Judas e Whitesnake: show com cara de culto à nostalgia

Resenha - Judas Priest e Whitesnake (Anhembi, São Paulo, 10/09/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Bruno Martim
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Whitesnake e Judas Priest são duas bandas que não conhecem a expressão ‘deixar a peteca cair’. Em mais uma apresentação conjunta das bandas pelo país – a outra aconteceu em 2005 -, ficou evidente que ambas ainda tem o que contribuir com a cena da música pesada, embora já sejam mais que consagradas e míticas no meio roqueiro. O primeiro da série de quatro shows dos grupos em terras tupiniquins aconteceu no último sábado, no Anhembi, em São Paulo.

1539 acessosJudas Priest: crianças tocam "Victim Of Changes"5000 acessosIgor Cavalera: o Sepultura já era, deveria encerrar atividades

Fotos: Matheus Obst

David Coverdale põe fogo na idéia de quem diz que, com a idade avançada, suas cordas vocais não são mais as mesmas. É claro que ele sabe disso, mas, ao deixar sua voz soar mais grave, como nos dois últimos discos da banda, o vocalista deixa os críticos imaginar outra forma de o criticar. E o que dizer da atual formação da banda? Quem presenciou sabe, a qualidade dos integrantes é inigualável e leva a crer que, somente agora, com quase 40 anos de existência, o grupo encontrou uma das mais sólidas e fincadas no blues e rock de suas formações. Doug Aldrich e Reb Beach, nas seis cordas, deram um show à parte.

Mas então, as quase 30 mil pessoas que estavam no Anhembi viram o Whitesnake dar adeus e um outro pano de fundo tomar conta do palco onde os dois grupos se apresentaram. No horário marcado, às 22 horas – o que é raro -, o Priest subiu ao palco logo com uma porrada. “Rapid Fire” foi a primeira música do setlist que trouxe somente clássicos da banda.
Tudo bem, em termos musicais, a apresentação do Whitesnake foi, sim, a que mais se destacou, já que a banda possui uma fusão de ritmos bem maior que os britânicos do Priest. Mas a maior parte dos presentes queria mesmo é saber do heavy metal de Rob Halford & Cia.

E não faltaram as motocicletas no palco nem mesmo o tridente característico da banda para aterrissar os fãs em uma espécie de culto à nostalgia do Priest. Não demorou para que o público se agitasse mais e potencializasse a energia em gritos de apoio e músicas cantadas ao pé da letra.

Para se valer de alguns exemplos, “Breaking the Law”, “Victim of Changes” e “Painkiller” foram as mais animadas. Na primeira, Halford sequer cantou. Optou por deixar a platéia ocupar seu lugar. Escolha mais do que sábia. O coro metálico tomou conta do Anhembi.

Por último, o performático Rob Halford, destaque ao lado de Scott Travis, nas baquetas, fez com que a noite terminasse ao melhor estilo. “Living after midnight” fechou o repertório da noite, dando boas-vindas à madrugada paulistana que já havia chegado – o show terminou por volta das 00h15. Duas grandes bandas que fizeram mais um bom show no Brasil. Resta a esperança que voltem mais vezes.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Judas Priest e Whitesnake (Anhembi, São Paulo, 10/09/2011)

2209 acessosJudas Priest & Whitesnake: esquentando a noite fria de SP

Heavy MetalHeavy Metal
As dez maiores bandas britânicas

1539 acessosJudas Priest: crianças tocam "Victim Of Changes"1266 acessosRob Halford: trabalhos fora do Judas Priest reunidos em box-set0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Judas Priest"

Rob HalfordRob Halford
Orgulho por inspirar headbangers gays a se assumirem

Judas PriestJudas Priest
"Sou um metalhead de 57 anos, não fumo e não bebo!"

Judas PriestJudas Priest
Os 10 discos que mudaram a vida de Rob Halford

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Whitesnake"0 acessosTodas as matérias sobre "Judas Priest"

Igor CavaleraIgor Cavalera
O Sepultura já era, deveria encerrar atividades

Vamos admitir sem hipocrisiaVamos admitir sem hipocrisia
Não há banda nova que preste

Motley CrueMotley Crue
As críticas de Vince Neil a Nikki Sixx e Tommy Lee

5000 acessosNu Com a Mão no Bolso: blog elege as melhores capas com "nudez"5000 acessosLinkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a banda5000 acessosSkid Row: Varone tentou honrar o sobrenome em filme pornô5000 acessosPantera: Zakk Wylde fala sobre substituir Dimebag em possível reunião5000 acessosRock in Rio: vocalista do The Who chamou Axl Rose de karaokê no AC/DC4478 acessosMorbid Angel: David Vincent comenta novamente sobre sua saída da banda

Sobre Bruno Martim

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online