Amapá Metal Fest II: mistura de diversos estilos

Resenha - Amapá Metal Fest II (Praça da Bandeira, Macapá, Amapá, 29/09/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Bruno Blackened Monteiro
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Diferentes estilos de Metal e Rock em um único evento: esta parece ser a intenção do Coletivo Frente Norte, organizador do Amapá Metal Fest II. No cast, bandas de Punk, Grindcore, Thrash e Heavy. O tempo agradável e o público em peso contribuíram para que o evento alcançasse o sucesso esperado.

5000 acessosNirvana: "Teoria é um desperdício de tempo", dizia Kurt5000 acessosZakk Wylde: O assassinato atribuido à "seita" do guitarrista

Lá pelas 22:30h, o BY OVER subiu ao palco e tocou os covers Crazy Train (OZZY OSBOUNE), Smoke on the Water (DEEP PURPLE) e A Tout Le Monde (MEGADETH). Uma ótima apresentação, completada pela interação agitada dos banguers.

A CARNIVALE é um power trio Thrash Metal que vem ganhando notoriedade no underground amapaense, acumulando seguidores e melhorando em performance a cada show. Tocando somente músicas autorais, a banda não deixou pedra sobre pedra, fazendo os Metalheads festejarem a cada nota despejada. Rodas se formaram praticamente da primeira música até a última, sem parar.

Depois da CARNIVALE, foi a vez da OBTHUS tocar seutradicional set de covers composto por porradas do KREATOR (com exceção de Generation Dead [TORTURE SQUAD]). Tocaram All of the Same Blood, Enemy of God e Tormentor. Assim como no show da CARNIVALE, houve rodas do começo ao fim, tudo comandado pela voz potente de Diego. Ao final, o público pedia por Black Metal, do VENOM, mas não rolou devido o tempo da banda ter se esgotado.

O cast do Amapá Metal Fest II foi composto por 9 bandas, cada uma tocando seis ou oito músicas. A METAL ALLIANCE, outra que vem ganhando notoriedade na cena,foi a banda de encerramento. Infelizmente, os problemas com o equipamento de som começaram a aparecer justamente na apresentação deles. O microfone falhou diversas vezes e a guitarra de Franck não estava perfeitamente audível, o que contribuiu para que o show começasse de forma tímida por parte do público. Hangar 18 e Trust (MEGADETH covers) iniciaram a apresentação, seguidas por Iron Maiden, Wrathchild e Prowler (IRON MAIDEN covers), o que chamou a atenção da galera pra frente do palco.

Encerrando o set, Creeping Death e Seek and Destroy (METALLICA covers). Depois do Mosh Pit nas escadas do Biroska Concept Bar no 1º Zombie Night Fest, outro Mosh inusitado aconteceu: desta vez, no palco. Sim, no palco, junto com os músicos, o que atrapalhou o término de Seek and Destroy.

O saldo final do Amapá Metal Fest II foi positivo, uma vez que a mistura de diversos estilos de Metal e Rock deu certo, as bandas apresentaram seus repertórios com sucesso e sem muitos problemas. Os banguers também não deixaram por menos e agitaram muito. O coletivo Frente Norte está de parabéns! A cena local precisa de mais iniciativas como esta!

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows

NirvanaNirvana
"Teoria é um desperdício de tempo", dizia Kurt

Black Label SocietyBlack Label Society
O assassinato atribuido à "seita" de Zakk Wylde

Rede GloboRede Globo
Em 1985, explicando o que são os metaleiros

5000 acessosLed Zeppelin: a inspiração por trás de "Kashmir"5000 acessosSinceridade: e se as capas de discos dissessem a verdade?5000 acessosTarja: agredida sexualmente por fã durante show no México em 20005000 acessosAngra: banda errou na escolha de Fabio Lione?5000 acessosMalmsteen: "A 1ª vez que fui ao Brasil não consegui acreditar"5000 acessosDave Lombardo: o que ele realmente acha de Lars Ulrich?

Sobre Bruno Blackened Monteiro

Metalhead, Gamer, Otaku e Jornalista. Essas são as palavras que me descrevem melhor. Um jovem que faz de tudo para apoiar o Heavy Metal, seja através de resenhas, artigos, fotos, reportagens, entrevistas ou mesmo estando assiduamente nos shows apoiando e bangueando ao som das bandas. Amo o Metal desde os 16 anos e minhas vertentes favoritas são Thrash, Death e Power Metal. Também gosto de Gothic, Doom e Black Metal, mas o Thrash é o que me move! THRASH!

Mais matérias de Bruno Blackened Monteiro no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online