Therion: Uma linda festa de despedida para Lori Lewis

Resenha - Therion (Via Marques, São Paulo, 18/05/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Kennedy Silva
Enviar correções  |  Ver Acessos

Zona norte de São Paulo, 18/05 domingo, mais específico na casa de shows Via Marques, esse foi o lugar escolhido para a única apresentação da banda THERION no Brasil pela turnê "Evil flowers and Opera - Latin America 2014", turnê essa que será marcada pela saída da excelente cantora Lori Lewis, estive lá e lhes direi abaixo como foi essa apresentação, aproveitem e apreciem as sempre ótimas fotos do brother Diego Camara.

Anos 90: bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãsIGN Music: os álbuns de Metal mais influentes segundo o site

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Logo quando fui me aproximando da casa de shows, me deparei com uma enorme fila que dava volta no quarteirão, eram fãs que esperavam para entrar e poder encontrar o melhor lugar para ver essa apresentação. Em exatos 19:00h abriram as portas, pouco a pouco o pessoal foi entrando e ficando o mais perto possível do palco. Tudo estava bem organizado, todos entraram antes do início do show, que se deu por volta das 20:45h. A casa estava bem cheia, mas dava para andar "tranquilamente" pelo local.

Como disse acima o show deu início as 20:45h que foi quando o DJ parou o som ambiente e as luzes se apagaram, o público já sabia que tinha finalmente chegado a hora tão esperada, então começam a gritam "HERION, THERION, THERION", as cortinas se abrem e um a um os integrantes vão surgindo e a cada integrante que aparecia era aplaudido pelo publico.

O cenário de fundo que a banda utilizou (que por sinal muito bem feito) nesse show foi criado e enviado por um fã, assim como em outros shows dessa turnê, é uma forma que a banda utilizou para "interagir" um pouco mais com os fãs, a banda presenteou o escolhido pela arte com o nome na lista para entrada no show, com o direito de conhecê-los antes do show e de acompanhar a passagem de som, além é claro de poder ficar com o cenário após o show. Além disso, o que fizer o melhor cenário na turnê ganhará um premio (não revelado até agora), para maiores informações vejam na página da própria banda ao final do texto.

A banda deu início ao show com a música "The Rise of Sodom and Gomorrah", confesso que não sou um fã do estilo metal sinfônico, mas admiro e muito um som bem feito, e sem dúvida o THERION é uma banda que sabe fazer isso. Eles conseguem "linkar" muito bem os riffs de guitarra com uma bateria digamos leve se comparado a outros estilos de metal e com vocais extremamente técnicos. Logo no início pude perceber que a banda queria chamar a galeria, queria que todos dessem um show, e isso foi mostrado por Thomas Vikström um dos vocalista, trajando seu sobretudo e utilizando óculos e uma boina (bem estiloso), quando chamou o público paulista para cantar junto.

Na seqüência tocam "Flesh of the Gods" , que é quando Thomas recebe uma bandeira do Brasil de alguém da pista e mostrando o carisma que possui, coloca a bandeira bem a mostra na frente da bateria, e ali ela fica até o fim do show. Outra coisa que tem que ser dita é a harmonia que as duas vocalistas possuem no palco, Linnea Vikstrom com a voz um pouco mais grave que a de Lori Lewis, uma soprano de mão cheia, porque lhe digo, fiquei impressionado com o desempenho dela, sem dúvida será uma grande perda para o THERION. Assim como Thomas, Linnea e Lori também foram bem carismáticas, sempre tentando agitar os fãs e arriscando alguns "Obrigado" em português, que por sinal foram muitíssimo bem pronunciados.

A banda da realmente um show, não apenas com suas músicas, mas também com a performance de todos no palco, além de Thomas, Christofer Johnsson (Guitarra) também tem seu estilo e utiliza um chapéu de mágico, mas o que realmente chama atenção são as notas tocadas por ele e por Christian Vidal (Guitarra), acompanhadas pelas precisas "baquetadas" de Johan Koleberg e pelos dedilhados no baixo de Nalle Påhlsson, todos esses músicos acompanhados pelos três vocalistas parecem hipnotizar a galera, mesmo com as belas Lori e Linnea sempre tentando agitar os fãs, eles ficam ali parados, assistindo aquele belo concerto proporcionado pelo THERION, parecia que Christofer estava realmente fazendo mágica e hipnotizando a todos.

A cada música finalizada todos aplaudiam, e quando começava uma nova todos gritavam, foi assim praticamente o show inteiro, Linnea sempre tentando agitar o publico chamando todos para aplaudirem. Lori não ficava de fora e fazia o mesmo, puxando vários "Hey Hey Hey" onde todos erguiam o punho e gritavam, assim como em "Ginnungagap", confesso que aquela energia era muito empolgante, mas assim que Lori soltava a voz todos ficavam completamente quietos, boquiabertos, apenas apreciando e sem dúvida pensando "não acredito que ela vai sair da banda", mas essa música foi uma das que teve uma maior interação do público, em vários momentos eles soltavam a voz e também um "Hey Hey" ou um coral de "Oooooohh Ooooooohh..." como ocorreu no meio da canção. Essa música sem dúvida foi um dos momentos em que o público mais interagiu com a banda e terminou como a maioria das outras, com muitos aplausos.

