Fúria Louca e Royal Dogs: Um Drink no Inferno

Resenha - Fúria Louca e Royal Dogs (Inferno Club, São Paulo, 19/07/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Daniel Brandão
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quem conhece São Paulo sabe que a Rua Augusta, um braço da Av. Paulista, não deve nada para a prima rica. Quando o sol se põe e os ternos e gravatas deixam os grandes bancos, o bicho pega na ladeira rumo ao Inferno.

Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaMascotes do Metal: os dez maiores segundo The Gauntlet

Na noite de sábado 19 de julho fui ao Inferno Club que fica no número 501 na baixa Augusta, conferir o Show de duas bandas de São Luís do Maranhão.

Ao entrar, de cara uma grata surpresa. O DJ estava inspirado. Um setlist absolutamente delicioso. Do gigante Metallica ao eterno e soberano Queen. Definitivamente uma trilha sonora de todas as nossas vidas.

Por volta das duas da manhã sobe ao palco a banda Royal Dogs. Sobe ao palco e o preenche por completo. Quatro moleques que fazem a gente acreditar que tocar Rock in Roll é fácil. Completamente entrosados e sabendo muito bem o que estão fazendo com aqueles instrumentos. Fizeram uma apresentação energética. Detonaram com as músicas do cd On Spree Of A Gang. Destaque para a faixa título do disco e para música dedicada ao povo Maranhense, Saint Paradise. Senti falta da música do clipe da banda, Lesbianeasy Loverboy. Mas tudo bem, eles estavam com crédito de sobra. Ainda vamos escutar essa banda latir muito alto nos próximos anos. Ainda bem.

Depois de mais uma forte dose de metal na veia vindo do DJ que estava iluminado, as luzes se apagaram para outra banda acender o palco.

Começou então o Fúria Louca!

Sim, eletrizante! Com os Paulistanos colados ao palco cantando junto as músicas do álbum "On the Croup of the Sinner" e também do primeiro e igualmente bom CD demo Fúria Louca.

Um setlist que não deixava ninguém respirar. A frente dos quatro inspirados músicos, o vocalista Henrique Sugmyama cantava as composições da banda com potência e muito orgulho. Com um timbre poderoso e uma grande presença de palco, ele comandava a festa que enlouquecia com a terceira música "In a War by Love".

A banda Fúria Louca é formada por caras que se vestem, que executam e que transpiram um espírito Hard Rock.

De um lado do palco, o baixista Tiago Guinevere fazia coreografias junto ao guitarra Allex Kyel. Os dois deixam claro que a banda é uma banda, e não músicos isolados que resolvem fazer uma gig. O batera "The Truck" soberano nos tambores e com a precisão de fazer as músicas soarem no tempo do CD, mas na energia do "ao vivo". E do outro lado do palco, vestido de preto e concentrado, o grande Hugão Away empunhava sua guitarra com solos de arrepiar.

Um show emocionante com direito a música do clipe "Fatuous Fire", além de um cover do inspirador W.A.S.P e um final que resume a apresentação. Sugmyama anuncia a música que tem o nome da banda, mas logo acrescenta: "Essa música é feita pra vocês". Uma Fúria que no palco enlouqueceu a todos o tempo inteiro. Com um Louco respeito por um público sedento por Rock.

A madruga na Rua Augusta em SP ferve mesmo em pleno inverno. Todas as tribos transitam por ali até a chegada do sol avisar que é hora de ir dormir. E naquela casa de show, o Maranhão tomou de assalto. Nesse sábado o Inferno ficou mais quente.

Por Rafael Masini.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Fúria Louca"Todas as matérias sobre "RoyalDogs"


Nordeste: cinco bandas que estão retomando o Old SchoolNordeste
Cinco bandas que estão retomando o Old School


Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBlack Sabbath
Um Tony Iommi que você não conhecia

Mascotes do Metal: os dez maiores segundo The GauntletMascotes do Metal
Os dez maiores segundo The Gauntlet

Hetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no MetallicaHetfield
Egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica

Guns N' Roses: transtorno bipolar, a doença de Axl RoseJason Becker: O mais tocante desafio do balde de geloHeavy Metal: o gênero com mais peso e impacto social no planetaCannibal Corpse: quem nunca fez sexo ouvindo a banda?

Sobre Daniel Brandão

Maranhense de São Luís. Fã de rock no geral, do white ao black, do pop ao gore, em linhas gerais fez um "puta" som, já viro fã, mesmo que de uma música só.

Mais matérias de Daniel Brandão no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336