Xandria: a banda superou os problemas em São Paulo

Resenha - Xandria (Blackmore Rock Bar, São Paulo, 05/05/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Diego Camara
Enviar Correções  

Uma boa apresentação. Este foi o resultado da segunda passagem dos alemães do Xandria pelo Brasil. O destaque ficou para a boa apresentação da nova vocalista, que mostrou ótimas condições de continuar o legado de suas antecessoras e um baterista bem afinado. O resultado, porém, poderia ter sido muito melhor com um pouco mais de esforço.

Corey Taylor: Verdades sobre Joey Jordison e Jim Root

Marcelo Maiden: Uma impressionante coleção de ítens do Iron Maiden

O show começou com 10 minutos de atraso, nada que pudesse realmente trazer nenhum cansaço a um público que parecia bastante excitado por reencontrar alguns de seus ídolos. A banda entrou firme no palco e abriu com a ótima introdução de "A Prophecy of Worlds to Fall", que já explodiu o público com a entrada dos integrantes no palco. A apresentação já parecia que traria ótimos resultados, com uma plateia animada que cantou junto a abertura em coro e aplaudiu a banda inúmeras vezes. O som, porém, não trouxe o resultado esperado, sendo que não conseguiu atingir todo o local – as guitarras, baixas, estavam quase inaudíveis no fundo da casa, o que deixou alguns fãs frustrados.

A banda parecia bastante empolgada no início do show, e mostrou bastante vontade na execução das músicas. Uma vocalista bem humorada comandou e animou o público. Seus colegas também não perderam em nada para ela e mostraram-se bastante felizes em voltar ao Brasil depois de quatro anos fora. Em "Valentine" e "The End of Every Story" os problemas continuaram, apesar da alegria do público e das ótimas orquestrações que trouxeram um tom mais que especial para as músicas.

Manuela Kraller foi realmente o destaque na maior parte do show. A vocalista estava em ótimas condições e mostrou uma grande voz durante todo o show. Além disso, contou com o público que a apoiou no espetáculo e no final ainda conquistou sem dúvidas uma posição como queridinha dos fãs. Se ainda havia dúvidas sobre a posição do Xandria desde a saída da reconhecida Lisa Middelhauve, estas foram substituídas por uma mulher encantadora que dominou a plateia.

O show continuou com a ótima apresentação de "Firestorm", já bastante conhecida do público e tocada em 2009, a banda encaixou mais uma sequência de músicas do novo álbum "Neverworld’s End". Bem executadas, apesar ainda do péssimo som do local, animaram medianamente o público. A banda, porém, ainda demonstrava suas ótimas condições.

Os que não foram ao show de 2009 ainda tiveram o prazer de ouvir um trecho da história do guitarrista Philip Restemeier sobre sua breve vida no Brasil, quando tinha 16 anos. Muito bem humorado e com o português em dia, Philip parecia bastante contente com a plateia e alegre em retornar novamente ao Brasil.

Manuela fez o inverso e mostrou animo em ensinar o público a falar em alemão "eu amo Xandria". A plateia sorriu e copiou a vocalista, apesar de parecerem não ter entendido bem o contexto da frase estavam bem contentes em fazer parte do show.

A apresentação de "Salomé" e de "Save My Life" foram destaques do meio do show. Minuciosamente bem executadas emocionaram o público com uma cadência especial e bastante intimista. A primeira foi bastante acompanhada pelo silêncio da plateia, enquanto a segunda, já bastante firme e com uma boa pegada, animou bastante o público.

Outro ponto alto da apresentação foi "Soulcrusher", que parece ter sido a música favorita dos fãs presentes dentre as do novo álbum, merecendo inclusive uma salva de palmas fortes ao ser finalizada com um excelente solo de guitarra, além da plateia cantar junto o refrão. "Now & Forever" veio em seguida, como um presente a equipe técnica, a produção e especialmente aos fãs que tornaram o retorno ao Brasil possível.

No bis uma pequena brincadeira da vocalista animou o público. Sendo chamados um a um ao palco pelos fãs, os integrantes sorriram e agradeceram novamente pela empolgação dos presentes. A banda executaria então "India", que obteve um bom retorno do público, mas parecia não ser das mais esperadas pelos fãs. A última, porém, sem dúvidas é o carro chefe do Xandria: "Ravenheart" novamente não decepcionou e animou de vez os fãs, dos mais velhos aos mais novos, que cantaram junto a música inteira, arrancando no final grande salva de palmas.

A setlist, no geral, parece ter deixado os fãs dos clássicos um pouco órfãos de músicas como "Vampire", "Eversleeping" e "In Love with the Darkness", que estão sendo excluídas do repertório do Xandria para abrir espaço ao novo disco, que massivamente é tocado no repertório da banda.

Apesar dos problemas decorrentes da qualidade do som e de um lugar bastante abafado e com pouca ventilação, o show não poderia ser negativo quando vemos uma banda que parece ter tanta caracterização com os fãs. O Xandria mostrou novamente ao Brasil porque é uma banda que merece ser ouvida e, se os aspectos técnicos podem não ser dos melhores, pelo menos não podemos dizer que eles não buscaram em São Paulo a superação.

Xandria é:
Manuela Kraller – Vocal Principal
Marco Heubaum – Guitarra, Segunda Voz
Philip Restemeier – Guitarra
Steven Wussow – Baixo
Gerit Lamm – Bateria

Setlist:
1. A Prophecy of Worlds to Fall
2. Valentine
3. The End of Every Story
4. Firestorm
5. Blood on my Hands
6. Forevermore
7. Euphoria
8. Salomé
9. Save my Life
10. Cursed
11. The Dream is Still Alive
12. Soulcrusher
13. Now & Forever
14. The Lost Elysion

Bis:
15. India
16. Ravenheart

Foto da chamada na página principal: Leandro Anheli




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal Calcinha: onze bandas lideradas por mulheresMetal Calcinha
Onze bandas lideradas por mulheres

Capas: as 10 mais bonitas lançadas em 2014 eleitas por blogCapas
As 10 mais bonitas lançadas em 2014 eleitas por blog


Corey Taylor: Verdades sobre Joey Jordison e Jim RootCorey Taylor
Verdades sobre Joey Jordison e Jim Root

Marcelo Maiden: Uma impressionante coleção de ítens do Iron MaidenMarcelo Maiden
Uma impressionante coleção de ítens do Iron Maiden


Sobre Diego Camara

Nascido em São Paulo em 1987, Diego Camara é jornalista, radialista e blogueiro. Seu amor pelo metal e rock começou há 6 anos. Um amante da nova geração, é um grande fã de Arjen Lucassen, Andre Matos e bandas como Nightwish, Hammerfall, Sonata Arctica, Edguy e Kamelot. Também não deixa de ter amor pelos clássicos, como Helloween, Gamma Ray e Iron Maiden e do Rock de bandas como Oasis, Queen e Kings of Leon. Atualmente seus textos podem ser lidos no blog OCrepusculo.com sobre assuntos diversos, além de planos para criação de um projeto totalmente voltado aos blogs de Rock e Metal.

Mais informações sobre Diego Camara

Mais matérias de Diego Camara no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin