar um show de abertura que foi, no mínimo, ruim. O Alarde, de São José dos Campos, foi responsável por um incômodo sonoro que durou longos 45 minutos e irritou o público presente, que vaiou a banda constantemente, jogou algumas coisas no palco e chegou até a ficar de costas enquanto os caras tocavam. Não critico a qualidade dos músicos, pois eles tem qualidade, mas a proposta simplesmente não era para aquela ocasião.

Imagem

Imagem

Imagem

Simples e objetivo. Esse é o Motörhead. Num Via Funchal cheio de gente que se dispôs a gastar uma bela grana por um bem maior, a recompensa foi à altura. É louvável ver o que aqueles 3 “tiozões” fazem pelo Rock and Roll.

Em alto e bom som ("Good and loud" como diz o maior hino da banda), cumpriram com o esperado. O Motörhead é uma banda que não inova, não muda e nunca desagrada. Lemmy Killmister, Mikkey Dee e Phil Campbell estão juntos há tanto tempo (a formação está aí desde 1992) que dá pra considerar essa como uma formação bem interessante, o que traz ao espetáculo um algo mais. Extremamente carismáticos (carisma não quer dizer frescura, ok? São diretos e retos ao se dirigirem ao público, sem bajulações) tocaram o show com uma perícia de poucos. O tempo de estrada faz muito bem a eles.

Imagem

Imagem

Imagem

Com um setlist equilibrado, sem precisar provar nada pra ninguém nem se prender a uma única época, podendo apresentar hits de todas as fases da banda, agradaram a Gregos e Troianos, o que não é difícil para uma banda que errou muito pouco ao longo da carreira de quase 40 anos. Outro fato a favor é que a banda tem vindo regularmente ao Brasil, logo, não precisam ficar se preocupando em fazer um show com um setlist de 1986.

Abriram o show com "Iron Fist", mostrando para o que vieram. A banda que influenciou todas as outras bandas. Ao lado do Kiss, são os maiores nomes do Rock and Roll pôrraloca mundial (tem os Stones, mas eles são mais para o Rock and Roll de terno e gravata). Emendaram "Stay Clean" e tudo ficou claro e limpo: teríamos muito barulho. Daí pra diante, uma mistura de fases, mas um excelente setlist, apesar da curta duração.

Imagem

Imagem

Imagem

. - Iron Fist
. - Stay Clean
. - Get Back In Line
. - Metropolis
. - Over the Top
. - One Night Stand
. - Rock Out
. - Guitar Solo
. - The Thousand Names of God
. - I Got Mine
. - I Know How to Die
. - The Chase Is Better Than the Catch
. - In the Name of Tragedy (solo de bateria)
. - Just ‘Cos You Got the Power
. - Going to Brazil
. - Killed by Death
. - Ace of Spades
. - Overkill

Por: Alexandre Cardoso (alexandre@allfotos.fot.br) e Rafael Kuvasney (http://planetwide-suicide.com/)

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Motörhead
Pela 1ª vez, Mikkey Dee visita estátua de Lemmy

Saxon: Novo álbum em 2018 e homenagem a LemmyBlend Guitar: em vídeo, as dez maiores bandas de Heavy MetalRock e Metal: em vídeo, as 10 despedidas mais épicas da históriaTodas as matérias e notícias sobre "Motorhead"

Motorhead
Lemmy Kilmister fala sobre ser solteiro para sempre

Love God's Way
Grupo religioso lista bandas e artistas "Gay"

Metal Injection
Cinco provas de que Lemmy é Deus

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 21 de abril de 2011

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Motorhead"

Iron Maiden
Nicko explica o verdadeiro poder da música da donzela

Metallica
O insistente uso do "Yeah!" por James Hetfield

Metallica
Hetfield: "Fico deprimido quando não pego a guitarra!"

Motivação: 10 músicas de metal que melhorarão sua auto-estimaGuns N' Roses: de banda perigosa a esquecida?Metallica: CJ Ramone diz porque se recusou a tocar na bandaTestament: não se acrescenta rap ao Thrash MetalMetallica: Jason Newsted é melhor que Cliff Burton, mas Lars e James ferraram eleGhost: se tivesse surgido em 1967 não existiria o Black Sabbath

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online