Dr. Sin: encerramento "Animal" de Dia do Rock em Macapá

Resenha - Dr. Sin (Amapá, Macapá, 16/07/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Jéssica Alves
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Falar de show do Dr. Sin, que se apresentaria pela primeira vez em Macapá foi sinônimo de euforia e expectativa do público presente no evento Dia Mundial do Rock, celebrado pelo 13º ano na capital tucujú. Entretanto, o tempo virou repentinamente na cidade, e uma forte chuva causou o cancelamento na apresentação da headliner paulista, que ocorreria no domingo (15).

906 acessosToth e Busic: "Os Cavaleiros Do Zodíaco'' ganha versão metal5000 acessosHall Of Shame: as melhores músicas ruins da história do Metal


Apesar dos pesares, a demonstração do público em não arredar o pé, nem diante do temporal, no aguardo da apresentação da banda foi recompensada na noite de segunda-feira (16), em que um céu limpo e o grandioso rio Amazonas foram o cenário para o inédito show do Dr. Sin em Macapá.


Demonstrando muita simpatia e expectativa na apresentação, Andria Busic (vocal/baixo), Ivan Busic (bateria/vocal), Edu Ardanuy (guitarra) e, agregado ao grupo, Rodrigo Simão (teclado), iniciou o show com a pegada hard rock que consagrou o grupo no início da década de 90 e atravessa 20 anos de pura empolgação, cativando mais fãs a cada dia.


O show foi da turnê “Animal”, e a música homônima foi responsável pela abertura. Com pegada e refrão simples, a canção logo contagiou aos fãs presentes, desde os mais fiéis aos recém chegados ao mundo de Dr. Sin.


Após a apresentação, Andria saúda o público, mas a conversa é rápida, pois logo a banda emenda um de seus clássicos, “Fly Away”, composição presente no álbum “Dr. Sin II” (o famoso por ter sido vendido em bancas de revista e contava com a gravação dos vocais de Mike Vescera). O refrão contagiante foi entoado por muitos presentes, agradando a banda.


“Tá quente aqui né? Vocês gostariam de esquentar mais isso aqui?”, pergunta Andria e logo é respondida com euforia da platéia. Um riff rápido de guitarra respondeu a pergunta e logo a platéia incendiou ao som de “Fire”, do álbum “Brutal”. Uma ótima execução. A obra-prima "Time After Time", também do disco “Dr. Sin II” foi executada.


Além das canções da banda, houve momentos também para covers no show do Dr. Sin, como o gravado no primeiro álbum da banda, “Have You Ever Senn The Rain”, do Crendence. Houve citações de “Jump”, do Van Halen, e “Rock ´n´ Roll Docto” Black Sabbath (com Ivan Busic assumindo os vocais e Fabio Kufa na batera) sempre muito bem recebidos pela platéia e executados com euforia pelos músicos.


Seguindo para o fim do show, Andria anuncia a despedida com o hit "Emotional Catastrophe", com ótima resposta do público e depois de ensaiar uma saída, houve o retorno com homenagem a John Lord, ex-tecladista do Deep Purple, falecido na segunda-feira (16).


Então, o clássico dos clássicos da banda, aguardado por todos ali foi executado: “Futebol, Mulher e Rock and Roll”, a música mais irreverente e que permite maior interação com a platéia, cantada em português e com letra de duplo sentido que brinca com as maiores paixões do brasileiro.


E claro, a brincadeira com o público do “eta,eta,eta Brasileiro quer?” não faltou. Entretanto, democraticamente com respeito às meninas presentes, foi incluso o “alho, alho, alho, brasileira quer?”. As respostas de ambas você já deve saber qual é. O público respondia com empolgação.


Resumo do rock: o show do Dr. Sin em Macapá representou a realização do sonho de muitos que acompanham a banda, que possui quase duas décadas de estrada e também dos próprios músicos, que demonstravam vontade e cumpriram a missão de fazer um inesquecível e bravo show, de maneira brutal e animal. É mais um gol na carreira do Dr. Sin, meu povo!!!!! E que venham mais vezes a Macapá.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

906 acessosToth e Busic: "Os Cavaleiros Do Zodíaco'' ganha versão metal0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dr Sin"

Dr.SinDr.Sin
"Acabou-se a magia da espera de um disco"

RockRock
Seis bandas que se inspiraram na cultura Pop

Dr. SinDr. Sin
A crise do rock nacional

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Dr Sin"

Hall Of ShameHall Of Shame
As melhores músicas ruins da história do Metal

PsicografiaPsicografia
Uma suposta carta do espírito de Cássia Eller

Fãs de RockFãs de Rock
Você conhece o estilo de se vestir de cada um

5000 acessosO Suprassumo do Superestimado: os 11 mais (ou menos) nacionais5000 acessosSpike: os sete piores solos de guitarra5000 acessosHeavy Metal: cinco discos necessários dos anos setenta5000 acessosMacarrão Black Metal: alimento de todo headbanger from hell5000 acessosRegis Tadeu: Los Hermanos fez um tremendo mal ao rock brasileiro5000 acessosMosh Pits: você sabe como eles começaram?

Sobre Jéssica Alves

Uma jovem nascida em 1990 e moradora do Estado do Amapá que teve a sorte de ser criada em um lar onde o rock sempre esteve presente. Por frustação no meio musical, a veia jornalística falou mais alto e atualmente caminha no ramo do Jornalismo Cultural e milita na divulgação da cultura underground tucujú. Seu forte está no heavy metal, hard e classic rock.

Mais matérias de Jéssica Alves no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online