Hangar: resenha do show em Santo Ângelo

Resenha - Hangar (Santo Angelo, Rio Grande do Sul, 19/03/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Débora Reoly, Fonte: Blog Rota do Rock 666
Enviar Correções  

A cidade de Santo Ângelo, no noeste do Rio Grande do Sul esperava há algum tempo o show do HANGAR, pois em dezembro, Aquiles Priester, Nando Mello e Eduardo Martinez estiveram na cidade realizando um Workshow (mais focado na bateria, mas com passagens de baixo e guitarra, bate-papo e perguntas da galera).

publicidade

Alguns problemas fizeram com que o local do show fosse mudado por duas vezes e o show elétrico passaria a ser um show acústico, no Nanga Beer. Este contratempo fez com que a banda DRUNK VISION, de Florianópolis não pudesse mais fazer a abertura do show, a decisão do HANGAR e da produção do show, foi pelo fato de não poder ser realizado ali um show "elétrico", pois a casa, um restaurante, que mesmo amplo e com um bom palco, não tinha estrutura de acústica. E a DRUNK VISION toca Death Progressive, sem chances para um acústico.

publicidade

Algumas pessoas estavam decepcionadas pelo cancelamento do show da DRUNK VISION (informação que não houve como passar a tempo a banda, já que este ultimo local foi arranjado na mesma tarde. A banda viajou 500 km e ao chegar lá, recebeu a notícia de não poder mais participar do show), é lamentável mas contratempos acontecem. Só quem estava lá desde cedo presenciou a correria que foi para tentar solucionar os problemas que apareceram. Mas o organizador Alex Ximú está de parabéns por conseguir driblar os problemas que foram aparecendo no decorrer da semana e ainda, na tarde do show.

publicidade

Pela mudança do local em cima da hora, a preocupação era de que o público não reagisse bem a essa troca de show (de um show elétrico do Hangar a um show acústico). Afinal, todos querem ver Aquiles Polvo Priester em sua bateria gigantesca.

Havia muita curiosidade da minha parte, pois não havia assistido a um show acústico do HANGAR até então. A meia noite, Humberto Sobrinho (vocal), Fábio Laguna (teclado), Aquiles Priester (bateria), Nando Mello (baixo) e Eduardo Martinez (guitarra) sobem ao palco. O local já estava com um público expressivo quando iniciaram com "One More Change" do álbum Troyc (The Reason Of Your Convictions), seguida de duas músicas do ultimo álbum da banda, Infallible "Solitary Mind" e "Infallible Emperor - 1956" que empolgou muito a platéia e ao final fez com que o público entoasse: "Hangar! Hangar! Hangar!". Após veio "Angel Of Stereo" do primeiro (Last Time). A música ganhou novos ares na voz de Humberto Sobrinho. Seguindo com mais duas do Troyc "Forgive The Pain" e a própria "The Reason Of Your Convictions" uma das minhas músicas favoritas. O público cantava em peso. Não é todo dia que temos o prazer de assistir um show acústico desse nível. Veio então a intro de "Rainbow in The Dark" do Dio, que o público continuou cantando do inicio ao fim. Então Aquiles Priester anuncia a execução de uma música que tem uma das letras mais lindas que já compuseram "Time To Forget" do "Infallible". Seguiram com mais dois cover, desta vez nada menos que "Don’t Stop Believin" do JORNEY, música que me lembra o Nando Mello, pois há pouco tempo atrás escreveu sobre ela em seu blog "Riffmaker" e "Limelight" do RUSH.

publicidade

Seguiram com "Dreaming Of Black Waves" do ultimo álbum, famosa música pelo clipe, que tem a participação daa vocalista da banda Holiness, "Based On a True Story" e então a minha música preferida "Call Me in The Name of a Death" que não passo um dia sequer sem ouvi-la. E mais um cover desta vez "Dreams" do VAN HALEN. Aquiles então anuncia a saideira com a música do segundo álbum da banda, a própria "Inside Your Soul". Mas emenda com mais uma música do mesmo álbum, a linda "To Tame a Land".

publicidade

Sem dúvidas, foi um belo show e que só aumentou a vontade de rever um show do HANGAR, que prometeram voltar a cidade em breve. O público ficou satisfeito e contratempos acontecem, mas a produção do show foi atrás e fez acontecer o show, que é infalível mesmo!

Set-List:

1 - One More Chance
2 - Solitary Mind
3 - Infallible Emperor 1956
4 - Angel of The Stereo
5 - Forgive the Pain
6 - The Reason of Your Conviction
7 - Rainbow in the Dark - Dio
8 - Time to Forget
9 - Dont Stop Believin - Journey
10 - Limelight - Rush
11 - Dreaming Of Black Waves
12 - Based on a True Story
13 - Call Me in the Name of Death
14 - Dreams - Van Halen
15 - Inside Your Soul
16 - To Tame a Land

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Bruce Dickinson: Use Your Illusions? Aquele formato é uma bosta!Bruce Dickinson
Use Your Illusions? Aquele formato é uma bosta!

Sign of the horns: o sinal do DemônioSign of the horns
O sinal do Demônio


Sobre Débora Reoly

Débora Reoly era gaúcha de Ijuí, formada em Pedagogia e Turismo e dona da agência de viagens Rocktour, especializada em excursões a shows na América do Sul. Seu lema era "A vida não é um show de Rock. São vários!". Débora morreu em 2017, de uma doença auto-imune. Facebook: www.facebook.com/debora.reoly.

Mais matérias de Débora Reoly no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin