Dave Lombardo: Emocionando fãs com workshow em BH

Resenha - Dave Lombardo (Liverpool Rock Bar, Belo Horizonte, 31/08/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Bello
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Belo Horizonte teve um final de semana emocionante para os músicos e fãs de bateria. DAVE LOMBARDO, o lendário baterista de bandas como SLAYER e GRIP INC, esteve na capital mineira, no domingo, dia 31 de Agosto, para realizar seu workshow.

5000 acessosSlayer x Linkin Park: a intolerância e radicalismo venceram5000 acessosMetallica: Lars é um bom baterista? Mike Portnoy explica

O evento aconteceu no Liverpool Rock Bar, uma aconchegante casa de shows, organizado pela escola Bateras Beat em parceria com a Amplific e a RockFreeday. Por volta das 19h no local já havia uma grande fila com os fãs de Lombardo, que naquele exato momento, fazia dentro da casa a passagem de som. O público conseguia ouvir um pouco das batidas do ícone do metal e delirava.

Lombardo subiu ao palco pouco depois das 20 horas, com a casa bastante cheia, tocou trechos de clássicos do Slayer como "South Of Heaven" e "Raining Blood". A agilidade de Dave é algo que impressiona. Logo no começo do evento já dava para notar o motivo dele ser considerado um dos maiores bateristas do mundo.

Após a demonstração, ele pegou um microfone e se dispôs a responder perguntas da plateia, fazendo antes uma votação para a escolha do idioma em que responderia: inglês ou espanhol. O público preferiu inglês e assim começou o bate-papo informal com o ex-baterista do SLAYER. Dave contou que começou a tocar bateria desde pequeno, ressaltou que escuta diferentes estilos de música para desenvolver seu estilo e que é possível tocar música pesada em diferentes estilos. Perguntado se ele conhece o cenário musical por onde passa, Lombardo disse não ter muito tempo para visitar lugares devido ao trabalho. Citou como exemplo sua turnê brasileira de workshows, onde não teve dia de folga.

Esbanjando simpatia, ele respondeu às mais diversas curiosidades de seus fãs, falou sobre a gravação do álbum "Show no Mercy", que por motivos técnicos teve de gravar separadamente a bateria e os pratos; sobre sua preparação física e alimentação ressaltou que faz caminhadas, evita comer frituras, optando por frutas e alimentos mais saudáveis; a respeito do cansaço das viagens, Dave disse que gosta de estar nos lugares mostrando seu trabalho, o deslocamento as vezes é cansativo,mas é compensado quando ele toca e encontra com o público por onde passa. Sobre o atual trabalho e formação do SLAYER, ele evitou fazer comentários dizendo apenas que concorda sempre com a opinião dos fãs a respeito do grupo "Se eles dizem que não é o Slayer, eu concordo" comentou.

Um dos momentos marcantes também foi quando um senhor da platéia contou ter um filho autista e perguntou se Dave achava importante a utilização da música no tratamento. O baterista se demonstrou emocionado ao saber da história, enfatizou a importância da música para auxiliar no tratamento e citou um vídeo que havia assistido na internet mostrando a reação positiva de um idoso que sofria da mesma doença e reagia bem ao ouvir música.

Questionado a respeito de seu trabalho na trilha sonora de desenhos animados, Dave disse que foi um sonho realizado e mostrou para o público alguns trechos de suas composições que estão em animações da Disney.

Sobre o futuro, o baterista falou de sua vontade de voltar ao Brasil para mostrar ao público as músicas da Philm sua banda atual e ressaltou que não tem vontade de tocar novamente no SLAYER. Ele se mostrou um músico completo, que pesquisa outros estilos musicais, sabe tocar de tudo e não se limita ao heavy metal. Consegue tocar em qualquer estilo e muito bem. Deu até uma canja ao som de uma música do saudoso Ray Charles mostrando sua versatilidade.

Os fãs começaram a sugerir nomes de músicas para que ele tocasse, até que alguém citou "Angel Of Death" e "War Ensemble" para o delírio dos fãs. O baterista pediu ajuda das pessoas para lembrar a introdução da última música, dizendo que não toca há mais tempo.

Após responder as curiosidades, Dave subiu para o camarote da casa onde tirou fotos e atendeu as solicitações de autógrafos. Valeu um registro para os leitores do Whiplash.net!

Foi sem dúvida alguma um evento que vai ficar na história para o público mineiro, que teve o privilégio de dividir informações técnicas e conhecer de perto os trabalhos e pensamentos de um dos maiores bateristas de todos os tempos.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Slayer x Linkin ParkSlayer x Linkin Park
A intolerância e radicalismo infantil venceram de novo

2162 acessosMaximus Festival 2017: Confira cobertura em vídeo pela TV Diário952 acessosFantômas: banda de Mike Patton e Dave Lombardo volta a ativa0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Slayer"

Thrash MetalThrash Metal
A história contada pelos próprios músicos

DimebagDimebag
Scott Ian e Kerry King partilham lembranças etílicas

Dave LombardoDave Lombardo
Ele tentou entrar no Megadeth em 1986 mas os caras estavam chapados

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 05 de setembro de 2014

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Dave Lombardo"0 acessosTodas as matérias sobre "Slayer"0 acessosTodas as matérias sobre "Grip INC"0 acessosTodas as matérias sobre "Philm"

MetallicaMetallica
Lars é um bom baterista? Mike Portnoy explica

Pink FloydPink Floyd
Perguntas e respostas e curiosidades

SpikeSpike
Os sete piores solos de guitarra

5000 acessosKing Diamond: o "Rei Satânico"5000 acessosCD vs Vinil: não diga que o som do vinil é melhor - porque não é5000 acessosMellotron: o instrumento cult que ajudou a compor clássicos3348 acessosKiss: a relação de Gene Simmons com o Van Halen5000 acessosThe Haunted: Dolving relata ida a uma Sauna Gay5000 acessosRock Clássico: Os 10 melhores riffs de guitarra de todos os tempos

Sobre Ricardo Bello

Ricardo Bello é jornalista,humorista e escritor. Mineiro de Belo Horizonte, nascido em 16/02/78, tem um livro publicado intitulado "Caçador de Celebridades" e colabora com o Whiplash.Net.

Mais informações sobre Ricardo Bello

Mais matérias de Ricardo Bello no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online