Sahara Surfers: austríacos petrificam público com excelente show

Resenha - Sahara Surfers (São Paulo, Inferno Club, 26/02/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Diego Camara
Enviar Correções  













Com a evolução do mercado brasileiro, mais e mais bandas começaram a vir para o país. De um roteiro para meia dúzia de artistas consagrados e alguns muito bem posicionados em seus gêneros, agora o país já recebe também seu quinhão de artistas alternativos e desconhecidos. Se muitos não valeriam nem sequer as bandas de abertura convidadas – e pudemos ver isso bem em 2013 – outros ao contrário sempre surpreendem para melhor. E foi no segundo grupo que quatro corajosos e audaciosos austríacos aportaram no Inferno Club, em um show que valeu cada ingresso.

STAND FREE

A entrada do Inferno Club estava totalmente vazia quando a casa foi aberta às 19 horas. A estimativa era de público pequeno, mas é difícil imaginar que quase ninguém viu quando a banda Stand Free subiu ao palco para sua apresentação. A banda, novata que iniciou seus trabalhos em 2006 e agora começa a divulgar seu primeiro álbum gravado, mostrou uma qualidade impressionante.

Já com "Black Burning Flowers" dava pra ver que a noite seria realmente muito boa. O som do Inferno Club estava perfeito aquela noite, e as guitarras de Cássio Luis dominaram o pequeno público que chegou cedo para apreciar a banda. O som do Stand Free é realmente muito bem feito. Com elementos bem clássicos de guitarra e uma pegada extremamente stoner em sua base, os caras mostraram que estão prontos para fazer sucesso. Dentre as músicas do álbum, uma que se destaca é "Stand Free", cheia de emoção.

Mas o destaque mesmo, que rouba a cena da banda, é Duda Franco. Vocalista de voz forte, rasgada e cheia de técnica, ele sabe realmente o que está fazendo. Impressionante como tomou o Inferno Club e ganhou o público, além de espantar os presentes. Confiram o bandcamp dos caras no final da resenha, realmente vale muito a pena.

SATURNDUST

Se não bastava uma banda de abertura, o show tinha duas extremamente afinadas. Em torno de 20 minutos depois da ótima apresentação do Stand Free, o Saturndust subiu ao palco. Diferente do Stand Free, os caras tem um som extremamente melódico e cadenciado. Na verdade, Phil Dalam e companhia são os mestres da cadencia. Já com "Hyperion" deu pra se ver: a banda tocou cada nota com primor e a cada virada da música o público via algo novo.

E é nas guitarras que a arte ocorre no Saturndust. A base é extremamente lenta e tranquila, dando espaço para que Phil Dalam domine com uma qualidade impressionante. Extremamente talentoso, o jovem levantou o público com seu estilo e sua pegada. Em todas as músicas. Os vocais são esporádicos, e não empolgam: realmente o Saturndust é uma banda feita para a guitarra.

Todas as músicas realmente valeriam destaque, mas penso que "Black Mirage" e "Sons of Water" ressaltam aos olhos frente a um repertório muito bem escolhido.

SAHARA SURFERS

Diretamente da Áustria, os surfistas subiram ao palco as 21h30m para o espetáculo da noite. A belíssima e super talentosa vocalista Julia Überbacher veio seguida de perto pelos colegas de banda. Entraram com tudo tocando "Gas", e já mostraram ali do que são feitos: muita técnica e empenho. Os aplausos do público foram um presente mais que bem-vindo aos austríacos, que não puderam conter a satisfação em seus rostos.

A sequência de músicas foi realmente muito boa: "812", cheia de melodia e coroada pela excelente voz de Julia e "Propeller", que deixou o público totalmente vidrado em cada nota da música, fizeram uma sequência ótima na abertura do show. A virtuosidade do Sahara Surfers realmente é algo que não se vê todo dia.

Apesar da ótima apresentação, o distanciamento do público era bem notável. Apesar dos apelos da banda, os fãs ainda pareciam meio frios. Mesmo assim, a banda dava um show no palco: "Sister in the Shade", uma das melhores da noite, arrancou aplausos e fez o público bater cabeça. Julia não podia conter a alegria, e agradeceu a todos os presentes que tornaram essa primeira turnê pelo Brasil uma realidade...

Outro grande destaque do show foi "Ganjalf", que empolgou os fãs. A versão ao vivo consegue ser ainda melhor que a do disco, fazendo valer ainda mais o valor do ingresso. Em uma empolgante subida, o público realmente dominou em "Colour Jam": era visível a emoção dos fãs, que cantaram juntos e bateram palmas no comando de Julia: inacreditável como um grupo pequeno, de menos de 200 pessoas, parecia valer por uma casa cheia.

Quando a banda saiu do palco, então, ouviram-se os primeiros gritos por eles. A plateia chamou pelo Sahara Surfers com vontade, fazendo valer o retorno da banda para mais duas músicas: "Underline" e "Àenor", que foram curtidas ao máximo pelos fãs presentes. Depois do show, a banda ainda teve tempo para conversar com os fãs e mostrar muita simpatia com quem teve tempo para gastar sua noite de quarta-feira com eles.

Um show pequeno, uma banda extremamente underground com ótima qualidade. Mais uma vez um ótimo trabalho da Abraxas que realmente tem um excelente tino para trazer jovens estrelas ao Brasil, sem deixar de dar espaço para as pratas da casa.

Stand Free é:
Duda Franco – Vocal
Cássio Luis – Guitarra
Piettro Torchio – Baixo
Ricardo Alves – Bateria
Mais informações:
http://www.standfree.bandcamp.com

Setlist Stand Free:
1. Black Burning Flowers
2. Junkyard
3. One Day
4. Stand Free
5. Symptom of Us All
6. Beneath the Sun
7. Tobacco from Texas

Saturndust é
Phil Dalam – Guitarra/Vocal
Renan Angelo – Baixo
Marlon Marinho – Bateria
Mais informações:
http://saturndust.bandcamp.com/

Setlist Saturndust:
1. Hyperion
2. All Transmissions Have Been Lost
3. The Black Mirage
4. F.D.C.
5. Sons of Water

Sahara Surfers é:
Julia Überbacher – Vocal
Andreas Knapp – Guitarra
Hans-Peter Ganner – Baixo
Michael Steingress – Bateria
Mais informações:
https://www.facebook.com/saharasurfers

Setlist Sahara Surfers:
1. Gas
2. 812
3. Propeller
4. Age
5. Fold-Over
6. Sister in Shade
7. Sonar Pilot
8. Ganjalf
9. Mass Chrashing
10. The Gentlemen Aside
11. Colour Jam
Bis:
12. Underline
13. Àenor

Fotos: Fernando Yokota. Set completo em
http://www.flickr.com/photos/fernandoyokota/sets/72157641622...



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


AC/DC: as 10 melhores músicas da banda com Bon ScottAC/DC
As 10 melhores músicas da banda com Bon Scott

Metallica: ouça Nothing Else Matters em escala maiorMetallica
Ouça "Nothing Else Matters" em escala maior


Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.