O show foi muito bacana, como já disse a banda dava um show de performance no palco, assim com em "J'ai le Mal de Toi" onde Thomas e Lori cantam praticamente um para o outro, como se fosse uma conversa, ambos se saíram muito bem. Thomas em "Gothic Kabbalah" pega uma flauta e toca, mas pena que o som foi quase imperceptível, ao menos para mim. Outra coisa que devo comentar é que às vezes o vocal de Lori estava um pouco baixo, não sei se ela que cantava baixo mesmo ou se foi o pessoal da mesa de som que deixou baixo o volume, mas senti isso às vezes.

Na música "Lemuria" ocorreu um momento engraçado, um fã joga uma camisa do THERION para Thomas, no momento em que o mesmo cantava, ele agarrou a camisa no ar, continuou a cantar, levantou a camisa mostrando o desenho do Therion, cantou por uns instantes com a camisa em suas mãos e após isso ele se virou, deu uma "cheirada" na camisa suada, mostrou para Nalle que estava sentado tocando o baixo e que deu uma leve sentida no odor da camisa , fazendo uma careta e logo em seguida Thomas a colocou do lado da bateria, foi um momento bem engraçado (risos).

Linnea, uma loira bem bonita, fez um show ótimo, além de linda canta muito e fez de tudo um pouco no palco, ela corria, agitava o público, pulava, sentava, até dançar meio "sensualizando" ela fez, só faltou beijar alguém no palco. Opa, eu disse faltou? Pois é, até isso ela fez, sim, teve um momento do show que ela pegou e deu um selinho em Lori, e claro que isso arrancou muitos aplausos e gritos (sem dúvida em grande parte do público masculino), fato esse que ocorreu ao final da música "Voyage of Gurdjieff (the Fourth Way)".

O show aparentemente estava chegando ao fim, quando ao final de "Poupée de Cire, Poupée de Son (France Gall cover)" a banda se retira e as cortinas se fecham, o público mais uma vez aplaude e começa a gritar o nome da banda para que eles voltem e façam o tradicional Bis. E é exatamente isso que acontece, eles voltam, aplaudem o público e retomam seus lugares no palco.

Os fãs tiveram o prazer de apreciar dois bis, o primeiro foi "To Mega Therion" , esse para mim foi o momento alto do show, onde todos cantavam juntos, pulavam, gritavam, era uma energia sensacional. Teve até um duelo de guitarras, onde Christofer sobe na altura da bateria e toca com a guitarra nas costas, enquanto Christian toca simplesmente com os dentes. Foi sensacional.

E então a festa de despedida da Lori chega ao fim na música "Son of the Sun", a banda termina a música, agradece aos fãs presentes, faz a tradicional reverencia e as cortinas se fecham definitivamente, mesmo com mais gritos de "THERION, THERION, THERION" eles não retornam. Esse foi um show que ficara marcado no coração da banda e com certeza no dos fãs que estavam presentes, pois eles viram um show com uma ótima iluminação, sonorização, muito bem organizado e o melhor, a banda fez um verdadeiro espetáculo. Uma pena que era uma festa de despedida. Agora só nos resta ver como ficara a banda após a saída da talentosa Lori e aguardar a próxima visita deles em nossas terras.

Set-List:
1-The Rise of Sodom and Gomorrah
2-Flesh of the Gods
3-Raven of Dispersion
4-Overture
5-End of the Dynasty
6-Who's Your God?
7-Onda Toner
8-Sad End
9-Ginnungagap
10-J'ai le Mal de Toi
(Betty Mars cover)
11-Gothic Kabbalah
12-Eye of Shiva
13-Asgård
14-Une Fleur Dans le Coeur
(Victoire Scott cover)
15-Invocation of Naamah
16-Muspelheim
17-Lemuria
18-The Wild Hunt
19-Hellequin
20-Voyage of Gurdjieff (the Fourth Way)
21-Poupée de Cire, Poupée de Son
(France Gall cover)
Encore:
22-To Mega Therion
23-Son of the Sun

Fotos: Diego Câmara. Galeria completa em
https://www.flickr.com/photos/diegocamara/sets/7215764476642...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Therion"


Metal sinfônico: os 10 melhores segundo o TeamRockMetal sinfônico
Os 10 melhores segundo o TeamRock

HailMetal.com: Os cinqüenta melhores álbuns de Death MetalHailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal


Anos 90: bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãsAnos 90
Bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãs

IGN Music: os álbuns de Metal mais influentes segundo o siteIGN Music
Os álbuns de Metal mais influentes segundo o site


Sobre Kennedy Silva

Sou um apaixonado por Rock n' Roll, desde o mais pesado até os grandes clássicos. Um louco por fotografia, principalmente de bandas e de shows e que está sempre disposto a contribuir para a cena.

Mais matérias de Kennedy Silva no Whiplash.Net.

adGoo336