Monstros do Rock: Noitada de Heavy e Thrash em Amapá

Resenha - Monstros do Rock (Latitude Zero Bar, Macapá, Amapá, 18/04/2015)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Blackened
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Reunindo um cast excelente, completado por uma boa estrutura de som e iluminação e um ambiente, embora incomum, agradável, no qual todos podem se divertir, assim foi o Monstros do Rock, organizado por Rafael Moreira. Um duelo verdadeiro e épico entre bandas pesadas e agressivas, em uma noitada de muito Heavy e Thrash Metal, headbanguing e cerveja.

Quiet Riot: quebrando disco de banda brasileira em 1985Nicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester

Destaco o retorno mais do que esperado do grupo KEONA SPIRIT! Eles estiveram muito tempo longe dos palcos, passando por conflitos entre membros e trocas de formações. Depois de contornar isso, a KEONA finalmente voltou à ativa e incendiou (no bom sentido) o local com novidades no repertório e na formação. Entre elas, a volta do baixista Gabriel Wetch. Outra banda que também retornou depois de algum tempo afastada foi a AMATRIBO. E a espera valeu a pena, pois ambas detonaram!

Por volta das 23h, começou a apresentação da KAIROS. Desta vez, nada de LED ZEPPELIN, SCORPIONS e GUNS N' ROSES. O set foi focado no Heavy/Power Metal. Hinos como Alexander the Great (IRON MAIDEN cover), The Helion/Electric Eye (JUDAS PRIEST cover), Crazy Train (OZZY OSBOURNE), Living for the Night (VIPER) e War Pigs (BLACK SABBATH) chacoalharam o lugar e os pescoços dos metalheads!

O show foi ótimo, ainda mais pela performance empolgada dos músicos, que agitaram e atiçaram a plateia, capturando-a desde no início. Sucesso, KAIROS!

Depois da troca de periféricos e equipamentos, chegara a hora do tão aguardado retorno da KEONA SPIRIT. O último gig havia sido em agosto de 2013, junto com o power trio feminino NERVOSA, e a expectativa desta apresentação, tanto para Ravel (vocal), Tomil (guitarra), Dyuna (teclado) e Gabriel (baixo) quanto para seus admiradores e seguidores, era gigantesca. Este show também contou com a participação especial de Pedro França na bateria, que teve a honra de tocar com ANDRE MATOS quando o mesmo veio ao Amapá ministrar uma masterclass em abril de 2013.

Do antigo set list, a única que permaneceu foi Lisbon (ANGRA cover). As demais foram Pharaoh (SYMPHONY X cover), Judgment Day e Nothing to Say (ANGRA), Another Day (DREAM THEATER) e Hallowed be thy Name (IRON MAIDEN). A inclusão dos covers Pharaoh e Another Day foram uma grata surpresa e bem acertada.

Dos sons autorais, foram executadas Shadowlord e a inédita Calígula. Composição que começa com um clima misterioso graças ao teclado, logo após ela descamba para um Metal Melódico com um riff de guitarra cavalgado. Ressalto também o solo de bateria no meio da música. Ao final da apresentação, gritos de "KEONA! KEONA!", mostrando que o (agora) quinteto cumpriu bem seu papel.

Hora de conferir o show da AMATRIBO, que também voltou quebrando tudo! Com o tradicional cumprimento gutural "E aí, galeraaaaaa?", Maksuel Martins (vocal), Rulan Leão (guitarra), Salomão Alcolumbre (baixo) e Eto (bateria) começaram explodindo os amps e PAs do lugar e reanimar os headbanguers com Código de Conduta.

Depois de Guerra dos Mundos, vieram os covers de SEPULTURA, para euforia da plateia. Territory, Refuse/Resist, Roots Bloody Roots e Troops of Doom fizeram cabelos esvoaçarem e pescoços ficarem em frangalhos. Assim como a KEONA, retorno em grande estilo!

Os "monstros do Rock" continuaram atacando furiosamente! Era a vez da SLOTH, com os covers Mouth for War (PANTERA), Dead Embryonic Cells (SEPULTURA), Violent Revolution e Reconquering the Throne (KREATOR), Angel of Death e War Ensemble (SLAYER) e Scavenger of Human Sorrow (DEATH). Apresentação para não deixar nenhum pescoço e cabeleira paradas!

A SLOTH também ficará responsável em homenagear o fundador do DEATH no evento vindouro que também acontecerá no Latitude Zero, no dia 09 de maio: Tributo ao Chuck Schuldiner.

Encerrando esse evento monstruoso, ORION, grupo responsável por homenagear o METALLICA. Formada por Almir Jr. (guitarra/vocal), Andrey Góes (guitarra), Alan Nogueira (baixo) e Paulo Carvalho (bateria), os músicos, até então, tocaram apenas nos dois especiais do Metallica (o primeiro em setembro de 2013 e o segundo em março de 2014), mas, ultimamente, estão se apresentando com mais frequência.

Era quase 03:30h da madrugada quando a ORION começou seu set, mas ainda havia energia suficiente para banguear com The Call of Ktulu, That was just your Life, For Whom the Bell Tolls, Through the Never, Fade to Black, One, The Day that Never Comes e a tríade de faixas título Ride the Lightning, Master of Puppets e ...And Justice for All.

Sucesso! Assim pode ser definido o Monstros do Rock, na qual as performances das bandas foram cheias de energia, peso, velocidade e agressividade, do jeito que o Metal pede. Depois de alguns eventos, pode-se dizer que o Latitude Zero Bar, mesmo com seu ambiente não tão Metal, porém convidativo, é a nova sede do Heavy Metal amapaense.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Keona Spirit"Todas as matérias sobre "Amatribo"


Quiet Riot: quebrando disco de banda brasileira em 1985Quiet Riot
Quebrando disco de banda brasileira em 1985

Nicko McBrain: pedal duplo é pra caras como Aquiles PriesterNicko McBrain
Pedal duplo é pra caras como Aquiles Priester

Dr. Sin: Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis TadeuDr. Sin
Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis Tadeu

Led Zeppelin e o lendário encontro com Elvis PresleyNirvana: "Teoria é um desperdício de tempo", dizia KurtDoug Aldrich: Quando Ronnie Dio encarou um grandão no barResenha - Cross Purposes - Black Sabbath

Sobre Bruno Blackened

Metalhead desde os 16, jornalista desde os 23. Grande incentivador da cena Metal amapaense através de resenhas, reportagens, fotos, artigos, entrevistas e assiduidade nos shows. Minhas vertentes favoritas são o Thrash, Death e Power Metal. \m/

Mais matérias de Bruno Blackened no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336