Ira: Num formato nunca visto, mas com a energia e força de sempre

Resenha - Ira! (Teatro do Bourbon Country, Porto Alegre, 07/09/2016)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Karen Waleria
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quem compareceu na última quarta-feira, dia 07 de setembro, no Teatro do Bourbon Country na capital gaúcha teve o privilégio de assistir o IRA! num formato, como eles mesmos anunciaram, nunca antes visto, na tour intitulada "Ira!Folk".

Steven Tyler: "Há álbuns que prefiro esquecer"Megadeth: Mustaine fala sobre satanistas, gays e gatos

O cenário, de indiscutível bom gosto, conta com cadeiras, folhas secas espalhadas pelo chão e luzes, muitas luzes que criavam diversos efeitos de acordo com a música executada.

O vocalista Nasi e o guitarrista Edgard Scandurra subiram ao palco pontualmente às 20h e apresentaram por quase duas horas ao público, que lotava a tradicional casa de espetáculos porto-alegrense, uma performance pra lá de minimalista, mas sem perder a energia e força que só ícones da música, como a dupla de roqueiros, conseguem passar.

Daniel Scandurra, filho do guitarrista, acompanhou a dupla no palco, no violão e baixo acústico.

O setlist apresentado, onde não faltaram uma sucessão de hits e também clássicos do lado B - veja abaixo, deu ênfase ao repertório mais melódico do IRA!. Banda criada no início dos anos 80, que teve uma parada de sete anos, mas que retornou em 2014 com força total, para a alegria dos fãs e, que pelo jeito vai continuar ainda por um bom tempo.

Na verdade o show tinha a previsão de ter 90 minutos de duração, mas os fãs não deixavam os roqueiros abandonarem o palco. Pedindo mais músicas, e os músicos retribuiram prolongando a duração da performance histórica.

Aliás o público bateu palmas e cantou junto com os músicos durante todo o show. Esse formato propicia uma proximidade ímpar do público com os músicos e entre eles mesmos.

O "Ira! Folk", com certeza, possui uma certa inspiração no "Acústico MTV" de doze anos atrás, mas sem percussão, sem toda aquela produção e todo instrumental mais pesado. Mas sem prejudicar em nada a performance apresentada.

O formato do show combinou perfeitamente com o teatro. Aliás no Brasil está se tornando bem frequente shows de rock, nesses espaços, antes não utilizados pelo gênero.

Enfim os veteranos mostraram que o que tem qualidade é atemporal, e que têm ainda muito gás, e que têm muito ainda para mostrar.

Seria bem interessante se surgisse dessa tour um registro oficial.

Setlist:

1 - Um Dia Como Hoje
2 - Dias de Luta
3 - Flerte Fatal
4 - Quinze Anos
5 - Perigo
6 - Receita Para Se Fazer um Herói
7 - Mesmo Distante
8 - O Girassol
9 - Eu Quero Sempre Mais
10 - Culto De Amor
11 - Tarde Vazia
12 - Mariana Foi Pro Mar
13 - Flores em Você
14 - Boneca de cera
15 - Rubro Zorro
16 - Mudança de Comportamento
17- Envelheço na Cidade

Bis:
18 - Tolices
19 - Bebendo Vinho (Wander Wildner Cover)
20 - Tanto quanto eu
21 - Núcleo Base

Bis 2:
22 - Vida Passageira
23 - Coração

A tour ainda passa por Recife no dia 13 de outubro; Natal no dia 14 de outubro; e Fortaleza no dia 15 de outubro, não percam.

Agradecimentos à Agência Cigana pelo credenciamento.

Fotos: Sônia Butelli




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Ira!"


Nasi: Chorão foi o maior roqueiro de sua geraçãoNasi
"Chorão foi o maior roqueiro de sua geração"

Fafá de Belém: meu espírito é heavy metal, diz a cantoraFafá de Belém
"meu espírito é heavy metal", diz a cantora

Ira! - Para entender os modsIra! - Para entender os mods


Steven Tyler: Há álbuns que prefiro esquecerSteven Tyler
"Há álbuns que prefiro esquecer"

Megadeth: Mustaine fala sobre satanistas, gays e gatosMegadeth
Mustaine fala sobre satanistas, gays e gatos

As novas caras do metal: + 40 bandas que você deve conhecerAs novas caras do metal
+ 40 bandas que você deve conhecer

Queen: algumas curiosidades sobre a bandaQueen
Algumas curiosidades sobre a banda

Total Guitar: os 20 melhores riffs de guitarra da históriaTotal Guitar
Os 20 melhores riffs de guitarra da história

Motorhead: fóssil ganha nome em homenagem a LemmyMotorhead
Fóssil ganha nome em homenagem a Lemmy

Bush: recusar o Metallica foi um acerto; aceitar o Anthrax tambémBush
Recusar o Metallica foi um acerto; aceitar o Anthrax também


Sobre Karen Waleria

Blogueira gaúcha. Estudou letras. Ecleticidade musical é seu ponto forte; com uma tendência ao Rock e Metal. Já foi colaboradora em grandes sites de Rock e Heavy Metal, trabalha com divulgação de bandas e eventos. Responsável pelo blog www.karenwaleria.blogspot.com.br. Siga no Twitter @Rocksblog.

Mais informações sobre Karen Waleria

Mais matérias de Karen Waleria no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336