Eluveitie: provando que o Folk Metal é um som de qualidade

Resenha - Eluveitie (Estúdio EMME, São Paulo, 29/01/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rogério Talarico
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Pela primeira vez no Brasil, os suiços da banda Eluveitie desembarcaram para quatro apresentações em solo Brasileiro, sendo uma delas em São Paulo, no estúdio Emme. Trazendo toda sua musicalidade Folk para terras tupiniquins, os suíços mostraram que Folk Metal pode ser pouco difundido comparado ao Heavy Metal, mas é um som de muita qualidade.

Wacken 2019: assista shows de Opeth, Demons & Wizards e maisRicardo Confessori: "Iron Maiden, aposenta logo!"

O show previsto para começar às 21:00 horas teve um pequeno atraso, começando 20 minutos mais tarde, mas nada que deixasse o público presente impaciente, pois a montagem dos instrumentos foi feita com a cortina aberta e, enquanto isso, a banda ficou interagindo com o público. Misturando elementos Celtas em sua música, abriram o show com "Nil". Logo após, tocaram "Bloodstained" e "Gray Sublime Archon" e como sempre, o público brasileiro mostrou que é singular, fazendo danças celtas e bate-cabeças e até mesmo acompanhando e cantando as músicas no que parecia ser o resultado: algo muito próximo da língua Gaulesa que é a interpretada pela banda. Em
"Thousand Fold" o entrosamento e animação da banda estavam tão perfeitos, que até pulavam junto com o público.

Em "Inis Mona" o destaque foi pra Gaita de Foles que, nesta canção, o público até cantava em uníssono o refrão da música; já em "Slanias Song" as integrantes Meri e Anna tomaram a frente do palco e deram uma aula ao público: ensinaram a cantar o refrão da música palavra por palavra o que deixou o público em fervoroso para a próxima canção, "Omnos", que também foi assumida pelas vocalistas. Após o término desta música, com o público praticamente subindo ao palco, os seguranças do local entraram em ação e passaram a ficar na lateral, o que prejudicou um pouco a visão do show para o público que estava naqueles lados. Depois prosseguiram com "Song of Life", "Kingdom Come Undone", "(Do)minion" e "AnDro" que é uma música instrumental. Terminada a canção a banda saiu do palco e deixou todo o público agitado, pedindo uma música a mais.

Minutos após o grupo voltou para o famoso bis, tocando "Primordial Breath" e anunciando o final que todos queriam, seu single "Tagernako", que era uma das mais esperadas da noite. Mesmo o tamanho sendo pequeno para os 8 integrantes da banda, eles souberam percorrer e aproveitar todo o palco, mostrando desenvoltura e apreço pelos fãs. Sem dúvidas, foi um momento memorável para o todo publico que estava ali, um espetáculo que deixaria boquiabertos até mesmo os que não são fãs de músicas celtas.

Set List:
1. Nil
2. Bloodstained
3. Gray Sublime Archon
4. Your Gaulish War
5. Thousandfold
6. Inis Mona
7. Slanias Song
8. Omnos
9. Isara
10. Quoth the raven
11. Song of life
12. Kingdom Come Undone
13. (Do)minion
14. AnDro

Bis:
15. Primordial Breath
16. Tegernako




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Eluveitie"


Wacken 2019: assista shows de Opeth, Demons & Wizards e mais da quinta e sextaWacken 2019
Assista shows de Opeth, Demons & Wizards e mais da quinta e sexta

Korpiklaani: confira lyric video com participação de Meri Tadic

Rock e Metal: 7 bandas/artistas que você pronuncia o nome erradoRock e Metal
7 bandas/artistas que você pronuncia o nome errado


Ricardo Confessori: Iron Maiden, aposenta logo!Ricardo Confessori
"Iron Maiden, aposenta logo!"

Blender: as letras mais repulsivas do Heavy MetalBlender
As letras mais repulsivas do Heavy Metal

Sílvio Santos: The Number Of The Beast em ritmo de festaSílvio Santos
"The Number Of The Beast" em ritmo de festa

Fama: 5 bandas que são grandes no exterior e nem tanto no BrasilSeparados no nascimento: Edu Falaschi e Luciano HuckMetallica: Cauê Moura mostrou Molejão para Robert TrujilloAudioslave: "A banda já estava quebrada antes de lançarmos o 1º álbum"

Sobre Rogério Talarico

Rogério Talarico, 21 anos, residente em São Paulo/SP, é escritor, apesar se ser formado em análise de sistemas e, nas horas vagas estuda música e toca violoncelo. É fundador, administrador e escritor do site MetalConcerts.net que foi criado no intuito de suprir o mercado de divulgação de shows de Metal.Ouve o bom Metal desde os 10 anos, e sua banda favorita é o System of a Down. Ouve desde Black Sabbath à Alter Bridge, não tendo preconceitos se a música for boa. Siga no Twitter: @metal_concerts .

Mais matérias de Rogério Talarico no Whiplash.Net.